Após clássico polêmico, diretor do São Paulo afirma que clube irá acionar CBF
Foto: Reprodução/SPFCTV

Na noite deste sábado (31), no Morumbi, São Paulo e Palmeiras mediram forças, em confronto válido pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. A partida terminou em um empate sem gols, porém, recheado de polêmicas da arbitragem. 

Coletiva

Após a partida de ontem, o São Paulo ficou na bronca com a atuação do árbitro Luiz Flávio de Oliveira. O árbitro anulou um pênalti na primeira etapa e anulou um gol contra  de Gustavo Gómez, após um impedimento em Miranda.

O lance do gol foi o ponto principal para a reclamação. Carlos Belmonte, diretor de futebol do São Paulo, após a partida reclamou demais do uso do VAR nos últimos jogos contra o São Paulo, além do uso dele como um todo.

"O VAR que deveria dar segurança para o árbitro, traz insegurança. Deveria ser acessório, ajudar, mas quer ser protagonista no Brasil. O árbitro marca pênalti a um metro de distância, o árbitro, no campo, tem as sensações do peso da mão nas costas do Marquinhos, a bola distante do jogador do Palmeiras e ele marca o pênalti corretamente"

"O VAR chama o árbitro, de dentro de uma sala fechada, sem som, sem nada da partida, e traz insegurança ao árbitro. Aí o arbitro perde a convicção e anula um lance que a um metro ele tinha marcado. Eu defendo o VAR, mas no Brasil ele não é usado de forma correta"

“Nós vamos fazer uma representação à CBF. O VAR já foi utilizado sete vezes nesse campeonato em jogos do São Paulo. Seis vezes, seis contra o São Paulo. Uma grande coincidência!”, acrescentou.

Além disso, o diretor lembrou ada postura dos jogadores do Palmeiras após o lance polêmico, destacando que eles nem reclamaram após o lance do gol anulado e reforçou que irá fazer uma representação à CBF.

"Os jogadores do Palmeiras sequer reclamam e já se dirigem ao meio para dar reinício. E depois vem o VAR de novo, em câmera lenta... O jogo não é em câmera lenta, e a velocidade tem que ser respeitada. E o árbitro, de novo, por falta de convicção, anula. Vamos fazer representação na CBF. O VAR já foi usado sete vezes em jogos do São Paulo, seis vezes contra. Umas acertadas e outras não. Vamos representar sim, porque não estamos felizes", finalizou.

Próximo jogo

Após o empate, o São Paulo enfrenta o Vasco na quarta-feira, em confronto válido pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. O tricolor volta a enfrentar o Palmeiras no próximo dia 10, pelas quartas de final da Libertadores.

VAVEL Logo