Tira casaco, bota casaco...
Foto: Divulgação / SL Benfica

Ao fim da temporada, o Flamengo saiu em busca de um novo comando técnico para o ano de 2022. Como era esperado, o plano era trazer um treinador europeu, incumbido de tornar real o desejo do clube Marcos Braz  e Bruno Spindel  seguiram rumo ao velho continente.

No primeiro momento alguns nomes foram ventilados pela imprensa, Carvalhal, Andre Villas Boas, Leonardo Jardim foram alguns desses nomes, e fazendo uma grande sombra sobre todos os canditados, Jorge Jesus sempre surgia, e sempre foi um nome que a torcida do Flamengo desejava.

O que era um sonho distante começou a ganhar contornos de algo real, encontros, comentários, pressão, foram ingredientes que se transformaram em um verdadeiro filme de ação, suspense, ou até mesmo uma comédia.

No enredo desse filme a figura do protagonismo nunca esteve com o Flamengo, diante de todo o cenário Jorge Jesus aparecia sempre com os holofotes, logo que teve a cena do filme em suas mãos desconversou, deu a deixa para o Benfica, que como todo bom vilão fez questão de boicotar a cena do beijo.

Foram várias declarações da mídia em Portugal afirmando que JJ e sua comissão não teriam interesse em regressar ao Brasil, o tempo era um inimigo silencioso, mas que sempre esteve no caminho do clube Brasileiro.

Contornos dramáticos

Foto: Divulgação / SL Benfica
Foto: Divulgação / SL Benfica

E como todo bom filme hollywoodiano, a trama principal ganhou contornos dramáticos, Marcos Braz fez questão de mostrar que não sairia de Portugal sem um nome em mãos. Mudou a data de retorno ao Brasil dando a entender que havia uma esperança pela saída amigável de Jorge Jesus, já que após a derrota do Benfica no jogo contra o Porto muito se falava que a permanência do treinador seria improvável.

JJ até então publicamente através de seu braço direito João de Deus negou qualquer possibilidade de não cumprir seu contrato até o final, colocando a diretoria do Flamengo em uma sinuca de bico, praticamente forçando o clube a desistir de sua contratação por todas as dificuldades impostas.

O filme tomou outro caminho. A direção do Flamengo escolheu Paulo Sousa, e ao anunciar a nova opção, ocorreu uma reviravolta sem precedentes: Jesus, de uma hora para a outra, foi demitido pelo presidente do Benfica.

De repente quem era herói virou vilão e o filme que até então era de ação para os espectadores virou um drama ou uma comédia estilo pastelão americano dos anos 90.

E o capítulo final?

A torcida do Flamengo está completamente dividida, alguns com a impressão de que mais uma vez JJ usou o clube para conseguir o que queria, outra parte dos torcedores culpam a diretoria pelo desfecho por não terem esperado mais alguns dias.

O filme ainda não acabou e quem pensa que sabe o final dessa história, faça como eu e aguardem as cenas dos próximos capítulos.

VAVEL Logo