Barroca avalia derrota do Coritiba para Bahia e frisa: "Não tem tempo para se lamentar"
Divulgação / Coritiba Oficial

O Coritiba tentou, mas foi derrotado pelo Bahia por 1 a 0 nesta quarta-feira (12) no Estádio de Pituaçu, em Salvador, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. A equipe paranaense falhou em conquistar o primeiro ponto na competição e segue zerado.

Técnico da equipe verde, Eduardo Barroca falou sobre a partida em entrevista coletiva. Para ele, foi uma boa primeira etapa com chances em seu favor, porém, pequenos erros resultaram no placar negativo.

"O que aconteceu no primeiro tempo é que o Bahia jogou sem uma referência, com um losango e o Rodriguinho de falso nove. Foram bem sucedidos em alguns momentos. Em outros, a gente controlou muito bem. Entendo que o Coritiba fez um primeiro tempo com boas oportunidades de gol, com bola parada, um jogo em que tivemos mais posse de bola, finalização, oito escanteios com eles tendo apenas três. Infelizmente duas bolas na trave. Sofremos um gol, um conjunto de pequenos erros que culminou em um pênalti contra, algo que não pode acontecer em um nível de Campeonato Brasileiro porque você acaba pagando o preço", disse Barroca.

"Tem que começar a jogar contra o tempo, é toda uma carga emocional e é difícil jogar fora contra um Bahia em uma sequência que a gente enfrentando. É dar confiança aos jogadores que estão se dedicando, tentando diante de uma série de dificuldades. Hoje a sorte não esteve do nosso lado. Trabalhamos, lutamos, buscamos o segundo tempo todo a igualdade do placar e até virar. Jogamos em cima do Bahia, mas não tivemos competência e capacidade de botar a bola pra dentro", completou.

Desfalques do Coxa

A equipe da capital do Paraná sofre com desfalques importantes no elenco. Para solucionar o problema, o comandante precisou trabalhar com esquemas diferentes.

"Diante das ausências eu fiz uma opção de jogar com três jogadores com característica mais de área na frente para que a gente tivesse movimento de ataque à última linha do Bahia. Em alguns momentos funcionou, conseguimos bastante bola invertida, principalmente da direita para a esquerda com William Matheus e Robson. No segundo tempo eu dei uma alterada, utilizei dois jogadores por dentro. Tivemos mais facilidade para pressioná-los e criamos dificuldade na saída de bola deles. Muitos do meio campo como o Gabriel, Giovanni Augusto, Giovani, Thiago Lopes e Matheus Sales, não podem participar deste primeiro momento e me cabe dar confiança aos jogadores que eu tenho a disposição, fazer com que a competição interna continue firme. Não tem tempo para se lamentar", comentou.

Para Eduardo, os próximos desafios precisam ser prioridade com muito trabalho, calma, clareza e dedicação. Ele também aproveita para tranquilizar os apoiadores do Coxa.

"É muito importante ter serenidade para saber avaliar de uma forma racional. Saber que estamos enfrentando um primeiro ciclo muito difícil acumulado com as finais do Campeonato Paranaense e infelizmente o detalhe não está nos favorecendo. Tranquilidade para valorizar aquilo que está andando bem. Os jogadores tem tentado, o grupo é de caráter, tem compromisso com o clube e naturalmente daqui a pouco esse fator sorte vai virar em nosso favor."

"Precisamos trabalhar duro para ajustar uma série de coisas dentro de um campeonato que é muito difícil, com nível de adversários alto, especialmente este ano que não temos muito tempo para lamentar. Já temos outro jogo muito difícil no final de semana, é virar a chave o mais rápido possível, recuperar os jogadores, ajustar o que for necessário porque não da para lamentar bola na trave. É encarar de uma maneira frontal, mostrando ao nosso torcedor que estamos trabalhando duro para reverter essa situação", encerrou Barroca.

O Coritiba segue em 18ª posição na tabela, ainda sem pontuar. Na terceira rodada do Brasileirão, recebe o Flamengo, no Couto Pereira, às 19h30, no sábado (15).

VAVEL Logo