Flamengo encontrou um perigoso, ofensivo e bem treinado Ind. del Valle
Foto: Reprodução/Conmebol

O Flamengo empatou em 2 a 2 com o Independiente del Valle, do Equador, pelo jogo de ida da final da Recopa Sul-Americana. Jogando à 2.850 metros acima do nível do mar, em Quito, capital equatoriana, o duelo desta quarta-feira (19) foi o mais complicado para o Rubro-Negro em 2020. E o técnico do Del Valle, Miguel Angel Ramírez, foi enfático sobre as dificuldades que  seu time provocou ao elenco do português Jorge Jesus. "Colocamos o  segundo melhor time do mundo nas cordas", disse o espanhol, referindo-se ao vice-campeonato do Fla, no Mundial de Clubes.

A dificuldade dos cariocas não se deu somente pelo fator altitude. No Estádio Olímpico Atahualpa, local da partida, os equatorianos mostraram que possuem uma filosofia de futebol parecida com a do Rubro-Negro. Também europeu, assim como o Mister, Ramírez treina o Independiente del Valle para ser um grupo ofensivo dentro de campo, que valorize a posse bola e espere o momento certo de furar o bloqueio das defesas adversárias. Sempre com muita verticalidade nos passes. 

Os problemas encontrados pelos cariocas, em Quito, são explicadas pelo padrão de jogo: o Del Valle joga no mesmo estilo que o Flamengo (em busca do ataque). Apesar de terem feito os gols apenas em bolas paradas, em uma falta e uma cobrança de pênalti, os equatorianos não mereciam perder: "Tivemos oportunidades para marcar, mas não fizemos. Ser capaz de enfrentar o Flamengo é maravilhoso. Se saíssemos com a derrota daqui hoje, não teria sido justo", destacou o espanhol.

Para solucionar os problemas que os campeões da Copa Sul-Americana apresentaram ao Rubro-Negro, Jorge Jesus terá de reavaliar as peças que escolheu para montar os 11 titulares na próxima quarta (26), às 21h30, na partida de volta, no Maracanã. A opção por Diego no meio, ontem, para cadenciar o jogo e manter a posse de bola não funcionou. Na ausência de Gabigol, suspenso do duelo, a ideia de colocar Pedro no banco de reservas também não foi acertada. 

E ainda há dúvidas sobre as condições físicas e médicas de Bruno Henrique e Rodrigo Caio, que se machucaram durante a partida, e Léo Pereira, que se recupera uma lesão muscular na coxa esquerda. Mas antes do confronto decisivo na Quarta-Feira de Cinzas, o Flamengo ainda tem um compromisso importante, no Sábado de Carnaval (22). Os comandados do Mister enfrentam o Boavista, pela final da Taça Guanabara, às 18h, também no Maracanã. Não há vantagem de empate.

VAVEL Logo