#BrasileirãoNaVAVEL: Paulistas entram no campeonato em momentos divergentes
Foto: Rodrigo Coca/Agência Coritnhains

A expectativa pela estreia do Brasileirão aumenta a cada dia e os torcedores vão palpitando sobre  que lugar os seus clubes terminarão no final do campeonato, de acordo com o rendimento visto nos estaduais.

Em São Paulo, podemos separar a situação dos times pelos clássicos que disputam. No caso de CorinthiansPalmeiras e RB Bragantino, os três vivem momentos de evolução e as ideias de seus técnicos começam a ficar cada vez mais claras, formando o time ideal para o restante do ano.

Do outro lado, Santos e São Paulo caíram na fase de quartas de final do Paulistão, considerado um vexame para os times da capital e da baixada, além de viverem turbulências nos bastidores, pois atravessam o ano de eleições para a presidência e as gestões atuais deixaram muito a desejar, colocando os times em dívidas e maus negócios.

Corinthians

O clube do Parque São Jorge reencontrou os bons resultados após a parada do futebol pela pandemia da Covid-19, construindo uma defesa sólida com Cássio, Gil e Avelar, que encaixou muito bem no sistema defensivo após a saída de Pedro Henrique. O meio campo também se reforçou após a retomada do futebol, Éderson aproveitou a chance cedida por Tiago Nunes e não saiu mais do time, marcando gols fundamentais para a ida do Timão à mais uma final de Campeonato Paulista, usando de um atributo que era pouco utilizado pela equipe alvinegra, o chute de fora da área. No ataque, o clube ganhou o reforço de Jô, que ao lado de Boselli pode ser bastante mortal no setor ofensivo. 

Demorou bastante até que as ideias de Tiago Nunes fossem vistas dentro de campo, porém o treinador soube equilibrar o time e passou a utilizar da retranca em alguns jogos, fator muito conhecido em Itaquera.

Para ficar de olho: Éderson e possivelmente Cantillo, caso esteja em forma para jogar, podem formar uma dupla de volantes bastante criativa, com o colombiano auxiliando na saída de bola e o camisa 15 infiltrando para o ataque. 

Palmeiras

Foi o time mais constate dos quatro grandes desde o começo do ano, sofrendo poucas derrotas e não tendo quase nenhum jogo que foi inferior ao adversário, criando muitas chances e não deixando a bola chegar facilmente ao gol de Weverton.

Após a venda de Dudu para o Catar, Vanderlei Luxemburgo não encontrou ainda um substituto para a posição, chegando a testar vários jogadores pelo meio, como Willian, Ramires, Lucas Lima, Raphael Veiga e Gabriel Menino, porém o técnico ainda não achou o jogador que seja o titular absoluto da posição, assim como era o ex-camisa 7 alviverde.

Rony ainda não se achou com a camisa palmeirense, fazendo jogos bem abaixo do que mostrava no Athlético Paranaense, seu antigo clube. Já sendo até contestado se ele merece realmente ser o ponta titular de Luxemburgo. Porém a história é outra na volância, pois Patrick de Paula entrou no time e não saiu mais, sendo uma peça fundamental tanto na defesa como no ataque.

Para ficar de olho: Luiz Adriano vem desempenhando papel fundamental no ataque, podendo ser desde um pivô e segurando a bola para a chegada dos pontas, até um falso 9, ajudando na criação de jogadas junto com os meias.

São Paulo

Era tido como o favorito para ser campeão do Paulistão ao lado do Palmeiras, sendo o primeiro time a se classificar para o mata-mata, decepcionou a torcida com uma atuação decepcionante diante do Mirassol, não mostrando poder de reação e sendo inferior a equipe do interior em vários momentos da partida. Os bastidores também não ajudam, pois é ano de eleição no clube e o presidente Leco sai sem conquista sequer um título com o soberano, deixando o clube nas dívidas e fazendo vendas de jovens jogadores que muitas vezes eram questionadas.

Fernando Diniz precisa recuperar a confiança do elenco novamente, após parecer que finalmente teria um trabalho de sucesso em um grande clube e os jogadores comprarem a ideia do treinador, tudo foi por água abaixo quando foi eliminado do Paulista e vários jogadores passaram a ser questionado, como Juanfran, Reinaldo e Arboleda.

Para ficar de olho: Caso o elenco recupere o estilo de jogo imposto por Diniz e que deu muito certo na primeira fase do Paulistão, o tricolor pode dar trabalho, pois tem boas peças no elenco.

Santos

Talvez o time entre os grandes de São Paulo que vive momento mais difícil, pois perdeu Everson e Sasha por ações judiciais e foi obrigado a liberar os jogadores, alem de estar em uma crise financeira enorme, devendo quatro meses de salários para os jogadores e com varias falas do presidente José Carlos Peres que revoltaram a torcida.

A começar pela decepção na contratação de Jesualdo, pois todos esperavam que o português fosse manter o trabalho deixado por Sampaoli, porém o time da Vila Belmiro mostrou muitas fragilidades ofensivas e defensivas, dependendo em muitos jogos da qualidade de Soteldo e Marinho para sair com a vitória.

Peres é um dos principais culpados pela fase do time de acordo com os torcedores, pois tomou decisões sozinho e que prejudicavam todos os funcionários do clube, havendo uma quebra da comunicação entre jogadores e diretoria.

Para ficar de olho: A dupla gringa, Soteldo e Sanchez, contando com a parceria de Marinho, podem salvar o Santos de várias derrotas, pois os três se conhecem bem e mostraram isso em 2019.

RB Bragantino

Tentando se firmar entre os grandes, Bragantino apostou em varias promessas deixadas de lado pelos outros times, como o caso de Artur e Morato, que hoje são fundamentais no esquema de Felipe Conceição.

O clube do interior fez a melhor campanha da fase de grupos do Paulistão, além de ter vencido Palmeiras e São Paulo com autoridade.

Foi eliminado para o Corinthians nas quartas de final, porém assustou diversas vezes o goleiro Cássio, mostrando a força ofensiva que o time terá em 2020 para a disputa do Brasileirão.

Para ficar de olho: O atacante Artur tem tudo para ser o destaque dessa equipe, após mostrar o seu talento no estadual, o jovem atacante pode ser a cara do RB Bragantino no Campeonato Brasileiro.

VAVEL Logo