Especial #CarnaVAVEL: De Marrakesh à Índia! O que esperar da Mocidade?

Escola de Padre Miguel busca seu bicampeonato saindo do norte africano e desembarcando no segundo país mais populoso do mundo

Especial #CarnaVAVEL: De Marrakesh à Índia! O que esperar da Mocidade?
Foto: Hugo Alves/ VAVEL Brasil

2018, um novo ano e a busca de um sonho ainda almejado em Padre Miguel: um troféu a ser levantado neste século. Tal ambição deve-se a confusão no último carnaval, onde mesmo com a Mocidade tendo sigo sagrada campeã ao lado da Portela após comprovada a falha na nota de um jurado, outro troféu não fora confeccionado à escola da Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Após possuir um enredo relacionado ao Marrocos, dessa vez a Índia será o trunfo da verde e branca. O que também fora destaque no ano anterior, o surpreendente enredo da Mocidade Independente está na boca do povoe traz esperança ao término do jejum que paira desde 1996 na escola.

O enredo "Namastê… A estrela que habita em mim saúda a que existe em você" é a esperança de mais um show na avenida com uma imersão completa ao país com população superior a 1 bilhão de habitantes e cultura riquíssima e conhecida mundialmente.

Kama Sutra, Castas e Caminho das Índias

Mostrando novamente seu espírito de inovações e busca de temas quentes a avenida, o carnavalesco Alexandre Louzada promete levar a Marquês de Sapucaí o Kama Sutra, tradicional livro indiano que é conhecido mundialmente por falar sobre sexo.

Também remetendo a um assunto antigo mas com bastante repercussão no país, a Mocidade levará o sistema de castas indiano a sapucaí, onde segundo informação do jornal O Dia, atores da novela Caminho das Índias (Globo, 2009) estão cotados para reaparecer em seus personagens da novela na Sapucaí.

Foto: Sofie Mentens | Riotur

O suspense da comissão de frente

Após uma comissão de frente capaz de fazer queixos caírem com um Aladin literalmente voando no último carnaval, o público aguarda ansiosamente a apresentação da escola de Padre Miguel que, segundo Louzada, promete ser tão surpreendente quanto o último ano.

Saudando os deuses hindus, a religiosidade será tema principal na comissão de frente da escola, onde os deuses do ínicio, meio e fim da crença indiana serão saudados.

Foto: Fernando Maia/ Riotur

Título sem troféu e a continuidade do jejum

Após uma plenária extraordinária após o carnaval, a Mocidade Independente também fora declarada campeã junto à Portela após no quesito enredo ter ocorrido um erro por parte de um julgador, que acarretou a perda de décimos para a escola de Padre Miguel e um amargo vice-campeonato até tal decisão ser tomada pela Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (LIESA).

Mesmo com o título garantido, outro troféu não fora confeccionado para a escola, fazendo com que o jejum agora seja apenas de troféus, que tem como último concedido a escola como campeã do carnaval no ano de 1996. Porém não é exagero falar que se depender dos deuses hindus e do esforços da comunidade verde e branca tal jejum acabará no carnaval que se aproxima.