Sesc-RJ supera ausência de Tandara, e bate Osasco pelo clássico da Superliga Feminina
Foto: Marcio Mercante /Sesc-RJ

O Tijuca Tênis Clube foi palco de um dos maiores clássicos do vôlei mundial. Sesc-RJ e Osasco Audax ficaram frente à frente  na noite desta terça-feira (11), em confronto válido pela 17ª rodada da Superliga Feminina, e as cariocas aproveitaram o fator casa para sair com a vitória por 3 sets a 1, com parciais de 25/23, 23/25, 25/20 e 25/23. A ponteira Amanda foi eleita a melhor em quadra e levou o troféu VivaVôlei. 

Apesar do desfalque da oposta Tandara, que teve uma lesão no abdômen diagnosticada, o Sesc somou mais três pontos e segue na segunda colocação, com 47 pontos. A equipe carioca volta a jogar na próxima sexta-feira (14), contra o Praia Clube, em duelo direto pela primeira posição. 

O Osasco se manteve no quarto lugar, com 35 pontos, e buscará a reação diante do seu torcedor no clássico regional contra o Sesi Bauru, no sábado (15). 

Como foi o jogo

O clássico no Tijuca começou marcado pelo equilíbrio e o bom aproveitamento das atacantes dos dois times: 6 a 6. Com boa passagem de Milka pelo saque, o Sesc conseguiu desestabilizar a linha de passe adversária e descolou no placar: 10 a 7.  

Se o Rio tinha Milka, o Osasco tinha Bjelica também brilhando no fundamento e, com ace da sérvia, deixou tudo igual: 13 a 13. Com outro ace, desta vez de Roberta, a equipe paulista passou à frente: 19 a 17. Mesmo sem Tandara, que vem sendo a referência, as cariocas correram atrás e viraram na parte final: 23 a 22. No saque de Fabíola, as donas da casa fecharam a parcial: 25 a 23

As comandadas de Luizomar voltaram pra segunda etapa com maior equilíbrio no passe e logo abriu vantagem: 6 a 2. Bernardinho pediu tempo, tentou improvisar Peña na função de oposta no lugar de Renatinha, mas nada funcionava, as osasquenses continuavam melhor no ataque e com folga no placar: 17 a 12

Mas o que parecia ser uma vitória tranquila voltou a ter ares de dramaticidade quando as visitantes começaram a abusar dos erros e deixaram o Rio encostar (17/18). O Osasco falhava no ataque, entretanto o Sesc não aproveitava as oportunidades e deixou as paulistas com a chance de fechar o set: 24 a 20. As cariocas tentaram o empate,ainda que de forma tardia, mas viram as adversárias fecharem a etapa na invasão por cima da Juciely, 25 a 23, em uma decisão muito questionada pela equipe da casa. 
 

Foto: Marcio Mercante /Sesc-RJ
Foto: Marcio Mercante /Sesc-RJ

 

Cartões vermelhos em momentos decisivos

 

O início do terceiro set era todo do Rio de Janeiro. Brilhando no saque, Amanda ajudou a equipe a equipe carioca abrir 5 pontos (7/2). O Osasco foi entrando na partida e encostou no placar, 12 a 10. O estopim para o jogo pegar fogo foi quando a arbitragem marcou toque na rede da Bia, a central não concordou com a marcação  e acabou tomando o cartão vermelho por excesso de reclamação, aumentando a vantagem carioca: 15 a 12

Após a punição, as visitantes se desconcertaram e os erros voltaram a aparecer, dando uma vantagem tranquila para as cariocas na reta final, 23 a 18.  No ataque de Amanda na diagonal, o Sesc deu números finais ao set, 25 a 20, e voltou à ficar frente no duelo. 

O quarto set começou equilibrado e nenhuma das equipes deixavam o adversário abrir no placar, com isso, o empate prevalecia no Tijuca: 6 a 6.  Jogando de oposta, Peña entrou bem no clássico e ajudou o Sesc a abrir vantagem contra o grande rival: 13 a 9, na largada atrás do bloqueio. Com Jaqueline brilhando em todos os fundamentos, o Osasco correu atrás e voltou a deixar tudo igual, 13 a 13

As visitantes conseguiram passar à frente no ataque de Bjelica, porém, a equipe voltou a ser punida com cartão vermelho, por reclamação em toque na rede de Juciely. Com mais uma punição, o time voltou a se perder e o Sesc aproveitou: 22 a 20. Drussyla explorou o bloqueio e explodiu as arquibancadas do Tijuca, que viram as cariocas fecharem a parcial com 25 a 23.

VAVEL Logo