Claudinei Oliveira detona arbitragem após derrota do Avaí para Confiança: "Inadmissível"
Técnico do Leão (em primeiro plano) acredita que pênalti que abriu o placar condicionou a partida (Foto: Luiz Neto/AD Confiança)

Avaí tinha chance de assumir a vice-liderança e encostar na ponta da Série B, mas, ao invés disso, termina a 30ª rodada com apenas um ponto de vantagem no G-4. O Leão saiu reclamando muito da arbitragem na derrota para o vice-lanterna Confiança por 3 a 1, na Arena Batistão, neste sábado (16).

A principal reclamação é do pênalti que abriu o placar, quando Lohan caiu na área após dividida com Diego Renan. A árbitra Edina Alves Batista não marcou inicialmente, mas foi chamada pelo VAR e acabou mudando sua interpretação.

O Avaí chegou a empatar, o Confiança perdeu outro pênalti (este claro e também marcado pelo VAR), mas fez o segundo poucos minutos depois e, no último lance do jogo, ampliou no contra-ataque.

Técnico do Avaí, Claudinei Oliveira criticou muito a arbitragem e classificou a atuação do VAR como inadmissível.

"Éramos donos do jogo até a participação da senhora Daiane Caroline de Muniz (árbitra do VAR). Quando a gente venceu o Botafogo, eu reclamei para não colocar árbitros de estados que tivesse interesse no jogo. Também já falei que, já que o campeonato começou sem VAR, deveria terminar sem, mas que viesse para trazer justiça, não para favorecer algum time ou para ressuscitar quem não tinha chance", disse.

"A Edina é árbitra Fifa, estava bem posicionada. Eu revi o lance, é brincadeira. O Diego Renan chuta a bola e o cara cai no sentido contrário. Nem ele pediu pênalti. Ela procurou o pênalti. A gente não entrou no futebol ontem. Temos que ver o que fazer nos bastidores para não sermos prejudicados. Depois do jogo, a Edina veio para mim, pediu perdão se errou, mas foi realmente esquisita a arbitragem", completou Claudinei, que, além do pênalti, citou um momento em que a arbitragem esperou Rafael Vila entrar após Willians Santana sair machucado.

"Merecíamos a vitória"

Claudinei acredita que o time foi superior - terminou a partida com 67% de posse de bola e 15 a 11 em finalizações - e que jogou para vencer.

"Nossa equipe fez o que tinha que fazer. Atacamos o tempo inteiro, criamos várias chances de gol, faltou converter. Achei até que nosso time teve bom equilíbrio emocional, continuou jogando, buscando vencer mesmo após conseguir o empate. Fomos melhores, merecíamos a vitória. Eles foram mais eficientes, lógico que tivemos falhas, mas não dá para deixar a penalidade de lado, quando a gente dominava o jogo. Agora nos resta guardar a indignação e usar como força".

Com 50 pontos, o Avaí está na quarta posição, um acima do CRB, que é o quinto. O Leão volta a campo na sexta-feira (22) diante do Cruzeiro, na Ressacada, às 21h30.

VAVEL Logo