Com dois tempos distintos, Corinthians mostra forças e bate Sport

Timão volta avassalador no segundo tempo, aproveita erros do Leão e garante permanência no G-4; nova derrota deixa rubro-negros próximos ao Z-4

Com dois tempos distintos, Corinthians mostra forças e bate Sport
Foto: Daniel Augusto Jr/ Agência Corinthians
Corinthians
3 0
Sport
Corinthians: Cássio; Léo Príncipe, Vilson, Yago e Uendel; Cristian (Gustavo, intervalo), Camacho (Willians, min. 78) e Rodriguinho; Giovanni Augusto (min. 84), Lucca e Marlone. Técnico: Cristóvão Borges
Sport: Magrão; Samuel Xavier (Apodi, min. 55), Matheus Ferraz, Durval e Rodney Wallace; Rithely, Neto Moura, Everton Felipe (Rogério, min. 61), Diego Souza e Gabriel Xavier (Edmilson, min. 80); Ruiz. Técnico: Luiz Alberto (interino)
Placar: 1-0, min. 47, Rodriguinho; 2-0, min. 53, Léo Príncipe; 3-0, min. 61, Vilson
ÁRBITRO: João Batista de Arruda (RJ). Cartões amarelos: Vilson (min. 13), Durval (min. 35), Gabriel Xavier (min. 58) e Yago (min. 77)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016, disputada na Arena Itaquera, em São Paulo

Após um primeiro tempo ruim, o Corinthians se impôs no segundo e não deu espaços para o Sport reagir. Diante de pouco mais de 24 mil torcedores presentes à Arena Corinthians na noite desta quinta-feira (8), o Timão foi avassalador e bateu o Leão por 3 a 0, com gols marcados pelo meia Rodriguinho, lateral Léo Príncipe e zagueiro Vilson.

Com a vitória ante sua torcida, o alvinegro se consolida no G-4 e fica na 4ª posição, porém chegando agora a 40 pontos ganhos. Já o rubro-negro volta a se reaproximar da zona de rebaixamento, estacionando nos 27 pontos, um a mais que o Vitória - primeiro no Z-4 - e indo para a 15ª colocação.

Os times voltam a campo, pela 24ª rodada do Brasileirão, no próximo domingo (11) em clássicos estaduais. Enquanto os paulistas descem à Baixada para encarar o Santos, às 16h, os pernambucanos recebem o arquirrival Santa Cruz na Ilha do Retiro, na mesma hora, reeditando a fase nacional da Copa Sul-Americana, na qual foram eliminados.

Sport é superior, mas não aproveita chances

Em posições opostas na classificação, mas focados no mesmo objetivo e dispostos a jogar, Corinthians e Sport começaram o jogo com muita vontade. Sabendo da força alvinegra diante de sua torcida, os rubro-negros adiantaram a marcação e conseguiram controlar nesse início, trocando passes e indo para o ataque. Em um desses lances, Gabriel Xavier chutou colocado à direita da meta adversária.

Melhor em campo, o Leão demonstrou que atacaria sem se intimidar e, com jogada ensaiada, voltou a finalizar a gol. Em cobrança de falta, Neto Moura serviu Gabriel Xavier, que ficou de frente ao gol, contudo bateu sem direção e Cássio apenas observou a bola sair pela linha de fundo.

Mesmo com seus domínios, o Timão não conseguiu ter criatividade e pouco agrediu, deixando o público impaciente. Apostando no contra-ataque, os anfitriões criaram a primeira chance, porém não levaram perigo. Camacho lançou Lucca, que serviu Rodriguinho. O meia, no entanto, tentou mandar colocado e não assustou, desperdiçando boa jogada.

A melhor oportunidade de sair do zero antes do intervalo foi do time pernambucano, quando Samuel Xavier recebeu pela direita e cruzou no meio da pequena área. Diego Souza, com liberdade, ficou de cara para o camisa 1 corintiano, todavia cabeceou sem força e em cima do arqueiro. Na reta final, os paulistas até tentaram atacar, entretanto a equipe visitante se segurou bem na defesa e administraram o placar.

Corinthians volta avassalador e confirma a vitória

Para a etapa final, o técnico Cristóvão Borges mostrou insatisfação na sua equipe e resolveu mudar a maneira de jogar. Cristóvão colocou o atacante Gustavo, estreante na noite, tirando o volante Cristian. Logo de início, a mudança surtiu efeito e deu confiança. Marlone, livre, foi esperto e cruzou na medida para Rodriguinho, que testou no contra-pé de Magrão e estufou o fundo do barbante.

Pouco depois, o Timão demonstrou que tinha voltado mais disposto e foi às redes novamente, sem esforços. Rodriguinho abriu boa jogada para Léo Príncipe, que serviu Marlone, sem marcação pela direita. O meia, que defendeu o Leão em 2015, viu o lateral surgir livre e chutar para o gol.

O que já estava ruim para o Sport, piorou quando Samuel Xavier saiu do gramado com dores no tornozelo após dividida e Apodi entrou em seu lugar. Desatento na zona defensiva, a equipe rubro-negra seguiu cedendo espaços e, assim, os alvinegros se aproximaram de marcar o terceiro. Lucca saiu de frente para Magrão, porém se enrolou sozinho com a bola e perdeu grande chance.

No lance seguinte, todavia, os paulistas foram eficazes. Depois de boa cobrança de escanteio, o zagueiro Vilson subiu com liberdade e, sem adversários por perto, cabeceou e sacramentou o apagão leonino em apenas 20 minutos. Sem criatividade, os pernambucanos não tiveram a mesma produtividade de antes e pouco atacaram. Os paulistas, por outro lado, administraram o que haviam construído em pouco tempo e ficaram com os três pontos.