São Paulo tenta superar desfalques na briga pelo tetracampeonato da América

Com desfalques importantes, Tricolor busca opções para iniciar bem o confronto contra os colombianos

São Paulo tenta superar desfalques na briga pelo tetracampeonato da América
Getty Images

Depois de quase dois meses, está de volta a Copa Libertadores da América. O no início desacreditado São Paulo é o único brasileiro ainda vivo na competição, e, nesta quarta-feira (6), enfrenta o Atlético Nacional-COL, no Morumbi. A equipe de Edgardo Bauza, que vinha embalada no torneio, sofreu nessa pausa. Paulo Henrique Ganso e Kelvin, peças fundamentais no setor ofensivo do time, estão lesionados e não devem participar de nenhum dos confrontos da semifinal, embora o camisa 10 ainda tenha uma remota chance de estar recuperado para o jogo da volta.

As duas lesões aconteceram durante partidas do Campeonato Brasileiro. Embora Bauza tenha criado um sistema de rodízio para poupar seus atletas para as decisões do torneio continental, duas de suas importantes peças foram abatidas. Primeiro Kelvin, que no empate contra o Sport sofreu um estiramento no músculo da coxa esquerda, e não deve retornar nem para o confronto na Colômbia. O atacante, muito elogiado pelo técnico são-paulino, é parte fundamental no esquema Tricolor. Para piorar, seu substituto imediato, Centurión, está suspenso para o duelo.

O caso de Ganso é um pouco mais simples, mas mais sofrido para os torcedores. O meia, que sofreu um estiramento na coxa direita na vitória diante do Fluminense, luta contra o tempo para atuar no jogo de volta, mas é carta fora do baralho para a partida do Morumbi. O camisa 10 são-paulino, grande craque da equipe e que vive um dos melhores momentos da carreira, não tem um substituto à altura no elenco, e sua ausência certamente será sentida.

O São Paulo, entretanto, não sofre apenas com a frente. Hudson Mena, dois dos principais pilares da defesa são-paulina, também se machucaram nesse período e ficaram parados por um bom tempo, voltando efetivamente apenas para o duelo desta quarta. O último jogo de Mena com a camisa tricolor foi justamente na classificação tricolor diante do Atlético-MG, no Independência: convocado pela seleção chilena para a disputa da Copa América Centenário, o lateral sofreu um estiramento no músculo posterior da coxa direita atuando pelo seu país logo na primeira partida, e tão logo voltou ao Brasil para se recuperar. Já o volante, que é o jogador com mais desarmes em toda a Libertadores e capitão da equipe, se recuperou de um estiramento no músculo posterior da coxa esquerda, e também estará de volta.

Além dos problemas físicos, o São Paulo ainda sofre com incertezas, como o velho problema no gol. Depois da aposentadoria do ídolo Rogério Ceni, Denis assumiu o posto de titular, mas não consegue passar segurança à torcida. O goleiro mostra-se empenhado, porém tem falhado em momentos importantes. Foi assim nos dois jogos contra o River Plate-ARG, contra o The Stongest-BOL, contra o Atlético-MG e em recentes partidas pelo Campeonato Brasileiro. Nomes de outros arqueiros passaram pelo crivo da diretoria, mas a decisão foi a de que uma contratação geraria mal estar ao elenco, e o camisa 1 foi mantido como titular.

Com isso a escalação considerada titular do Tricolor na arrancada da Libertadores, com Denis, Bruno, Maicon, Rodrigo Caio, Mena, Hudson, João Schmidt, Kelvin, Paulo Henrique Ganso, Michel Bastos e Calleri, deve sofrer alterações. Cueva, que seria o substituto natural de Ganso, já atuou pelo Toluca-MEX na Libertadores e não pode mais participar da competição. Já Centurión, que seria uma das alternativas para a vaga de Kelvin, ainda cumpre suspensão pela cuspida na partida contra os mexicanos. 

Para o duelo, Patón tem opções. A mais provável é que escale Ytalo na vaga de Ganso, posição que o atacante se destacou na partida contra o Cruzeiro, pelo Campeonato Brasileiro, abrindo Thiago Mendes pela direita. O treinador pode ainda alterar o esquema de jogo são-paulino. Alan Kardec, que recentemente encerrou um longo jejum de gols, pode ser o companheiro de ataque de Calleri, fazendo com que o São Paulo ficasse com boas chances nas jogadas aéreas. Outra alternativa é jogar com um time mais defensivo. Com Hudson e Thiago Mendes pelo meio e adiantando João Schimidt, que assim como Ganso é canhoto e tem uma boa visão de jogo e abrir Wesley pela direita, fazendo dobradinhas com Bruno e ajudando tanto na marcação quanto no apoio.

É com desfalques importantes e com muitas dúvidas na equipe titular que o São Paulo vai para um de seus jogos mais importantes nos últimos anos. O duelo contra o Atlético Nacional marca o início do segundo semestre da equipe, após um 2015 marcado por escândalos políticos e problemas extra-campo. O Tricolor, que começou a temporada em baixa e se reergeu até se tornar um dos favoritos ao título continental, entra em campo nesta quarta-feira disposto a manter sua briga pelo quarto título da Copa Libertadores.