Exclusivo: atletas de jiu-jitsu fazem "vaquinha" online para disputar Mundial nos Estados Unidos
Foto: arquivo pessoal

Nesta sexta-feira (07), a VAVEL Brasil conversou com dois atletas que estão movimentando a internet em prol de um sonho. Os cariocas Udson Ramos e Vitória Santos, ambos com 19 anos de idade, participantes do projeto social Geração UPP na comunidade Cidade de Deus (Zona Oeste do Rio de Janeiro), estão arrecadando dinheiro através de uma "vaquinha" online e vendendo diversos produtos para disputar o torneio mundial de jiu-jitsu, organizado pela Internacional Brazilian Jiu-Jitsu Federation (IBJJF), nos Estados Unidos.

Durante a entrevista exclusiva, Udson explicou a importância deste campeonato em Long Beach, cidade localizada na Califórnia, e ressaltou as mudanças que a competição pode proporcionar.

“Temos como objetivo lutar lá porque a vida de muitos atletas mudaram. Atletas que vieram de outras comunidades e de outros lugares carentes conseguiram ter uma vida diferente através do jiu-jitsu. Com a gente adquirindo qualquer medalha do pódio no Mundial, conseguimos ter uma vida muito melhor. Conseguimos ter uma divulgação muito melhor porque foi isso que aconteceu com esses outros atletas. A nossa amiga foi para a Europa agora no começo do ano, ela ainda está lá e vai voltar essa semana, ela disputou o torneio europeu e conseguiu duas medalhas de ouro. Eu sei que a vida dela vai mudar completamente. Quando nós temos uma certa visibilidade dentro do projeto, ele já adquire novas oportunidades para conseguir levar outras pessoas e a gente gera a mesma oportunidade para si."

O projeto social Geração UPP pertence à Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ). O intuito do serviço de segurança estadual é previnir a violência nas comunidades da cidade através do esporte. O atleta opinou sobre esta atitude para reduzir os indices de criminalidade. 

“Eu acho esse projeto muito importante, afinal, tirou muitas pessoas da rua. Muitos jovens aderem a opção de entrar no tráfico para poder sustentar a família, ou seja, ajudar a mãe e os outros familiares. Entretanto, o projeto traz a possibilidade de mostrar que não temos só esta opção e que, sim, temos a possibilidade de sermos Seres Humanos melhores e podemos melhorar na vida. Isto me ajudou muito. Me transformou em uma pessoa melhor."

Ramos mora em Camorim, bairro localizado na Zona Oeste do Rio de Janeiro, e anda de bicicleta desde sua casa até o treino. São aproximadamente 7 quilômetros de distância. Já a Vitória mora na comunidade Cidade de Deus. Ela descreveu como é a rotina de ambos.  

“O treinamento é bem puxado. Ficamos desde 9h até 16h. De manhã, o treino é de 9h às 11h, almoçamos, descansamos um pouco, de tarde treinamos mais e depois vamos embora. O Udson vai para academia e eu vou para a faculdade. Todas as pessoas sabem que a gente não mede esforços para estar no treino. Se tiver só duas pessoas, treinamos só com essas duas pessoas. Evoluímos a cada treino."

A dupla estipulou como meta conquistar 10 mil Reais para realizar a viagem. O valor seria para custear as passagens (ida e volta), hospedagem, alimentação, translado, documentação e entre outros custos. Com isso, resolveram arrecadar doações através de uma "vaquinha" na internet e vendendo produtos, como: trufas de chocolate, sacolé e muito mais. 

“Em um dia de treino, a gente parou para conversar e, ao falar dos campeonatos futuros, o Udson estava pensando em lutar o Mundial. Eu não estava. Eu cogitava só no ano que vem. Me sentia muito incapacitada e não preparada. Ele conversou comigo e falou: ‘vamos juntos?’, eu respirei fundo e disse: ‘vamos’. Eu já esquematizei uma ‘vaquinha’ e só engajamos. Isso aconteceu na última sexta-feira. No mesmo dia, muita gente estava compartilhando”, contou Vitória Santos.

“A ‘vaquinha’ é muito recente. A Vitória está ajudando bastante. Eu não tenho muita popularidade, mas ela tem. Quando ela divulgou, muita gente já estava compartilhando, contribuindo e falando que vão contribuir. Eu sei que o valor parece ser muito alto, mas é 10 mil Reais para nós dois. É um sonho que parece ser impossível, mas o sonho só se torna possível quando colocamos ele em prática. Eu creio que vamos conseguir através da ‘vaquinha’ e vendendo os produtos em vários lugares”, disse Udson Ramos.

Outro aspecto relatado pela lutadora foi o fato de uma das poucas mulheres na academia. O ambiente esportivo ainda reflete algumas atitudes da nossa sociedade e no jiu-jitsu não seria diferente. Vitória comentou um episódio ocorrido com ela. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

O final é o melhor kk me sentindo a campeã mundial kkkk

A post shared by V.i.T.ó.R.i.A❤ (@vih_bjj) on

“Na minha academia, eu sou a menina que mais frequento. Lá tem algumas meninas, mas poucas. Eu estou todos os dias treinando. Teve um dia que eu estava treinando de manhã e de tarde, acabei colocando nos ‘stories’ e uma pessoa perguntou: ‘você não tem vergonha?’, respondi dizendo que não e perguntei por que eu teria vergonha. Com tudo, a pessoa disse: ‘você está lutando em um ambiente cheio de homens’. Eu respondi dizendo que se você está fazendo algo que ama, você faz por amor e não importa se tem um monte homens ou se não tem nenhuma menina para treinar."

Ambos os atletas são faixa roxa na modalidade. Udson acumula diversos títulos, como: campeão do Mundial (CBJJO - 2019), campeão do Sulamericano (CBJJO - 2019) , campeão do Campeonato Brasileiro (FJJD Rio - 2019) e muito mais. Já Vitória também têm várias conquistas, entre elas: campeã do Mundial (CBJJO - 2016), campeã mundial (CBJJO - 2015), bronze no Campeonato Brasileiro (CBJJ - 2016). 

O Mundial de jiu-jitsu, organizado pela Internacional Brazilian Jiu-Jitsu Federation (IBJJF), será realizado no The Walter Pyramid em maio de 2020. A arena está localizada em Long Beach, condado de Los Angeles, na Califórnia (EUA).

MEDIA: 5VOTES: 1
VAVEL Logo