Max Verstappen pode igualar Jim Clark como maior vencedor do GP do México
Foto: Divulgação/F1

A próxima parada da temporada da Fórmula 1 é no circuito Hermanos Rodríguez na capital mexicana. Após o turbulento GP do Japão, onde o fim de semana foi atrapalhado devido ao tufão Hagibis, a categoria desembarca na América com a possibilidade de Lewis Hamilton ser campeão pela sexta vez caso consiga 14 pontos a mais que Valtteri Bottas.

Para isso, o piloto britânico da Mercedes terá que quebrar o domínio de Max Verstappen no circuito. O piloto da Red Bull conquistou a vitória em 2017 e 2018 e poderá igualar um conterrâneo de Hamilton, Jim Clark, como maior vencedor do Grande Prêmio do México, quando o circuito nem tinha esse nome atual.

Magdalen Mixhuca 

Nem sempre o circuito Hermanos Rodríguez teve esse nome, como nem sempre o GP foi recorrente na história da categoria. A primeira corrida lá, nem fazia parte do campeonato mundial, ocorreu em 1962 no circuito Magdalena Mixhuca, nome do parque público onde está situado o circuito, com vitória dividida entre Jim Clark e Trevor Taylor, ambos da equipe Lotus-Climax

No ano seguinte, em 1963, a corrida aí sim valeu para o campeonato da época, e Jim Clark voltou a vencer com sua Lotus. O piloto britânico ainda conquistaria a vitória mais uma vez, em 1967, pela Lotus equipada com motor Ford. Dan Gurney, Richie Ginther, John Surtees, Graham Hill, Denny Hulme e Jacky Ickx venceram pelo menos uma vez com esse nome no circuito. 

Hermanos Rodríguez 

Após o GP do México em 1970, a Fórmula 1 não retornaria para o país na década de 70, devido a superlotação dos espectadores, retornando somente em 1986 já com o atual nome do circuito, em homenagens aos irmãos Ricardo e Pedro Rodríguez, pilotos que morreram em pista, sendo Ricardo falecido em acidente no circuito que leva seu sobrenome atualmente em 1962, Pedro falecera em 1971 em uma disputa de carros esportivos em Nuremberg, Alemanha. 

Nesse retorno após 17 anos, quem dominaram o circuito até sua nova pausa, se podemos dizer assim, foram Alain Prost e Nigel Mansell. O piloto francês tetracampeão da categoria venceu em 1988 com uma McLaren-Honda e dois anos depois, defendendo a Ferrari; enquanto o Mansell venceu em 1987 e 1994, as duas pela Williams.

Além de Prost e Mansell, o circuito teve as vitórias de Gerhard Berger, Riccardo Patrese e do brasileiro Ayrton Senna. A vitória de Senna em 1989 pela McLaren-Honda foi até hoje, a única vitória brasileira no circuito que passou 13 anos longe da categoria, retornando somente em 2015 com vitória de Nico Rosberg. Após esse retorno, o circuito teve também a vitória de Lewis Hamilton em 2016 e as duas citadas no ínicio, de Max Verstappen. 

O circuito 

O GP do próximo fim de semana será o 21º da história desse circuito de 4,304 km, além de Jim Clark como maior vencedor, a equipe Lótus é a maior vencedora em equipes, com quatro triunfos, McLaren e Williams vem logo atrás com três. Entre fabricantes de motor, melhor para a Honda com quatro  vitórias.

2018 Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer
2017 Max Verstappen Red Bull-TAG Heuer
2016 Lewis Hamilton Mercedes
2015 Nico Rosberg Mercedes
1992 Nigel Mansell Williams-Renault
1991 Riccardo Patrese Williams-Renault
1990 Alain Prost Ferrari
1989 Ayrton Senna McLaren-Honda
1988 Alain Prost McLaren-Honda
1987 Nigel Mansell Williams-Honda
1986 Gerhard Berger  Benetton-BMW
1970 Jacky Ickx Ferrari
1969 Danny Hulme McLaren-Ford
1968 Graham Hill Lotus-Ford
1967 Jim Clark Lotus-Ford
1966 John Surtees  Cooper-Maserati
1965 Richie Ginther  Honda
1964 Dan Gurney  Brabham-Climax
1963 Jim Clark Lotus-Climax
1962 Jim Clark e Trevor Taylor Lotus-Climax

 

VAVEL Logo