De volta! Na reapresentação, Gabigol fala de amor pelo Flamengo, contratações e retorno
Foto: Reprodução/Flamengo

Após treino no Ninho do Urubu pela manhã deste sábado (1), o recém-contratado Gabriel Barbosa concedeu sua primeira entrevista coletiva como jogador em definitivo do Flamengo. Na apresentação oficial, o atacante de 23 anos falou sobre alguns assuntos como sua vontade de ficar no Rio, a concorrência no ataque, futuro e chance de já voltar a campo contra o Resende, na segunda-feira (3). Mas, antes, quem falou foi Marcos Braz.

Quem abriu a coletiva de apresentação de Gabigol foi o vice-presidente de futebol Marcos Braz, que tomou o momento para falar sobre o trâmite da negociação para ter o camisa 9 em definitivo.

"Falar do esforço feito e o caminho traçado para a contratação do Gabriel. O esforço foi tremendo. O presidente (Rodolfo Landim) sempre aprovando e apoiando as grandes contratações, como todos os outros vice-presidentes. Muito tranquilos na decisão de fazer uma contratação como a do Gabriel, até em função dos resultados do Gabriel no ano passado. Num primeiro momento era empréstimo sem valor fixado. Isso nos deixava um pouco vulneráveis."

"No começo de 2019 só conseguiríamos fazer a contratação desta maneira. Depois do meio do ano começamos a tratar da contratação dele. Num primeiro momento tínhamos que conversar com o staff do jogador, as coisas tiveram que parar um pouquinho. Depois fomos para a Inter. Tinha que fazer os dois caminhos, com a Inter e com o Gabriel. Acho que se alongou um pouquinho, mas o que interessa é o final feliz."

Foto: Reprodução/Flamengo
Foto: Reprodução/Flamengo

Fala, Gabigol!

Ao som do funk "Os Coringas do Flamengo", Gabigol, Marcos Braz (vice de futebol), Bruno Spindel (diretor de futebol) e Rodolfo Landim (presidente) ergueram as camisas com os números de gols que o atacante fez no Brasileirão, na final da Libertadores, na temporada e a tradicional camisa 9.

O clima começou descontraído, com Gabriel dizendo que 'estava com saudade de vestir a camisa' rubro-negra. Em seguida, ele já comentou sobre sua permanência no Flamengo após um 2019 de sucesso.

"Momento de felicidade. Todo mundo sabe que é a minha casa. Me sinto muito feliz jogando com esta camisa. Sei que foi feita a vontade do meu coração. Demorou um pouquinho, mas como o Mister (Jorge Jesus) fala: 'o importante não é o começo e sim o final'. Minha vontade era ficar no Flamengo. Obviamente as coisas não ocorreram tão rápido assim, mas eu tinha um clube, que era a Inter, sempre respeitei isso. Internamente, todo mundo sabia que minha vontade desde o começo era ficar. Estou muito feliz."

Ao ser perguntado sobre as metas para 2020, o último artilheiro do Brasileirão e da Libertadores foi convicto na resposta:

"Tentar ganhar tudo de novo. A gente sentiu esse gostinho de ser campeão. Foi um ano muito feliz. Mas a nossa vontade é ser campeão novamente. Trabalhamos todos os dias para isso. Acho que o Flamengo e toda a torcida merecem isso."

"Eu me sinto muito bem. Me sinto em casa. Sou muito feliz com os companheiros, com a cidade. Já me sinto um pouco carioca. A torcida tem grande influência nisso, e principalmente a criançada, porque tenho sentido carinho por onde vou. Um jogador precisa se sentir feliz, se sentir em casa. Para um jogador ser realizado não precisa jogar na Europa, sair do seu país. Temos campeonatos fortes. O Flamengo tem um nível muito alto, um treinador que é um dos melhores do mundo."

Gabigol joga contra o Resende?

"Me cuidei bastante nas férias. Perdi só dois treinos, nada demais. Já me sinto muito bem, apto para jogar.Obviamente quem manda é o Mister. Se for a opção vou ficar muito feliz. Estava ansioso para vestir a camisa e entrar no Maracanã."

Sombra no ataque?

"Sombra? Sombra nada. Sombra é para os adversários. Quem vai ter que correr atrás agora são os outros. Foram contratações maravilhosas. Já tive oportunidade de jogar contra o Pedro, sempre gostei do futebol dele. O problema agora é dos adversários (risos)."

Sobre recepção dos companheiros sob aplausos no almoço

"Por onde ia sempre falavam comigo. Tinha sentido uma coisa especial pelos torcedores e companheiros. Eles (jogadores) sempre pediam para eu voltar logo. Sempre souberam que minha vontade era ficar."

Futuro

"Tenho contrato de cinco anos com o Flamengo. Pretendo cumpri-lo e ficar muito mais tempo aqui."

Sobre a final da Libertadores

"A gente estava perdendo. Durante o jogo todos sabiam que eu seria provocado, e eu não queria perder meu foco. Não sabia tempo do jogo. Quando fiz aquela falta minha vontade era outra (risos). Meus companheiros fazem parte disso. Creio que aquele foi um dia especial, e eu estava iluminado por Deus."

"Depois daqueles gols na final é inevitável falar que meu nome está marcado na história do Flamengo. Divido isso muito, muito com os companheiros. Me sinto em casa. Espero ficar muito, muito tempo aqui. Que a gente possa dar mais vitórias aos torcedores."

VAVEL Logo