Sesi Bauru faz história, elimina Sesc-RJ e garante vaga na semifinal da Superliga
Foto: Marcelo Ferrazoli/Sesi Vôlei Bauru

Sesi Bauru faz história, elimina Sesc-RJ e garante vaga na semifinal da Superliga

Em partida irretocável, paulistas vencem por 3 a 1 e deixa a equipe carioca de fora da semifinal pela primeira vez na história 

matheusalcantara
Matheus Alcântara

O Sesi Bauru escreveu mais um capítulo memorável da história da Superliga Feminina na noite desta terça-feira (26). Jogando no território adversário, no ginásio do Tijuca, a equipe paulista venceu o Sesc-RJ por 3 sets a 1 (25/23, 25/27, 23/25 e 19/25) e decretou a queda da poderosa equipe carioca nas quartas de final, pela primeira vez. A ponteira Tiffany foi a melhor em quadra e ficou com o troféu VivaVôlei. 

Após sair perdendo no confronto decisivo, o Bauru reagiu e, sob os comandos de Fabíola, construiu o resultado que precisava e se classificou para enfrentar o Praia Clube na próxima etapa do torneio nacional. 

Para o Sesc-RJ, a temporada terminou nessa noite. Acostumado com o lugar mais alto do pódio, o time de Bernardinho sofreu com lesões ao longo da temporada  e dá adeus à competição, apesar da vantagem de decidir diante dos seus torcedores. 

Como foi o jogo

O Sesc-RJ começou forçando o saque e abriu quatro pontos de vantagem: 9 a 5. Errando muito, o Bauru via as adversários dispararem: 17 a 10, no ataque pra fora da Tiffany. Sofrendo na recepção, Anderson colocou Vanessa no lugar de Palácios e a mudança surtiu efeito. As paulistas cresceram na partida e encostaram no placar: 20 a 18. Roberta tentou uma bola de segunda que não passou pelo bloqueio e o Sesi deixou tudo igual: 23 a 23. Com um erro de Tiffany e um ponto de Drussyla, o Rio reagiu e fechou a parcial: 25 a 23

O início da segunda etapa foi equilibrado, prevalecendo o empate: 7 a 7. Na bola de segunda da Fabíola, o Bauru conseguiu uma folga no placar: 10 a 7.  A temperatura do duelo subiu quando o Rio discordou da  marcação de saque pra fora, que poderia lhe render o empate, apesar da reclamação e do desafio, o ponto foi dada para as adversárias, que se mantiveram à frente: 14 a 12.

Pilhadas, as cariocas entraram de vez na parcial e viraram o marcador com a boa sequência de saques de Bia: 19 a 18. O set foi disputado ponto a ponto até que Roberta e Bia não se entenderam na combinação de jogada e as paulistas fecharam a etapa: 27 a 25

O Sesc-RJ começou a parcial alto nível de concentração no bloqueio e abriu vantagem: 4 a 1. Entretanto, as paulistas reagiram e buscou o empate: 9 a 9.  Castigando as adversárias no saque, foi a vez das visitantes conseguirem uma folga no placar: 16 a 10, no ace de Valquíria. Quando a vitória parecia estar encaminhado, os erros voltaram a aparecer pelo lado do Sesi, que viu as adversárias colarem no marcador: 16 a 15.

Pressionado, o Bauru voltou a apostar no saque forçado e a estratégia deu certo. No ace de Arlene, a equipe voltou a ter uma margem à frente: 20 a 16.  Em um final de set tenso, Diouf aproveitou o contra-ataque e garantiu a virada paulista: 25 a 23

No set mais importante para a equipe carioca na competição, o jogo começou tenso e disputado ponto a ponto: 7 a 7. Disposto a fazer história, o Bauru não aliviava no ataque e abriu vantagem: 12 a 8, na pancada de Vanessa. Perdido em quadra, o Sesc-RJ não conseguia reagir e se complicava: 18 a 11, em uma bola despretensiosa de Diouf. No ace de Diouf, o Sesi escreveu seu nome na história, fechou a parcial em 25 a 19 e deixou o poderoso Rio de Janeiro de fora da semifinal pela primeira vez na história.

 

VAVEL Logo