A trajetória de Valdir Espinosa, novo diretor de futebol do Botafogo
Foto: Divulgação / Grêmio FBPA

Há dois dias o Botafogo comunicou aos torcedores que Anderson Barros (ex-gerente de futebol) dava adeus e se retirava do clube. Nesta quinta-feira (12), o time de General Severiano fechou a contratação de Valdir Espinosa, afim de ocupar a vaga deixada por Anderson Barros.

O gaúcho como jogador é ídolo do Esportivo (Rio Grande do Sul), onde foi vice-campeão gaúcho, em 1979. Além da passagem pelo Grêmio Portoalegrense, onde foi elogiado até por Renato Gaúcho, que segundo a ele, Valdir era um "paizão" para todos. 

Tal característica de "paizão" levou o jogador a se aventurar como treinador, ao todo foram 20 times que treinou ao longo da carreira, ao longo de extensos 25 anos de profissão. 

Sua primeira grande equipe foi o Grêmio (1983) e por lá, como treinador, conquistou a Libertadores da América e o Mundial Interclubes da época, marcando seu nome para sempre na história de um gigante brasileiro.

O dirigente é um velho conhecido da torcida botafoguense, o ex-jogador e hoje dirigente, já passou pelo Botafogo como treinador em três oportunidades (1989, 1990-1991 e 1998-1999). Em 1989, o treinador quebrou um jejum de títulos do Fogão, conquistando o Campeonato Carioca da época, em cima do seu maior rival Flamengo e montando um time que sempre estará marcado na cabeça dos torcedores. Ao longo do ano, o treinador acabou sendo trocado por Edu Coimbra (que também foi trocado naquele ano) e não encerrou 1989 a frente da equipe.

Em 1990 o treinador voltou, com a missão de conquistar o bicampeonato carioca, e a missão dada foi cumprida. Após o placar de 1 a 0 em cima do Vasco, conquistou mais um título estadual comandando o Glorioso. No ano seguinte, o Botafogo fez uma boa campanha no estadual, mas perdeu a decisão do segundo turno para o Flamengo, tendo então sua sequência de títulos regionais interrompida.

Após o ano de 1990, Botafogo e Valdir selaram uma separação que duraria 8 anos, até que o treinador é novamente contratado pelo alvinegro, tem sua terceira passagem (sem sucesso) e ao término do ano, ele encerraria de vez sua carreira como treinador do Botafogo.

Após idas e vindas, muitas conquistas e também derrotas. O então treinador passou a ser dirigente, e começou a se aventurar primeiramente no Esportivo, clube do Rio Grande do Sul, onde se tornou ídolo enquanto jogador.

A carreira vitoriosa se deu com ênfase no Grêmio, onde atuou em 2016-2017, como dirigente, conquistando a Copa do Brasil, em 2016 e a Libertadores, em 2017.

Fato é que se a torcida do Botafogo estava procurando um nome com peso e com títulos, Valdir Espinosa é um excelente nome para isso. Basta saber se sua carreira vitoriosa irá inspirar o Glorioso, para que o ano de 2020 seja no mínimo mais esperançoso para a torcida

VAVEL Logo