Tite fala sobre Gabigol, Neymar e Copa América após goleada sobre o Peru
Tite após Brasil 4 a 0 Peru (CBF / Reprodução)

O Brasil, mais uma vez, venceu sem muitas dificuldades na Copa América 2021. Na segunda rodada do Grupo B da competição, os brasileiros golearam o Peru por 4 a 0, atuando no Nilton Santos, no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (17). Na entrevista coletiva após a partida, Tite, treinador dos vencedores, comentou sobre dois jogadores em especial e sobre o torneio como um todo.

O primeiro atleta a receber palavras direcionadas foi Gabriel Barbosa - ou Gabigol, ou Gabi. Tite tirou a pressão do centroavante. "O futebol é feito de calma. Se não a gente cria uma expectativa excessiva e acha que o jogador já tem que entrar e produzir tudo o que ele faz no seu clube. Talvez, se tivesse o Everton com Gabriel e Neymar, seria melhor. Esses ajustes, a gente tem que ter calma. A gente vai trabalhando essas situações", destacou o treinador.

O técnico da Seleção Canarinho seguiu falando do centroavante. "Gabriel entrou muito bem no jogo anterior, e hoje tivemos muita dificuldade para encontrar espaço. Era agressiva a marcação do Peru. O Gabriel foi substituído, a equipe no primeiro tempo não ajudou, porque ele é um jogador de finalização. Outras oportunidades vão aparecer, ele vai brilhar", pontuou.

Como não poderia deixar de ser, Neymar também foi outro tema da entrevista coletiva. "Não sei onde o Neymar pode chegar. A capacidade técnica... torço muito para que ele tenha saúde, não machuque, tenha essa maturidade. A gente está conseguindo dentro da Seleção, e nós damos uma área de ação maior dele, para que exploda todo seu talento. Se Neymar vem muito atrás, ele não vai ser efetivo", analisou, antes de destacar que "tem uma relação de lealdade" com o jogador do Paris Saint-Germain.

Comandado por Tite e jogando no 4-2-4, o Brasil teve vantagem em todas as estatísticas da peleja: 55% de posse de bola e dezessete finalizações (contra sete dos adversários) - sendo nove certas. No 4-2-3-1 e armado por Ricardo Gareca, o Peru acertou dois chutes.

Nível da Copa América

Perguntado sobre o quanto a competição continental é desafiadora, o técnico não escondeu que preferiria outros desafios, mas valorizou as grandes seleções sul-americanas. "Nós queríamos a seleção da Espanha, de Portugal, todas as europeias. Se tivéssemos um calendário que nos proporcionasse essas situações. O Peru fez, na Copa do Mundo, grandes jogos. O pessoal fica desvalorizando nossos confrontos. Nós temos Argentina de Messi e companhia. Temos Colômbia, com jogadores de alto nível. Temos Uruguai", finalizou o treinador da Seleção Brasileira.

Na próxima rodada da Copa América, o Brasil folga - e volta a campo na próxima quarta-feira (23), às 21h (Horário de Brasília), contra a Colômbia, novamente no Nilton Santos.

VAVEL Logo