As maiores revelações do Corinthians na história da Copinha
O Timãozinho é o atual campeão e está na final deste ano (Foto: Divulgação/Corinthians)

Recentemente consagrado Hexa Campeão Brasileiro e com títulos importantes do cenário continental e mundial nos últimos anos, a tradição do Corinthians na Copa São Paulo de Futebol Júnior, e a paixão de sua imensa torcida pelo torneio é muito mais antiga.

O Timão foi o clube que mais levantou taças do torneio de bases mais importante do país, foram 9 títulos ao todo. Mesmo com grandes elencos e jogadores revelados durante todos esses anos, raras excessões brilharam pelo elenco principal do clube. Entretanto, grandes jogadores que brilharam e ainda brilham em gramados europeus surgiram das categorias de base alvinegra e disputaram a Copinha.

A Copa São Paulo de Futebol Júnior teve seu início no ano de 1969, e o Timãozinho começou a competição vencendo suas duas primeiras edições. Após o bi-campeonato, o clube só voltou a vencer a Copinha nos anos 90, nos anos de 1995 e 1999. E foi no ano de 97 que Anderson Luís de Sousa, conhecido mundialmente como Deco surgiu.

Sendo protagonista em uma campanha fraca do Timãozinho, foi promovido ao elenco profissional, mas não conseguiu desempenhar um bom futebol. Após passagem pelo CSA de Alagoas, Deco brilhou na Europa, vencendo duas UEFA Champions League, uma pelo Porto, e outra pelo Barcelona.

No ano de 99, foi a vez do Timão revelar atletas consagrados tanto nas categorias de base quanto no elenco principal. Edu, hoje gerente de futebol do Corinthians e Kléber, lateral esquerdo, foram campeões da Copinha naquele ano, e já no ano seguinte, consagraram-se campeões mundiais diante do Vasco no Estádio do Maracanã.

O clube de Parque São Jorge voltou a ser bi-campeão da Copa São Paulo nos anos de 2004 e 2005. E foi nesse último que surgiu outra grande revelação do "terrão" alvinegro. Willian, o craque que brilha hoje nos gramados europeus e com a camisa amarelinha, surgiu naquela edição da Copinha.

Campeão do torneio, o jogador subiu para o time, na época, comandado por Emerson Leão e rapidamente se tornou titular. Porém, surgiu o futebol ucraniano com força, e em uma das negociações mais caras já realizadas pelo clube, o atleta foi transferido ao Shakhtar Donetsk por um valor estipulado em U$ 19 milhões (R$ 38 milhões na época).

Willian permaneceu no futebol da Ucrânia durante 6 anos, até ser negociado com o Anzhi da Rússia, em um valor astronômico estipulado em R$ 93,5 milhões. Em uma passagem apagada, Willian ficou durante seis meses no clube, até ser transferido para o Chelsea, onde hoje é titular absoluto e uma das peças mais importantes do clube inglês na temporada.

O ano de 2009 também terminou com a Copinha pintada de preto e branco. Mas foi no título de 2012, o penúltimo do alvinegro, qur os defensores foram o grande destaque da equipe. Entre eles Antônio Carlos, autor do gol do título na final diante do Fluminense, e o mais importante, o zagueiro Marquinhos. 

Mesmo jovem, o garoto já havia treinado no elenco do técnico Tite na temporada anterior, porém, foi integrado ao grupo da Copinha para dar experiência ao elenco. Após o título Marquinhos voltou para equipe profissional, onde naquele ano se tornou campeão da Copa Libertadores e campeão Mundial. 

Após um grande desempenho nessas competições mesmo não sendo titular absoluto, o Corinthians o negociou por um valor muito inferior ao que o talento de Marquinhos prometia, R$ 8 milhões foi o valor pago pela Roma para contar com o atleta.

O desempenho do zagueiro na Itália foi brilhante, fazendo com que o milionário Paris Saint Germain pagasse nada mais nada menos do que R$ 101 milhões pelo garoto de até então 20 anos de idade. Hoje, Marquinhos brilha na França, e mesmo com idade olímpica é constantemente chamado para a Seleção principal, do técnico Dunga.

VAVEL Logo