Após eliminação para Espanha, Fernando Santos explica dificuldades de Portugal no confronto
Foto: Divulgação/Portugal

Na tarde desta terça-feira (27), Portugal perdeu para a Espanha por 1 a 0, no Estádio Nacional de Braga, no norte do país, em duelo válido pela última rodada da fase de grupos da Nations League. O gol da Fúria foi marcado por Morata, aos 42 minutos do segundo tempo.

Portugal precisava apenas de um empate simples para se classificar para a semifinal da Nations League, mas a equipe recuou demais no fim da partida e viu Álvaro Morata anotar o gol da classificação espanhola aos 43 minutos da etapa complementar.

Após a partida, o técnico Fernando Santos explicou detalhes do confronto no que fez a equipe ser eliminada da competição há poucos dias da Copa do Mundo.

"A equipe esteve bem organizada no primeiro tempo. Chamei a atenção dos jogadores no intervalo. Estávamos a sair bem, apesar da Espanha ter mais posse de bola. Mas, faltava mais circulação da bola para desmontar a Espanha e alguma agressividade na pressão para recuperarmos mais rápido. No primeiro tempo criamos algumas oportunidades enquanto Espanha não criou nenhuma", avaliou o comandante.

"Entramos muito bem na segunda parte. Nos primeiros 15 minutos do segundo tempo, a equipe esteve mais ofensiva, pressionou mais e mais alto e criamos duas ou três situações de gols. A partir daí deixamos de ter bola, a equipe baixou linhas, deixou de pressionar e teve dificuldades'', disse o técnico português.

''O Jota pediu para sair. Agora não interessa nada, mas essa não era a substituição que ia fazer. Ia colocar o Jota numa posição diferente para que a equipe pudesse subir e ter mais posse. Coloquei o Vitinha e o João Mário para termos mais posse de bola e para jogarmos. Não conseguimos e começamos a recuar. Ainda assim, tivemos duas grandes oportunidades, mas não marcamos", acrescentou.

''A equipe estava reagindo muito bem nos primeiros 15 minutos da segunda etapa. Depois alguns jogadores acusaram algum cansaço e tiveram menos influência do que é normal. Era preciso refrescar a equipa e tentamos fazer isso. O João Mário entrou para dar equilíbrio, ter bola e circular de outra forma. A entrada do Rafael Leão e do Vitinha também foi para isso. Quando ia fazer mais duas substituições, uma para dar força ao meio-campo e outra para termos mais velocidade, sofremos o gol. Temos de manter o mesmo padrão de jogo independentemente do adversário. Conseguimos fazer isso durante algum tempo. Circulamos, pressionamos e criamos oportunidades. Na segunda parte estivemos ainda mais ofensivos no campo. Depois perdemos capacidade de ter bola. Ganhávamos a bola e não conseguimos ligar o jogo. A Espanha começou a empurrar, a empurrar e sem ter uma verdadeira oportunidade, marcou", comentou.

Com a eliminação na Nations League, Portugal agora fará os últimos ajustes até a convocação final para a Copa do Mundo que começa no dia 20 de novembro, no Catar. A Seleção Portuguesa vai estrear no dia 24, contra Gana, às 13h, no Stadium 974, na região de As Abu Aboud.

VAVEL Logo