Em jogo de poucas chances, Ederson desencanta e Atlético-PR vence Coritiba no Couto Pereira

Atacante, que estava pressionado, marcou seu primeiro gol na temporada, reacendendo a esperança de ser integrado ao time principal

Em jogo de poucas chances, Ederson desencanta e Atlético-PR vence Coritiba no Couto Pereira
(Foto: Miguel Locatelli / Site Oficial CAP)
Coritiba
0 1
Atlético-PR
Coritiba: WILSON; CÉSAR BENÍTEZ, THALISSON KELVEN, ROMÉRCIO E WILLIAM MATHEUS; JULIO RUSCH, VITOR CARVALHO (THIAGO LOPES, MIN. 85), IAGO (YAN, MIN. 78), RUY (KADY, MIN. 66); GUILHERME PAREDE E ALECSANDRO. TÉCNICO: SANDRO FORNER.
Atlético-PR: SANTOS; GUSTAVO CASCARDO, EMERSON, ZÉ IVALDO E RENAN LODI; DEIVID, BRUNO GUIMARÃES E JOÃO PEDRO; GIOVANNY (DEMETHRYUS, MIN. 62), YAGO (FELIPE DORTA, MIN. 69) E EDERSON (LEO PEREIRA, MIN. 84). TÉCNICO: TIAGO NUNES.
Placar: 0-1, EDERSON, MIN. 55
ÁRBITRO: LUCAS PAULO TOREZIN (PR). CARTÃO AMARELO: BRUNO GUIMARÃES (ATLÉTICO-PR)
INCIDENCIAS: PARTIDA VÁLIDA PELA 4ª RODADA DO CAMPEONATO PARANAENSE 2018. FOI REALIZADA NESTE DOMINGO (3). ÀS 17H, NO COUTO PEREIRA.

Em partida válida pela 4ª rodada do Campeonato Paranaense 2018, Coritiba e Atlético-PR fizeram partida equilibrada no Couto Pereira, na tarde deste domingo (4). Com gol solitário de Ederson, o primeiro dele no ano, quem ficou com mais uma vitória em clássico foi o Furacão, mesmo atuando com uma equipe alternativa.

Com o resultado, o Atlético-PR chegou aos 10 pontos, ficando na liderança do Grupo B do Campeonato Paranaense, quatro a frente do vice-líder Londrina. O próximo compromisso do Furacão pelo estadual, será no próximo sábado (10), contra o Cascavel, às 16h30, no estádio Olímpico Regional.

Já o Coxa, continua com apenas uma vitória na temporada e agora fica na quarta colocação do Grupo A, com apenas cinco pontos conquistados. Agora o Coritiba volta suas atenções para a Copa do Brasil. A equipe Coxa Branca viaja até o Piauí para encarar o Parnahyba, na próxima quarta-feira (7), às 19h30, no Albertão. 

Defesas se sobressaem na primeira etapa

Logo no início da partida, o Furacão mostrou que não ficaria só no seu campo de defesa e apesar da forte marcação na saída de bola, conseguia trabalhar a bola no campo de ataque. Apesar disso, quando chegava próximo da área, o Atlético encontrava dificuldades de ficar na cara do gol defendido por Wilson. A alternativa era arriscar de fora da área, principalmente com Renan Lodi, que no primeiro minuto já assustou Wilson.

Já aos 7', foi a vez de Ederson mandar a bomba, mas Wilson fez uma grande defesa para evitar o primeiro gol do jogo. A partir dos 20', a equipe Coxa Branca conseguiu equilibrar a partida, explorando os espaços deixados por Cascardo, que não conseguia acompanhar a velocidade de Iago e William Matheus, que investiam nos cruzamentos, porém sem sucesso.

A grande e única chance do Coritiba só veio aos 23'. Iago Dias fez boa jogada com Ruy, que virou o jogo para Guilherme Parede. O meia bateu forte e a bola foi na rede pelo lado de fora, em um chute que Santos só torceu para sair. Daí em diante, os times começaram a pecar na troca de passes e não conseguiam oferecer mais perigo aos goleiros adversários.

Coritiba começa melhor, mas Atlético-PR vence o jogo

No começo dos 45 minutos finais, parecia questão de tempo que o Coritiba abrisse o placar no Couto Pereira, muito por conta da blitz que o time da casa exercia, sem deixar o time adversário respirar, tanto que logo aos 6', Santos foi obrigado a fazer grande defesa na jogada que começou com Ruy e terminou com chute de parede, justamente em uma roubada de bola na saída do Furacão. 

Com a falta de eficiência de seu ataque, a equipe alviverde logo foi castigada. Ederson sofreu falta ao lado da área e Giovanny foi para a cobrança. Mas a jogada acabou sendo ensaiada e quem bateu mesmo foi João Pedro, pegando a zaga Coxa Branca desprevenida e mandando no segundo pau. Ederson cabeceou com tranquilidade e colocou no fundo da rede, sem chances para Wilson.

O técnico Sandro Forner ainda tentou fazer várias substituições para ganhar mais poderio ofensivo, mas o time esbarrava na falta de criatividade. A única oportunidade foi com Vitor Carvalho, que sozinho na área, cabeceou fraco, que saiu sem perigo. Daí em diante, o Furacão só controlou o jogo e cedeu poucas oportunidades ao ataque do Coxa, garantindo a vitória no clássico.