Um ser equilibrista: a importância de Andrezinho para o Vasco

Como um camisa 7 experiente, o jogador organiza o grupo e ocupa várias funções no time invicto há seis meses

Um ser equilibrista: a importância de Andrezinho para o Vasco
Andrezinho, jogador importante para o grupo vascaíno que disputa a final do Cariocão (Foto: Divulgação/Vasco)

A história se iniciou no segundo semestre de 2015, quando um grupo de jogadores chegou ao Vasco da Gama a fim de fortificar o elenco para uma sequência de jogos importantes na busca da manutenção do time na série A do Brasileirão. A missão principal não foi cumprida, porém, outra foi proposta e a partir dessa vem colhendo boas vitórias. Contudo, neste grupo, um jogador de 31 anos se destaca.

O meio-campista Andrezinho desenvolveu seu futebol com os companheiros cruz-maltinos e assim como disse na pré-temporada em entrevista à VAVEL BRASIL que o entrosamento seria o ponto chave do elenco comandado por Jorginho. No Vasco da Gama, o jogador pode exercer múltiplas funções, dessa maneira o treinador credita muita confiança ao camisa 7, podendo organizar alterações táticas com apenas a movimentação desta peça da equipe.

Ano passado, o atleta ocupava o setor do meio campo pela direita e não tinha muita obrigação defensiva. Com um crescimento de rendimento no salto de uma temporada para outra, Andrezinho se tornou mais efetivo, ele possui uma média de 40 passes certos por partida, dá assistências a jogadas ofensivas e ao mesmo tempo em que se compromete com as funções de ataque, ele recompõe para efetuar os desarmes. Esta versatilidade do jogador é graças à formação de um tripé no meio campo vascaíno.

Um homem tático 3 em 1

Junto de Marcelo Mattos e Julio dos Santos, Andrezinho se mantem mais recuado. De segundo volante pela esquerda, para terceiro homem de meio ofensivo, ele é o articulador do time que fundamentaliza o esquema tático durante os jogos e preenche os espaços.  A tranquilidade das jogadas passam pelo seu pé, assim como a emoção da torcida a cada um dos 15 chutes a gol do Campeonato Carioca, se cinco deles foram para fora, outros dez fizeram a massa colocar a mão na cabeça e gritar gol em duas oportunidades.

Esquema tático vascaíno na organização de um ataque (Imagem: Ismael Schonardie)
Esquema tático vascaíno na organização de um ataque (Imagem: Ismael Schonardie)

Andrezinho é o responsável por ser o primeiro homem de transição e assim conduz o bloco de ataque vascaíno, formando um losango de qualidade na saída de bola com Marcelo Mattos, Julio dos Santos e Riascos. O atacante Jorge Henrique avança aberto para mesma linha de campo do colombiano. Com esse desenho, o ataque vascaíno tem sido bem efetivo, com a inversão rápida do paraguaio com Nenê que recebe muitos lançamentos primorosos de Andrezinho originando boas jogadas.

Planejamento da recomposição vascaína  (Imagem: Ismael Schonardie)
Planejamento da recomposição vascaína (Imagem: Ismael Schonardie)

Do primeiro passe para o primeiro combate, a peça curinga vascaína consegue correr todo o campo. Andrezinho controla e distribui as bolas vascaínas, assim o time do Vasco apresenta um grande domínio da posse de bola nos jogos e o jogador figura entre os cinco melhores do Campeonato Carioca em sua posição. Concentração importante para a marcação avançada empreendida pelo técnico Jorginho, pois há em uma linha de três volantes que apoiam os laterais.

Importante por onde passou, Andrezinho também quer fazer história no Vasco da Gama. Com o contrato prorrogado até maio de 2018, o camisa 7 do Gigante da Colina se mantém focado neste possível hexacampeonato invicto do Estadual para o Club. Contra o Botafogo, seu ex-time, neste domingo (8), os vascaínos vão para mais uma final no estádio do Maracanã, às 16h (Brasília), com a vantagem do empate, pois o primeiro jogo terminou 1 a 0 para os cruz-maltinos.