Após empate do Palmeiras na Serrinha, Abel critica arbitragem e antijogo do Goiás
César Greco/Palmeiras

Na tarde deste sábado (16), o Palmeiras empatou no último minuto contra o Goiás, no Estádio Hailé Pinheiro, a Serrinha, em Goiânia/GO. O duelo de equipes verdes foi válido pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro 2022. Apesar do resultado inesperado, o Abel Ferreira deixou claro que gostou de ver a produção do time.

Segundo o técnico, a equipe teve ao menos oito oportunidades de gols, mas pecou na finalização e desperdiçou o triunfo.

"Muito honestamente, estamos tristes pelo resultado, mas a equipe produziu o normal. O time entrou muito forte no jogo, aos 20 minutos tínhamos uma finalização do Veiga após passe do Dudu em que o goleiro fez grande defesa e, a seguir, se lesionou e caiu no chão, não sei por quê. Caiu 34 vezes no chão o goleiro do nosso adversário, e é capitão da equipe, não só o goleiro. É goleiro e capitão, tem que passar um exemplo aos mais jovens".

Abel também criticou as quedas do goleiro do Goiás, Tadeu. A postura de retardar o andamento do jogo por parte dos atletas do Goiás durante a partida prejudicou o desenvolvimento do Palmeiras, e a atuação do juiz sobre a situação irritou a comissão técnica. 

"Eu não controlo isso, não é minha responsabilidade. Essa questão do antijogo é o árbitro quem controla. Eu só queria saber o tempo de jogo útil que tivemos aqui. Quem tem que ver se passou não sou eu ou meus jogadores. Começam a ter situações a mais contra o Palmeiras, só isso que eu digo. Tem o VAR, as imagens são claras, quando foi a altura do gol o jogador bate na bola e depois no Weverton. Eu não vi ninguém tocar na bola. Isso nos tira pontos e isso ao treinador custa caro. Quando o resultado não vem o treinador é mandado embora, e isso é muito sério", pontuou.

VAVEL Logo