Com dois gols de bola parada, Remo vence de virada e segue invicto contra Cruzeiro
Foto: Divulgação/Staff Images/Copa do Brasil

Contando com o brilho da torcida azulina, o Remo fez valer o mando de campo e virou sobre Cruzeiro, por 2 a 1, no Baenão, pelo jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil. Rodolfo colocou fim ao jejum e abriu o marcador. Com dois gols de bola parada, levantadas por Marlon, Willian Oliveira (contra) e Daniel Felipe garantiram a vantagem para o Rei da da Amazônia.

O triunfo deixa o Leão invicto dentro dos seus domínios. Não há nenhuma derrota para a equipe estrelada. Em seis jogos, conquistou quatro vitórias e dois empates. A única derrota ocorreu em 1979, pelo Campeonato Brasileiro, fora de casa. São 43 anos de invencibilidade.

Leão assusta

Com poucos espaços para realizar jogadas trabalhadas, a Raposa rodava a bola em seu campo de defesa. O passe em profundidade acabou sendo uma das alternativas para ameaçar os donos da casa. João Paulo lançou Jajá no ataque. Vinícius saiu do gol e tirou de qualquer maneira.

O Leão tentava aparecer, logo, incomodar mais Rafael Cabral. Bruno Alves errou na hora de cruzar da direita, contou com a sorte e carimbou o travessão. Diferentemente do companheiro de equipe, Brenner não se equivocou com o passe. Ele recebeu em velocidade, chegou na ponta direita e rolou para trás. Paulinho Curuá chutou em cima da marcação de Zé Ivaldo.

O atacante teve sua chance ao desviar de cabeça lançamento de Leonan. Rafael Cabral agarra no meio do gol. Visando enganar a marcação, Jajá e Waguininho trocavam constantemente de posições. A pontaria foi melhorando, mas sem preocupar Vinícius, que segurava tranquilamente. Por outro lado, os comandados de Paulo Bonamigo escapavam com perigo. Brenner abriu com Bruno Alves. O camisa 7 buscou Fernandinho no meio da área. Rômulo se antecipou e afastou o perigo.

Raposa marca e Leão dá o troca

Com dificuldade de ser efetivo no ataque, o Cruzeiro teve grande chance de inaugurar o marcador no início do segundo tempo. Jajá entra na área e acaba sendo derrubado por Daniel Felipe. Pênalti. João Paulo pegou a distância, deu uma paradinha e Vinícius espalmou, impedindo a quinta conversão do meia.  

Em pouco tempo, o goleiro interviu novamente em chute cruzado de Daniel Jr. Já o Leão rondava a meta celeste por meio dos passes. Brenner foi acionado na entrada da área, esticou com Bruno Alves. O atacante chutou firme e Rafael Cabral defendeu em dois tempos. 

Aos 16, Rafael Santos fez lançamento, Rodolfo cabeceou tirando tinta do poste. Quatro minutos depois, Jajá saiu da direita, puxou para o meio e tabelou com Rafael Santos. Ele esticou com Daniel Jr, que cruzou rasteiro. Rodolfo escorou dentro da pequena área, colocando fim ao jejum que perdurava desde 16 de agosto de 2021. 

O tempo é amigo de uns e inimigos de outros. Os cruzeirenses festejaram com o tento marcado, mas durou pouquíssimo. E, assim, foi a vez dos azulinos. Marlon cobrou falta em direção ao gol e Willian Oliveira mandou contra o próprio patrimônio. O zagueiro, em nova cobrança de falta, colocou dentro da área. Daniel Felipe acertou o canto de Rafael Cabral. Vanílson quase marcou o terceiro. O camisa 26 é acionado com liberdade e, dentro da área, soltou um foguete, mas o arqueiro estrelado evitou.

O que vem por aí

A volta está programada para o dia 10 de maio. Vale lembrar o fim do gol qualificado para critério de desempate. O Remo tem a vantagem do empate, enquanto o Cruzeiro precisa marcar dois gols para ir às oitavas de final.

VAVEL Logo