Atlético-MG encerra fase de grupos da Libertadores com derrota para o Tolima
Foto: Pedro Souza / Atlético-MG

O Atlético-MG perdeu a chance de fechar a fase de grupos da Libertadores com a quarta melhor campanha. Sob vaias dos 34.339 torcedores, que apoiaram durante o decorrer do jogo, o Galo perdeu para o Tolima, por 2 a 1, pela sexta rodada da competição, no Mineirão. 

Com gols de Rangel e Lucumí, além de duas assistências de Plata, o El Indio Pijao colocou o fim da maior invencibilidade da competição: o time alvinegro volta a tropeçar após três anos, totalizando 18 jogos. O atacante Sasha evitou por alguns minutos tal quebra, mas tudo mudou, novamente, nos acréscimos.

Melhor chance na trave

Precisando de somar pontos para evitar qualquer surpresa desagradável, e assim garantir o segundo lugar, o time colombiano começou incomodando o Galo, adiantando suas linhas e rebatendo de qualquer maneira as ameaças nos arredores de sua meta. Tanto que conseguiu a primeira finalização ao gol, em chute de Rangel, mas Everson segurou firme. Depois, levou perigo na bola parada. Cataño cobrou falta na área. Quiñónes ajeitou para trás. Marulanda matou no peito e mandou por cima do travessão.

Empurrado pelos cânticos da torcida alvinegra, o Atlético ia se encontrando aos poucos em seu campo de ataque. Em jogada trabalhada, Nacho acionou Hulk da entrada da área, o camisa 7 devolveu, e o meia acabou isolando. Já Rubens foi no alvo. Ele pedalou pelo lado esquerdo, finalizou forte, obrigando Domínguez espalmar. 

Com paciência, o alvinegro rodou a bola de pé em pé, até Rubens receber lançamento na área. Ele subiu alto e testou firme. A bola explodiu no travessão.

Foto: Pedro Souza / Atlético-MG
Foto: Pedro Souza / Atlético-MG

Fim amargo

O Alvinegro retornou para a segunda etapa como terminou a anterior. Alugando o campo de defesa dos visitantes, porém, com uma certa dificuldade de furar a marcação. Hulk chegou a assustar em cobrança de falta colocada. A redonda saiu rente à trave. A eficácia da Vinotinto y Oro era colocada a prova quando escapava nos contra-ataques. Marulanda tocou para Ibargüen. O meia tabelou com Plata, que devolveu da linha de fundo, e fez o levantamento. Rangel apareceu para balançar as redes.

A resposta atleticana acaba sendo pelas beiradas do campo. Ademir cruzou rasteiro da direita. Jair ajeitou para o meio, Nacho e Hulk chegaram juntos, no entanto, é o camisa 7 que bate. Domínguez defendeu em dois tempos. Com o passar do tempo, o Tolima era astuto nos desarmes, logo, saia em velocidade. Rangel teve outra oportunidade, mas prendeu demais, levou para o meio e foi desarmado na risca da grande área. 

Pressão e blitz do Galo era formada na baliza colombiana. Os chutes de longa distância eram uma das alternativas. Nacho pegou a sobra de escanteio e encheu o pé. Domínguez tira de soco. Por precisar do resultado, o Indio Pijao se fechava, formando até uma linha de 5. A bola ia para ambos os lados, mas afastada pelos adversários. Domínguez acabou sendo mais exigido, realizando boas intervenções, mas falhou quando não podia. Após cobrança de escanteio de Arana, o goleiro furou na hora de cortar. Fábio Gomes desviou no meio do caminho e Sasha, o vice-artilheiro da temporada, igualou em seu nono tento. O alívio perdurou por pouco tempo. 

Nos acréscimos, Plata passou pela marcação de Hulk, e cruzou entre as pernas de Nathan Silva. Lucumí deu uma cavadinha na saída de Everson e a bola entrou lentamente, garantindo o triunfo vinotinto.

Situação

O Atlético-MG se classificou às oitavas de final como primeiro colocado do Grupo D, somando 11 pontos. Com o triunfo, o Tolima se garante na próxima fase da competição, termina em segunda e chega a mesma pontuação do Galo, mas leva vantagem no saldo de gols.

O que vem por aí

Os times voltam as atenções para as competições nacionais. O Galo encara o Avaí no domingo (29), às 19h (de Brasília). Por sua vez, o Vinotinto y Oro duela contra o Independiente Medellín, na quarta-feira (1º), às 22h05  (de Brasília).

VAVEL Logo