Ataque funciona e Corinthians bate Santa Cruz no último jogo antes de Oswaldo

Timão sai atrás, mas conta com noite inspirada de Guilherme para virar e afundar o Tricolor, que permanece na vice-lanterna

Ataque funciona e Corinthians bate Santa Cruz no último jogo antes de Oswaldo
Foto: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians
Santa Cruz
2 4
Corinthians
Santa Cruz: Edson Kolln; Léo Moura, Danny Morais, Néris e Roberto; Uillian Correia, Jadson (Marion) e João Paulo (Wagner); Arthur, Keno e Grafite (Bruno Moraes).
Corinthians: Walter, Léo Principe, Pedro Henrique, Balbuena e Uendel; Camacho (Willians); Marquinhos Gabriel, Rodriguinho, Giovanni Augusto (Cristian) e Marlone; Guilherme (Lucca).
Placar: Grafite, aos 29 minutos do 1º T; Guilherme, aos 37 minutos do 1º tempo; Marlone, aos 2 minutos do 2º tempo; Guilherme, aos 9 minutos do 2º tempo; Keno, aos 35 minutos do 2º tempo; Lucca, aos 46 minutos do 2º tempo.
ÁRBITRO: Grazianni Maciel Rocha (RJ).
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 30ª rodada do Brasileirão Série A.

Em jogo de seis gols, o Corinthians venceu o Santa Cruz, de virada, por 4 a 2, na Arena Pantanal, Cuiabá (MT). Guilherme, duas vezes, Marlone e Lucca marcaram para o Timão, enquanto Grafite e Keno fizeram a favor do Tricolor. O resultado deixa o time paulista próximo ao G-6, com 45 pontos. Já a equipe pernambucana permanece na vice-lanterna, com 23 pontos.

O Corinthians voltou a vencer após seis jogos de jejum. O último triunfo havia sido contra o Sport, pela 23ª rodada, ainda com Cristóvão no comando. Agora, o clube aguarda por Oswaldo de Oliveira, que será o novo técnico do time até dezembro. A situação do Santa Cruz, por sua vez, piora cada vez mais. Essa foi a quinta derrota seguida do Tricolor, que ainda pode terminar a rodada na lanterna caso o América-MG vença o clássico contra o Atlético.

Na próxima rodada, o Santa Cruz vai até Campinas enfrentar a Ponte Preta, ao mesmo tempo que o Corinthians recebe em casa o América-MG. Ambos os jogos acontecerão no domingo (16), às 18h30.

Primeiro tempo corrido e equilibrado

O jogo começou bastante movimentado na Arena Pantanal. Logo no primeiro minuto, o Corinthians quase abriu o placar com Marlone, que recebeu passe de Marquinhos Gabriel e, na cara do goleiro, chutou para fora. Sem tempo para respirar, o Santa Cruz respondeu em seguida com Grafite. Apesar da má fase dos mandantes, o atacante Keno se destoou e iniciou a partida incomodando bastante a defesa corintiana.

Jogando praticamente em casa, já que o Santa vendeu seu mando de campo, o Corinthians tinha mais posse de bola, enquanto o time pernambucano esperava dar o bote nos contra-ataques, explorando a velocidade de Keno, destaque da equipe. E a estratégia deu certo. O Santa teve, pelo menos, três chances claras, com direito a bola na trave, todas oriundas da sua dupla de ataque.

Aos 29, o Tricolor, de tanto persistir, chegou ao gol. Keno recebe belo lançamento de Uillian Correa na esquerda, bateu colocado e, no rebote de Walter, Grafite abriu o marcador. Sem tempo para lamentar, o Corinthians reagiu rápido e empatou logo em seguida. Guilherme recebeu de Marlone dentro da área, bateu colocado no canto direito do goleiro e deixou tudo igual. No fim, o Timão ainda teve a chance de virar, mas sem êxito.

Corinthians volta melhor e consegue a virada

O segundo tempo iniciou bastante movimentado, da mesma forma que foi o primeiro. O Corinthians retornou mais ligado e logo aos três minutos, conseguiu a virada. Marlone recebeu passe de Camacho na direita, cortou para o meio, e bateu de perna esquerda no canto do goleiro. O Santa respondeu em seguida com Arthur, mas parou na defesa corintiana.

Aos nove minutos, os visitantes ampliaram. Giovanni Augusto cruzou da direita, Guilherme se antecipou a defesa e cabeceiou para o gol. Com boa vantagem no placar, o Corinthians diminuiu seu ímpeto, enquanto o Santa Cruz não abdicava de ir para o ataque. Prova disso é que aos 14 e aos 22, Grafite teve boas oportunidades para marcar, mas acabou desperdiçando.

Nos quinze minutos finais, o Santa Cruz foi todo ao ataque, à medida que o Corinthians demostrava cansaço e dava espaços. Como consequência disso, o Tricolor diminuiu o placar com Keno. Após boa troca de passes, o atacante aproveitou sobra da zaga e chutou firme, sem chances para Walter. Nos acréscimos, aos 46, ainda deu tempo do Corinthians ampliar com Lucca, que entrara na vaga de Guilherme.