Clube de Conselheiro Lafaiete, Meridional recebe investimento para retomar futebol profissional
Foto: Acervo Carlos Henrique Pio

O estado de Minas Gerais é repleto de boas histórias. De canto a canto é possível escutar as mais variadas crônicas do dia a dia do cidadão mineiro.

No futebol, o estado tem como grandes forças o América-MG, Atlético-MG e Cruzeiro. Contudo, o interior contém diversos clubes que dão o que falar em suas respectivas cidades.

Hoje, iremos contar a história do Meridional Esporte Clube, equipe da cidade de Conselheiro Lafaiete, fundado em 1922. Mais conhecido como "tatu". O seu nome é em homenagem a Companhia Meridional de Mineração do Morro da Mina.

A grande vitória contra o Atlético 

Durante a década de 1950 até o ano de 1962, o Meridional disputou o Campeonato Mineiro enfrentando clubes tradicionais. O "Meri", como é carinhosamente chamado por sua torcida, venceu o Atlético em uma partida inusitada.

Em 10 de março de 1960, os jogadores do Meridional  se dirigiam para a capital Belo Horizonte para jogar a partida contra o Galo. No entanto, no meio do trajeto, a delegação se deparou com um imprevisto: seu ônibus havia estragado. A equipe saiu as margens da BR 040 para buscar uma carona a fim de chegar ao estádio Antônio Carlos, atual Independência.

O Meridional conseguiu a carona para o estádio e chegou quase no fim dos 15 minutos de tolerância impostos pelo árbitro. O tatu conseguiu a vitória contra o Atlético por 2 a 1 e foi recebido com muita euforia no dia seguinte.

O clássico Me-Me

No período em que esteve no Campeonato Mineiro, o Meridional fazia um clássico ferrenho contra o Metalusina da cidade de Barão de Cocais.

Em entrevista à VAVEL Brasil, Carlos Henrique Pio, ex-jogador e ex-presidente do Meridional, falou sobre o clássico feito pelas duas equipes:

“Meridional e Metalusina tiveram origens parecidas, o Meri se originou com base na Mineração e, o Metalusina com base na metalurgia. A partida entre os dois representava muito pois ambos não conseguiam bater de frente com os times da capital, apesar do Meri ter vencido o Palestra Itália algumas vezes. Por esse motivo, o “Me-Me” era tido como uma grande partida para decidir quem era o melhor time do interior”.

Como curiosidade, Carlos comentou sobre a influência do time da cidade de Barão de Cocais na conquista atleticana da Taça do Gelo.

“O Metalusina tem até uma passagem interessante. Quando o Atletico foi campeão do gelo alguns jogadores do Metalusina foram emprestados para o Atlético. O que acirrou ainda mais a rivalidade com o Meridional que venceu o Atlético”.

O clássico perdeu forças em 1961 quando o Metalusina foi rebaixado. Posteriormente, em 1962, o Meridional também seguiria o caminho do rival e assim, encerraria suas atividades profissionais no ano de 1969.

Abaixo, um recorte do jornal Folha Mineira datado de setembro de 1952 que mostra o confronto entre os dois clubes.

(Foto: Hemeroteca Digital Brasileira)
(Foto: Hemeroteca Digital Brasileira)

Rivalidade Municipal

Além do Meridional, outro time bem famoso na cidade de Conselheiro Lafaiete é o Guarani Esporte Clube

Outrora, os clubes paralisavam a cidade quando entravam em campo nos famosos gramados lafaietenses. O Estádio Barrancos , atual Estádio Meridional, casa do Meri e, o ​​​​​Estádio Vista Alegre, abrigaram o clássico mais badalado da cidade durante décadas.

A rivalidade se dava graças as intrigas da parte alta, acima da linha do trem  com a parte abaixo da linha e vice-versa. O Guarani representava a parte de baixo enquanto o Meridional representava a parte de cima. Então, no apito inicial do juiz, dava-se início a um grande espetáculo na cidade!

Questionado sobre a partida, Carlos relatou com ar de saudades daquele que um dia fora o aclamado clássico lafaietense

“Olha eu posso te falar que pela tradição dos dois times seria como um Cruzeiro e Atlético-MG. São os dois times que de fato tem essa rivalidade mais acirrada. Por serem os mais antigos e por ser os times que tiveram mais destaque nesse período que teve o auge do Meridional e o Guarani também não ficou atrás. As partidas eram muito disputadas os dois times traziam jogadores de fora. Inclusive dois dos melhores goleiros de Minas eram daqui Laporte (Guarani) e Otávio (Meridional). Então, esse destaque acabou criando essa rivalidade de provar quem era o melhor”.

Projeto de Reestruturação

Após anos e anos lidando apenas com as categorias de base e o futebol amador, o Meridional recebeu, no dia 9 de julho, o anúncio de um mega investimento da parceria entre a diretoria do clube e a Construtora Projeto.

O investimento consiste na construção de um complexo esportivo moderno que prevê a geração de 80 a 120 empregos. A agremiação esportiva receberá um estádio novo, com os padrões definidos pela Fifa capacidade para até 1500 torcedores.

Os investidores prometeram entregar o novo Estádio Dr. Mário Rodrigues Pereira no ano de 2022, ano em que o clube completa 100 anos de existência.

No projeto da obra, está prevista a abertura de lojas projetadas na fachada do estádio, iluminação, vestiários, arquibancadas, salão de eventos, estacionamento sobre as lojas, bar, bilheteria, salas administrativas, memorial, cabines e tribuna. 

Ao ser perguntado se o projeto do novo estádio trará novas perspectivas de emprego para a cidade, Carlos se mostrou otimista

“Depois da obra pronta, a ideia a principio a primeira parte que vai ser entregue é o estádio e mais dezenove lojas na fachada. O próprio campo é mantido na base do voluntariado já não vai poder mais. Vamos precisar de mão de obra qualificada pra poder manter a grama verde e a estrutura funcionando”.

A construção do estádio irá representar um grande passo no futebol da cidade, reavivando o entretenimento e a paixão pelo futebol local. Além da geração de aproximadamente duzentos novos postos de trabalho.

VAVEL Logo