Rogério Ceni exalta consistência do Fortaleza contra o Inter: "Fizemos um jogo sólido"
Foto: Ricardo Duarte / SC Internacional

Após bater o até então líder Internacional por 1 a 0, o técnico do Fortaleza concedeu coletiva sobre a importante vitória do Leão. Rogério Ceni iniciou sua coletiva com uma dissertação sobre a dificuldade do jogo e o diferencial de sua equipe.

“Foi um jogo muito parelho, nós competimos muito com o Inter, que é um time de ótima força física, além de um ótimo time que se encontra na primeira posição do campeonato, jogou com Edenilson e Patrick, são os dois motores ali do lado, naquele diamante que o Inter joga com um cinco, um dez e dois oitos ali por fora. Eu acho que nós competimos até o fim e fizemos um jogo sólido, um jogo com poucos riscos, com poucas chances sofridas de tentativa de gol. Mas eu falo, é um time que tem muita alma, muito coração e supera todas as dificuldades que a gente possa ter, que a gente possa encontrar.”, Disse o ídolo tricolor.

O treinador também falou sobre a evolução da equipe e a importância da vitória sobre o Internacional.

“A evolução é muito relativa, porque quando você ganha você evolui, quando você perde você ‘involui’, as pessoas avaliam dessa maneira. Eu avalio que nós fizemos um jogo contra o Grêmio em que sofremos um pouco mais, por ser fora de casa e por ter um pênalti extremamente duvidoso, marcado contra nós, e hoje eu acho que a gente jogou melhor a partida porque a equipe adversária finalizou menos do que o Grêmio, e nós conseguimos contra um time que, para mim, é um dos melhores times do Brasil, sem dúvidas nenhuma. Nós conseguimos uma vitória que para nós é fundamental, para se manter longe da zona de rebaixamento.”, Destacou Rogério.

Ceni foi perguntado sobre a importância do gol para Felipe e deu a seguinte resposta:

“O Felipe é um jogador bem frio, dentro do campo de jogo, no bom sentido, ele é um jogador que não sente jogos, ele não muda a maneira de jogar, independente do adversário, e ele tava precisando, a gente cobra bastante dele, e a gente vinha treinando bastante bola parada e ele no rebote com a finalização e no jogo na cobrança do lateral ele teve sorte”.

Pés no chão

O técnico também colocou os pés no chão e descartou a ideia de que o Fortaleza é o “time a ser batido”.

“O Fortaleza não é o time a ser batido não. Os times a ser batido são os times que ganham títulos e tudo. O Fortaleza é um time que procura competir com os demais, mesmo não tendo a mesma condição financeira e estrutural.”, Ressaltou Ceni.

Rogério também falou que vencer os favoritos ao título, no Castelão, não é nada fora da curva.

“Ganhar do Grêmio aqui (Castelão) não é fora da curva, ganhar do Santos aqui não é fora da curva, aí também eu não consigo entender o que é fora da curva. Não existiu a vitória contra o Inter aqui, ano passado, isso é uma verdade, eu não estava mas não existiu. (...) Mas existiram boas vitórias ano passado, nós vencemos 15 jogos, alguns times que são até mais tradicionais que o Internacional. Apenas essa vitória ela ajuda muito o time, você ganhar do líder do campeonato é sempre fantástico, para uma equipe que não briga pelo título”.

O próximo compromisso do Fortaleza é contra o Santos, na Vila Belmiro, no próximo domingo (27), pelo Brasileirão. Com a vitória sobre o Internacional, o Fortaleza chegou à 8ª colocação e colou no G-6.

VAVEL Logo