Brasil massacra Bolívia e segue na vice-liderança das Eliminatórias

Futebol envolvente dos comandados de Tite não deu chances aos visitantes. Neymar, Philippe Coutinho, Filipe Luís, Gabriel Jesus e Roberto Firmino anotaram os gols da Canarinho

Brasil massacra Bolívia e segue na vice-liderança das Eliminatórias
(Foto: Pedro Martins/MoWa Press)
Brasil
5 0
Bolívia
Brasil: Alisson; Daniel Aves, Marquinhos, Miranda, Filipe Luís; Fernandinho, Renato Augusto, Giuliano (Lucas Lima, 33' 2ºT), Philippe Coutinho, Neymar (Willian, 23' 2ºT); Gabriel Jesus (Roberto Firmino, 21' 2ºT).
Bolívia: Lampe; Rodríguez, Raldes, Zenteno, Bejarano; Meleán, Azogue, Juan Arce (Ramallo, 10' 2ºT), Jhasmani Campos (Joselito Vaca, 19' 2ºT), Yasmani Duk (Pablo Escobar, 33' 2ºT); Marcelo Moreno.
Placar: 1-0, 10’ 1ºT, Neymar. 2-0, 25’ 1ºT, Philippe Coutinho. 3-0, 39’ 1ºT, Filipe Luís. 4-0, 44’ 1ºT, Gabriel Jesus. 5-0, 30' 2ºT, Roberto Firmino.
ÁRBITRO: Wilson Lamouroux (Colômbia). Cartões amarelos: Meleán (18’ 1ºT), Neymar (37’ 1ºT), Azogue (37’ 1ºT)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 9ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018. Local: Arena das Dunas, em Natal, Rio Grande do Norte, Brasil. Público: 30.013 espectadores. Renda: R$ 4.307.145,00.

Nesta quinta-feira (6), o Brasil jogou sua 50ª partida em casa na história das Eliminatórias para a Copa do Mundo. A marca foi atingida na Arena das Dunas, em Natal, capital do Rio Grande do Norte, contra a Bolívia, em compromisso válido pela nona rodada da corrida por vagas no Mundial da Rússia 2018. Com futebol envolvente, a equipe treinada por Tite não tomou conhecimento do time comandado pelo argentino Guillermo Angel Hoyos e aplicou uma impiedosa goleada de 5 a 0. Neymar, Philippe Coutinho, Filipe Luís, Gabriel Jesus e Roberto Firmino deixaram suas marcas no jogo.

+ TEMPO REAL: Brasil x Bolívia pelas Eliminatórias da Copa do Mundo

Esse resultado mantém a Canarinho na vice-liderança do certame sul-americano, agora com 18 pontos. O escrete verde e amarelo continua na cola do Uruguai, que hoje bateu a Venezuela por 3 a 0 e foi a 19 pontos. Enquanto isso, La Verde estacionou nos sete pontos e caiu para a vice-lanterna. Supera apenas a Venezuela, que soma irrisórios dois pontos.

Na próxima jornada, o Brasil visita justamente a lanterninha das Eliminatórias, às 21h30, horário de Brasília. Já a Bolívia recepciona o Equador às 17h. Ambos os compromissos estão agendados para a próxima terça-feira (11).

Brasileiros passeiam no primeiro tempo

A partir do momento em que o árbitro colombiano Wilson Lamouroux autorizou o início do embate, as equipes apostaram em sucessivas trocas de passes para chegar ao ataque. Contudo, as jogadas eram, muitas vezes, paradas com falta.

Aos poucos, a Seleção Brasileira tomou o controle do jogo. Teve mais posse de bola, com o objetivo de confundir os adversários e obriga-los a ceder espaços, e ditou o ritmo da partida. A primeira chance clara de gol nasceu de uma troca de passes entre Philippe Coutinho e Gabriel Jesus. Aos seis minutos, o meia deixou o atacante na cara do gol, e o camisa 9 mandou pela linha de fundo.

Dois minutos mais tarde, Coutinho cruzou à área e o goleiro Lampe afastou o perigo.

O gol brasileiro já parecia questão de tempo. E a expectativa não demorou para se tornar realidade. Logo aos 10 minutos, Neymar, que vinha sendo extremamente caçado pelos oponentes, ganhou do marcador no corpo e armou um contra-ataque. Em uma tabela rápida com Gabriel Jesus, o camisa 10 encerrou a eficiente jogada com gol. O lance empolgou os torcedores, que passaram a gritar “O campeão voltou”.

Depois de ser vazada, La Verde se viu obrigada a atacar. Contudo, os comandados de Guillermo Angel Hoyos paravam na compactação da defesa brasileira.

A rede voltou a balançar aos 25 minutos. Giuliano recebeu passe de letra de Daniel Alves, deixou um defensor no chão e rolou para o comandante do meio-campo, Philippe Coutinho, ampliar a vantagem dos donos da casa. O técnico Tite foi prontamente idolatrado pelos adeptos.

Mesmo com a diferença relativamente confortável de dois gols, o Brasil não quis saber de cozinhar o jogo. Seguiu controlando todos os setores do campo e tentando jogadas de efeito, sempre colocando a bola no chão. A Bolívia, por sua vez, adiantou sua marcação e passou a explorar as laterais e a bola aérea, mas sem êxito.

Na reta final da primeira etapa, Neymar novamente apareceu. Bastante pressionado pelos marcadores, ele achou uma brecha e deixou a solução para Filipe Luís aos 39. Elemento surpresa, o lateral-esquerdo saiu na cara do gol e não desperdiçou. Pouco tempo depois, aos 44, em jogada semelhante, o craque achou Gabriel Jesus em condições de marcar. O atacante tocou por cima de Lampe e fez 4 a 0. Virou passeio.

De volta à Seleção, Firmino completa a goleada

O segundo tempo começou morno. Os visitantes queriam o gol de honra, mas não levavam perigo. Já os anfitriões apenas cozinhavam o jogo e esperavam o tempo passar. A cada toque na bola, os gritos de “Olé” ecoavam na arquibancada.

No momento em que o relógio apontava oito minutos, Neymar arrancou, encheu o pé e obrigou Lampe a praticar boa defesa. Desequilibrado, Giuliano não aproveitou o rebote.

Aos 14, Neymar cruzou na cabeça de Gabriel Jesus. O arqueiro boliviano fez mais uma intervenção crucial. Lampe voltou a trabalhar dois minutos depois, em finalização mascada de Neymar.

As substituições feitas por Tite na segunda etapa deram novo gás à equipe. O Brasil acelerou o ritmo sem abdicar do estilo de jogo que o consagrou durante o confronto.

O quinto gol da Canarinho saiu com meia-hora de bola rolando. Philippe Coutinho cobrou escanteio e Roberto Firmino, que voltava à Seleção, subiu mais alto que a zaga boliviana e correu para o abraço. A torcida do Liverpool certamente adorou esse lance.

Nos instantes finais, o duelo esfriou. Os mandantes esperaram o tempo passar e saíram de campo com os três pontos.