Atlético-MG domina, bate Flamengo no Independência e dá salto na classificação

Empurrado pela torcida, Galo teve intensidade, velocidade e dominou todas as ações do jogo, freando as investidas Rubro-Negras na partida

Atlético-MG domina, bate Flamengo no Independência e dá salto na classificação
Foto: Pedro Vilela/Getty Images
Atlético-MG
2 0
Flamengo
Atlético-MG: VICTOR; MARCOS ROCHA, LEONARDO SILVA, GABRIEL (FELIPE SANTANA) E FÁBIO SANTOS; ADÍLSON (OTERO), RAFAEL CARIOCA, ELIAS E CAZARES; LUAN (YAGO) E RAFAEL MOURA | TÉCNICO: ROGÉRIO MICALE.
Flamengo: DIEGO ALVES; PARÁ, RÉVER, RHODOLFO E TRAUCO; MÁRCIO ARAÚJO, WILLIAN ARÃO E ÉVERTON RIBEIRO; GEUVÂNIO, BERRÍO (CUÉLLAR) E VIZEU (VINICIUS JR) | TÉCNICO: JAYME DE ALMEIDA.
Placar: 1-0, MIN 16, FÁBIO SANTOS. 2-0, MIN 53, RAFAEL MOURA.
ÁRBITRO: ELMO ALVES RESENDE CUNHA (GO), AUXILIADO POR FABRÍCIO VILARINHO DA SILVA (GO) E CRISTHIAN PASSOS SORENCE (GO). CARTÕES AMARELOS: GABRIEL, ADÍLSON, RAFAEL CARIOCA E ROBINHO (CAM) | RHODOLFO (FLA). CARTÕES VERMELHOS: TRAUCO (FLA).
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELA 20ª RODADA DO CAMPEONATO BRASILEIRO.

Neste domingo (13), o Atlético-MG recebeu o Flamengo, no Independência, e venceu por 2 a 0, com gols de Fábio Santos, de pênalti, e Rafael Moura. O confronto ficou marcado pela presença do técnico colombiano Reinaldo Rueda, que assistiu seus futuros nas arquibancadas do estádio.

Empurrados pelos torcedores, o Galo atropelou o Flamengo no Independência, um jogo após a eliminação na Libertadores. Já pelo lado do Rubro-Negro, o técnico Rueda, presente no estádio, assistiu a péssima atuação de seus futuros jogadores, e fez diversas anotações durante a partida.

Com a vitória, o Galo saltou para a nona colocação, com 26 pontos. Já o Flamengo, perdeu uma posição e está em sexto, com 29 pontos. Na próxima quarta, com a expectativa de estrear Rueda, o Flamengo enfrenta o Botafogo no Nilton Santos pela semifinal da Copa do Brasil. O Atlético-MG tem uma semana para trabalhar e só volta a campo no domingo, contra o Fluminense, também no Maracanã.

Galo marca alto, impõe velocidade e frustra ações do Flamengo

Com Cazares e Luan abertos na ponta, o Atlético-MG iniciou o jogo com muita intensidade e assim permaneceu até boa parte do primeiro tempo. Logo nos primeiros minutos, o Galo já havia finalizado duas vezes, as duas em erros forçados pelos atleticanos, e se utilizava das investidas de Trauco para criar pela direita, nas costas do peruano.

Com pouca velocidade na zaga e tendo que sair em contra-ataques, o Flamengo tentava de toda maneira se defender quando perdia a bola. Em uma bola alçada no meio de campo, Rafael Moura desviou para trás e encontrou Luan, a bola passou nas costas do lateral Trauco, que acabou puxando a camisa do atacante. Na cobrança, Fábio Santos converteu e abriu o placar.

Mesmo com o gol, o Atlético não parou de atacar e teve boas oportunidades de ampliar o resultado, enquanto o Flamengo se mostrava apático, abusava de lançamentos para Berrío e pouco criava quando tinha a bola. Entretanto, com um pouco mais da metade do jogo, Atleticanos e Rubro-Negros se revezavam em ataque e defesa, mas com pouca efetividade para ambos.

No fim do jogo os papéis se inverteram, o Flamengo se lançou mais ao ataque e até chegava, porém não conseguia o último passe ou até mesmo a finalização perfeita. Já o Atlético esperava o erro do adversário para sair em velocidade no contra-ataque com Luan e Cazares. O Flamengo ainda teve uma falta na lateral no último minuto do primeiro tempo, porém Éverton Ribeiro cruzou nas mãos de Victor.

Trauco é expulso logo no começo e deixa Flamengo perdido no segundo tempo

Logo no começo do primeiro tempo, algo incomum aconteceu. O árbitro Elmo Alves Resende marcou tiro livre direto para o Flamengo após o goleiro Victor ficar 11 segundos para repor a bola. Na cobrança, Márcio Araújo rolou mal a bola e o peruano Trauco bateu por cima, desperdiçando ótima oportunidade.

Na sequência do jogo, Trauco tentou um passe antes do meio de campo, perdeu a bola para Adílson e com a defesa exposta, se viu obrigado a fazer a falta, que resultou no segundo amarelo do peruano. Com o lateral expulso, o lado direito do Galo estava livre para atacar e assim fez. Enquanto Jayme preparava Renê para ocupar a faixa do campo ausente, Luan ganhou de Réver na ponta e cruzou para a área, onde estava Rafael Moura, pronto para escorar e ampliar o placar.

Com vantagem numérica em campo e também no placar, o Atlético trocava passes e esperava um espaço para acelerar o jogo e tentar aumentar ainda mais a vantagem, enquanto o Flamengo tentava explorar a velocidade de Berrío e a criatividade de Éverton Ribeiro, ambos pouco eficientes.

Aos 20, o técnico Micale tirou o volante Adílson e botou o meia Otero, que logo na primeira jogada fez Diego Alves trabalhar, com um belo chute de fora da área. Em contrapartida, Jayme sacou Vizeu e Berrío e colocou Vinicius Jr e Cuéllar, e transformou o time em uma espécie de 4-5-0, com Vinicius Jr e Arão abertos pelos lados do campo. Após a metade do segundo tempo, os times pouco finalizavam e muito menos criavam boas oportunidades de gol. Alguns lances isolados por parte dos Atleticanos marcaram o fim do jogo.