Após críticas de Roy Keane sobre dancinhas, Raphinha rebate: "Problema de quem não gosta"
Foto: Divulgação / CBF

Raphinha rebateu as críticas do irlandês Roy Keane, que hoje é comentarista esportivo em um canal de TV britânico. O ex-jogador do Manchester United criticou a forma em que os brasileiros comemoraram seus gols na goleada por 4 a 1 diante da Coreia do Sul, fazendo as famosas dancinhas. 

No intervalo da partida, quando já tinha saído os quatro gols brasileiros, o hoje comentarista Roy Keane fez sua crítica para as comemorações dos gols.

“Eu não consigo acreditar no que vejo. Nunca vi tanta dança. É como assistir ao Strictly (Come Dancing, uma espécie de Dança dos Famosos). Eu sei que tem o ponto da cultura, mas acho realmente desrespeitoso com o adversário. São quatro (gols) e eles fazem toda vez. A primeira dancinha ou seja lá o que façam, tudo bem. E então o técnico se envolve. Não fico feliz com isso. Não acho isso nada bom”, opinou Roy Keane.

Os jogadores brasileiros fizeram coreografias nos quatros gols marcados. Vinicius Júnior, Neymar, Richarlison e Lucas Paquetá foram os autores do tentos assinalados pela seleção canarinho. Após o jogo, o Raphinha foi perguntado sobre a opinião do ex-jogador irlandês, o atacante que não marcou hoje, mas participou das dancinhas com seus companheiros, rebateu: "Problema é de quem não gosta, porque vamos continuar fazendo".

Foto: Divulgação / CBF
Foto: Divulgação / CBF

Os jogadores fizeram diversas coreografias que são sucesso no Tik Tok. Mas a que talvez chamou mais atenção, foi a do segundo gol, marcado por Richarlison. Após balançar as redes, o artilheiro brasileiro correu na direção do banco de reservas e, ao lado de Tite, fez a sua famosa comemoração "Dança do Pombo". 

Por sinal, na entrevista coletiva pós-jogo, Tite também foi abordado sobre o assunto. O treinador disse que em momento algum a comemoração é uma forma de desrespeitar o adversário.

“Mas tenho muitos cuidados. Sempre tem os maldosos que vão entender como desrespeito. Eu falei para os atletas me esconderem um pouco, sei da visibilidade. Não queria que tivesse outra interpretação a não ser pela alegria do gol, do resultado, do desempenho, mas não desrespeito pelo adversário ou ao Paulo Bento, que tenho respeito muito grande. Aí não deu para esconder (risos)”, afirmou o treinador.

Foto: Divulgação / CBF
Foto: Divulgação / CBF
VAVEL Logo