Ambiente no Monaco é um dos motivos para assombrosa fase de Mbappé

Kylian Mbappé Lottin atinge marcas impressionantes a cada semana. As confirmações não são demonstradas apenas em números, mas também em suas atuações no geral. O jovem assombra o mundo com velocidade, consciência tática, tranquilidade e atitude impiedosa na frente do gol.

O francês de 18 anos não é nenhuma surpresa para quem acompanha o futebol francês de perto. Sua estreia no time profissional se deu em 2 de dezembro de 2015, no finalzinho do jogo contra o Caen, fora de casa, pela Ligue 1. Aos poucos foi sendo integrado ao elenco do time que viveu momento de altos e baixos no fim daquele ano e início de 2016. O primeiro gol veio em 20 de fevereiro, diante do Troyes.

Ao longo do primeiro semestre de 2016, ajudou a França a se classificar para a Euro Sub-19 e fez algumas partidas pelo time B do principado. A competição continental da categoria foi o grande marco para o jovem. Mesmo com os holofotes voltados para Augustin, do PSG, Mbappé despertou a curiosidade de alguns, anotando cinco tentos. No início desta temporada da Ligue 1, o garoto já iniciou entre os titulares. O segundo semestre do ano passado foi de afirmação no time, pois Leonardo Jardim alternava bastante sua equipe e dava chance a todos os atletas, ainda testando as melhores peças.

Inegavelmente, 2017 vem sendo o ano de Kylian. O seu hat-trick contra o Rennes naquele 7 a 0 em dezembro passado foi uma pequena amostra. Algo indicando, “atentem-se a este rapaz camisa 29”. Após o empate em 1 a 1 com o PSG, Jardim resolveu dar uma oportunidade real ao jogador e o colocou como titular. Mbappé desandou a fazer gols a partir do incrível 5 a 4 diante do Chambly, fora de casa, pela Copa da França, na qual tive o prazer de acompanhar cobrindo para este site.

Analisando os números por cima, neste ano, são 21 jogos e 16 gols, conseguindo um hat-trick e três dobletes neste período. O Monaco atua num 4-4-2 muito dinâmico no ataque. Vale destacar que no posicionamento médio dos jogadores monegascos contra o Borussia Dortmund, Mbappé atuou mais enfiado que o próprio Falcao García, sempre com tendências a puxar para a esquerda, sua posição de origem, onde faz trabalho ótimo com o também sensacional lateral Mendy.

Posicionamento Monaco Champions
Posicionamento médio do Monaco contra o BVB no segundo jogo, vitória por 3 a 1

Ele demonstra não ter medo. Ele pode ter esse sentimento, mas não expõe. Mbappé perde uma oportunidade, mas você tem sempre a sensação de que na outra ele não vai desperdiçar. Tudo isso é fruto de um cenário competitivo internamente que passou a ser de poucas opções para o setor dele neste ano. Leonardo Jardim testou muitos jogadores no ataque, principalmente na ausência de Falcao García. Daí vem o diferencial do camisa 29, pois mesmo sabendo que no banco atualmente há apenas o compatriota Germain, ele mantém o nível e tem gana de evoluir cada vez mais.

Mbappé se tornou o jogador mais jovem a marcar cinco gols em partidas da Uefa Champions League. Exatamente com 18 anos e 120 dias e quatro jogos. Manchester City e Borussia Dortmund dividiram o sentimento de assombro e indignação. Ele também é o primeiro atleta a marca em seus quatro primeiro jogos de mata-mata da UCL, um feito gigante. Messi atingiu essa marca com 21, Rooney com 22, Cristiano com 23 e Ibrahimovic com 31. Mas isso não quer dizer nada.

Mbappé mapa de calor contra o Borussia Dortmund na Champions
Mapa de calor do Mbappé no jogo de volta diante do BVB

Outro destaque é a filosofia comprada por Leonardo Jardim e a direção do Monaco. Desde que houve um investimento gigante, um divórcio colossal e uma reestruturação, sempre falaram em uma nova “filosofia”. Todas as entrevistas do vice-presidente de futebol do clube ao citar uma nova contratação há essa palavra mágica. Os jogadores são contratados para ser mais uma engrenagem nesse grande relógio montado no principado.

O grande ponto é a manutenção e mudanças sutis em determinadas circunstâncias e uma transição base-profissional bem tranquila e respeitando os momentos dos jogadores. Outras duas vertentes também existem: contratar jogadores com certa bagagem em outros clubes, dando oportunidade e chance de desenvolver sua curva de nível técnico, como Mendy. Além de contratar jovens ainda nas categorias de base, como Lemar e Bakayoko.

Mesmo com alguns deslizes, que acontecem recorrentemente na vida do Monaco, como uma goleada para o Tottenham na Liga Europa em 2015, sofrer 4 a 0 do maior rival com show de Balotelli e até perder uma final para o PSG, o discurso é sempre o mesmo: “manter o estilo de jogo, seguir o que estamos fazendo, jogar como costumamos jogar.”

Em entrevista após o jogo de quarta-feira (20), Mbappé deixou isso bem claro. “Foi uma temporada incrível e somos um grupo de companheiros que conseguem se divertir no campo. Nós tentamos não deixar a pressão entrar em nossas cabeças e jogar da maneira que costumamos fazer. Nós jogamos futebol atacando, e isso é o que fazemos melhor. A Champions League é muito difícil e você precisa manter a sua concentração em todos os momentos. Eu tento fazer o que eu sei como fazer, e por agora está funcionando”, afirmou.

Mbappé não é só um número, uma estatística, um caça-clique ou um jovem que aproveita a famigerada (e exagerada por parte da imprensa) fragilidade da liga francesa. Ele é um bom jogador que faz além do que apenas gols. E tem apenas 18 anos. Evolução é a palavra-chave nesse curioso caso. Em pouco mais de quatro meses, o garoto convenceu seu técnico, seus companheiros, a imprensa francesa e agora a mídia mundial. Não é surpresa o que ele está fazendo, indícios foram mostrados anteriormente. Há potencial, cabe a ele fazer as escolhas corretas e ajudar não apenas seu clube, mas a Seleção Francesa.

VAVEL Logo