Com um fim trágico para o Sport na temporada e a permanência na Série B do Campeonato Brasileiro em 2024, o presidente do clube, Yuri Romão, fez sua avaliação do que foi o ano, explicou quais serão os próximos passos e também afirmou que acreditava que o clube voltaria a entregar aquilo que havia mostrado no início da temporada.

"O sentimento é de que a gente chega ao fim da temporada sem entregar o que queríamos. Não era essa a entrevista que eu gostaria de dar nesse momento. Tudo foi planejado desde o outubro do ano passado e foi executado, só que ao longo do segundo semestre as coisas não andaram bem. Não desempenhamos o futebol que mostramos no início da temporada e que nos trouxe o ar de que conseguiríamos o acesso com os pés nas costas."

"É como disse aos atletas lá dentro (dos vestiários), tivemos acertos e erros e cabe a nós, como dirigentes, fazer uma autocrítica, ver onde erramos e tentar consertar para a temporada seguinte. Muita coisa foi feita e muita coisa foi acertada. O time não rendeu como no primeiro semestre e precisamos descobrir o porquê", completou.

  • Sobre a janela e dificuldades

O presidente também falou sobre atuação do Leão no mercado na segunda janela de transferências da Série B, onde o clube recebeu críticas da torcida com relação aos nomes trazidos como reforços para o elenco e ressaltou a questão das dificuldades financeiras vividas pelo clube.

"A janela de transferências foi onde a gente buscou muito. Eu trabalhei muito próximo ao Jorge (Soares) e tentamos trazer o melhor. Isso significa que temos que levar em consideração que o Sport é um time endividado. Há dois anos, nós lutamos para dar o equilíbrio e o fluxo de caixa para que o clube passe a ser manchete e ter credibilidade no mercado. Ela foi impactante, pois há uma escassez de atletas e treinadores. Aqueles jogadores que mapeamos e queríamos ter no elenco eram inviáveis nos termos financeiros. Quando começamos a gestão fizemos um pacto de não gastar mais que arrecada. Podíamos trazer jogadores com o patamar de R$ 400, R$ 500 e R$ 600 mil, mas o Sport não aguentaria pagar", disse Yuri.

"Eu concordo que a nossa janela não foi a ideal. A do início do ano foi melhor, mas as circunstâncias não ajudaram para que conseguíssemos trazer aquilo que gostaríamos. Eu nunca me arrependo de nada. Todas as decisões foram tomadas em um momento no qual havia a circunstância e que boa parte da imprensa não tinha acesso", concluiu.

VAVEL Logo
Sobre o autor