Em evento no Rio, Andrey declara amor ao Vasco: "Sempre fui vascaíno"
Foto: Jonathan Lucas/Vavel Brasil

Em evento no Rio, Andrey declara amor ao Vasco: "Sempre fui vascaíno"

Comentário do atleta foi na palestra do projeto "Craques da Paz", onde ele revelou detalhes da trajetória no futebol

jonathanlucas16
Jonathan Lucas

O meia Andrey, do Vasco, esteve presente em mais uma edição do projeto "Craques da Paz". O projeto tem como objetivo ajudar jovens que estão iniciando no futebol, ex-jogadores contam experiências vividas, além de conselho de jogadores do cenario atual do futebol. Nomes como Arrascaeta, Rodrigo Caio do Flamengo, Ramon lateral do Vasco, Digão zagueiro do Fluminense, Marcelo Benevenuto  zagueiro do Botafogo, já estiveram na palestra.

Além de Andrey, o cantor de hip-hop Biorki também compareceu no evento que acontece a cada terceira segunda-feira do mês.

Andrey teve um bom aproveitamento na reta final da temporada de 2018, quando o Vasco lutava para escapar do rebaixamento. Mesmo sendo marcador, pode ajudar a equipe marcando gols em diversas partidas. Maxi López, Yago Pikachu e Thiago Gualhardo também se destacaram. No entanto, na temporada atual, o jovem Andrey é reserva. Ele comentou sobre o último ano que jogou com mais frequência e explicou como lidar com a reserva.

"Foi um ano de muita gratidão em 2018, para esse ano eu esperava muito mais, tinha outro planejamento. Mas não entendemos o plano de Deus, só devemos trabalhar e lidar com a reserva, creio que devo esperar meu momento. Meu companheiro que esta jogando, esta em um melhor momento, tenho que trabalhar da melhor forma possível e me dedicar mais nos treinos. Preciso melhorar a parte física, técnica, para quando surgir a oportunidade eu poder dar o melhor e retomar minha posição", declarou o jogador.

Andrey conhece bem o Vasco, pois desde criança frequenta o clube. Ele contou como foi inicio no futebol e a chegada ao Vasco ainda garoto.

"Minha trajetória iniciou no Social clube aos cinco anos de idade no futsal, primeiro passei pelo Olaria e fui dispensado, aí fui para uma escolinha e me destaquei. O treinador na época disse que não poderia acrescentar tanto, caso eu fosse seguir carreira profissional e pediu para eu tentar fazer um teste em clube. Sempre fui vascaíno desde pequeno. O Vasco era mais próximo de casa, São Januário para Olaria, era rapidinho. Fui no Vasco, fiz o teste e fiquei uma semana no futsal, passei no teste e peguei o uniforme. Aí comecei minha trajetória no Vasco, aos sete anos, confessou.

Desde os sete anos, ainda criança, aprendeu a lidar com a cobrança na carreira. Ele comentou sobre as renuncias pela profissão.

"Ser jogador não é fácil, porque tem que se abdicar de muitas coisas, eu comecei muito cedo. A minha vida em alto rendimento começou com sete anos de idade, via os amigos brincando na rua e muitas vezes tive que ir dormir pois tinha treino pela manhã. É difícil ser jogador de futebol, porque você tem que abrir mão de muitas coisas. Eu falo que não tive infância. Tanto que quando estou de férias solto pipa e brinco com meu irmão", explicou o meia.

Confira outros trechos da participação de Andrey no projeto "Craques da Paz"

Dificuldades na carreira

Andrey: "Aos 14 anos de idade, no ultimo jogo do carioca de campo, subi numa disputa de bola com o Gerson do Flamengo, ai rompi o ligamento do joelho. Cheguei no doutor para saber da lesão, e ele disse que não jogaria mais em alto rendimento, porque meu joelho não seria o mesmo de antes. Cheguei chorando aos meus pais, e foi um momento difícil para mim. Fiz a cirurgia achando que não voltaria mais em alto rendimento. Fiz todo processo de recuperação, voltei, e três jogos depois fui dar um carrinho de lado e machuquei o joelho novamente. Nesse momento foi o mais difícil para minha vida, duas cirurgias no joelho, de 14 para 15 anos". 

Importancia da fé na trajetória

"No meio da lesão um tio evangélico veio e me apresentou a igreja, aí aceitei a Jesus e passei a seguir firme na caminhada com Jesus, foi aí que Deus começou a me honrar.Passei por um momento dificil de entender, de deserto, só depois fui entender que foi para os planos de Deus se cumprirem na minha vida. Depois de três meses voltei em um clássico, Vasco x Botafogo, comecei na reserva, isso no sub-15, estava praticamente nove meses parado. O Treinador me chamou para jogar os últimos 15 minutos, entrei em campo e corri para o meio, o cara saiu na cara do gol, tocou para o companheiro ao lado, ele errou sem goleiro...a bola sobrou para mim na marca do penalti, primeiro toque na bola depois de nove meses e fiz o gol. Presente de Deus. Fui correndo comemorar, olhei para arquibancada e minha mãe depois me contou que todos choraram, porque sabia da história".

Momentos de lazer

"Curto muito basquete, gosto de ver Nba, sou torcedor do Golden State Warriors. Quando estou de folga, gosto de soltar pipa, jogar bola e futvolei".

Oportunidade de trabalhar com o Luxemburgo

"Trabalhar com o Luxemburgo é uma honra, realmente o cara é diferente demais, é um grande treinador. Ele trabalha em um nível elevado, tira de você muita coisa, é um cara que estou aprendendo muito. Ele passa as experiências dele, os títulos que já ganhou. Ele mudou o semblante da equipe, o ambiente em si, porque é um cara que sabe gerir, um cara que sabe lidar com pessoas e é um excelente treinador".

Andrey deixa uma mensagem de incentivo

"Queria agradecer a todos pela oportunidade, sei que a nossa vida sem Jesus é impossível, um versículo que me marcou muito nessa minha caminhada foi Josué 1:9 (não te mandei eu? esforça-te e tenha bom animo, pois o Senhor seu Deus, estará contigo por onde quer que andares), levo isso pra minha vida todas as vezes que penso em desistir e parar. Olho para esse versículo e lembro da promessa que Deus tem na minha vida. Lembro de tudo que Deus já fez e cada detalhe. Então o que deixo aqui é que sejam fiel a Deus e tudo que fizerem. De o melhor de vocês, busquem sempre o alto rendimento, seja dedicado, as crianças obedeçam ao seus pais", finalizou o jogador.

VAVEL Logo