Sérgio Santos Rodrigues é eleito novo presidente do Cruzeiro
Foto:  Gustavo Aleixo / Cruzeiro

Em dia de decisão, o Cruzeiro elegeu o seu 38º presidente, na tarde desta quinta-feira (21). O advogado Sérgio Santos Rodrigues, vencedor com a Chapa Centenário,  assume em 1º de junho, e permanece no cargo até 31 de dezembro de 2020, complementando o período que deveria ser do ex-presidente Wagner Pires de Sá. Além dele,  Lidson Potsch (primeiro)Biago Teodoro Peluso (segundo) serão os vice-presidentes. 

Por meio de sua conta no Twitter, Sérgio Rodrigues disse encarar o "maior desafio" de sua vida e que utilizará sua conta para "comunicar assuntos relevantes". 

"Com muita honra e uma enorme alegria, encaro o maior desafio da minha vida: a Presidência do Cruzeiro Esporte Clube. Comprometo-me a colocar em prática tudo que propus e farei todo o possível para que o clube retorne ao seu devido lugar de destaque. Contarei com os melhores profissionais em nossa equipe, com os colaboradores do clube e conto sobretudo com essa imensa e apaixonada torcida. Esse espaço será utilizado para comunicar assuntos relevantes, com contribuição da equipe de comunicação. Nossas ideias e propostas estão claras e disponíveis nas várias entrevistas e "lives" que participei nessa caminhada. Muito obrigado pelo apoio de grande parte da torcida, conselho, sócios, funcionários, patrocinadores, amigos, dos meus companheiros de chapa, minha família e de todos incentivadores. Que Deus nos ilumine e que venha o centenário. Vamos em frente, Nação Azul!".

Além dos presidente e vices da instituição, houve a escolha da nova mesa diretora do Conselho Deliberativo. 

Herança de dívidas 

Desde a renúncia de Wagner Pires de Sá, em dezembro de 2019, a Raposa estava sendo administrada pelo Conselho Gestor. Agora, o novo dirigente terá um caminho sinuoso pela frente. Condenado pela Fifa, o time celeste irá começar a Série B do Campeonato Brasileiro com menos seis pontos

Para piorar, o Cruzeiro ainda corre o risco de nova punição. O clube precisa quitar mais de R$ 10 milhões com o Zorya Luhansk, da Ucrânia, até 29 de maio, pela aquisição do atacante Willian Bigode, em 2014. Sem contas os outros débitos por transferências de atletas: Caicedo (Independiente del Valle), Arrascaeta, Riascos (Morelia) e Rafael Sóbis (Tigres). 

O incêndio parece não ter fim. Segundo o balanço financeiro divulgado pelo Cruzeiro, o déficit no ano passado foi de R$ 394,1 milhões. O valor total do rombo é de R$ 803 milhões.

VAVEL Logo