Lukaku e Hazard marcam dois cada, Bélgica goleia Tunísia e encaminha vaga às oitavas

Belgas aproveitaram espaços cedidos pelos africanos e construíram vitória por 5 a 2, praticamente garantindo vaga no mata-mata

Lukaku e Hazard marcam dois cada, Bélgica goleia Tunísia e encaminha vaga às oitavas
Lukaku é um dos artilheiros da Copa, com quatro gols (Foto:  Kevin C. Cox/Getty Images)
Bélgica
5 2
Tunísia
Bélgica: Courtois; Alderweireld, Boyata, Vertonghen; Meunier, Witsel, De Bruyne, Carrasco; Eden Hazard (Batshuayi, min. 68), Mertens (Tielemans, min. 86), Lukaku (Fellaini, min, 59). Técnico: Roberto Martínez
Tunísia: Ben Mustapha; Bronn (Naguez, min. 24), S. Ben Youseff (Benalouane, min. 41), Meriah, Maâloul; Skhiri, Sassi (Sliti, min. 59), Khaoui; F. Ben Youseff, Badri, Khazri. Técnico: Nabil Maâloul
Placar: 1-0, min. 6, Eden Hazard (pênalti). 2-0, min. 16, Lukaku. 2-1, min. 18, Bronn. 3-1, min. 45+4, Lukaku. 4-1, min. 50, Eden Hazard. 5-1, min. 90, Batshuayi. 5-2, min, 90+2, Khazri
ÁRBITRO: Jair Marruffo (USA), auxiliado por Corey Rockwell (USA) e Juan Zumba (SLV). Amarelo: Sassi (TUN)
INCIDENCIAS: Segunda rodada do Grupo G da Copa do Mundo 2018, na Otkrytie Arena, em Moscou, Rússia

Em mais uma atuação convincente, a Bélgica aproveitou as dificuldades da Tunísia e goleou por 5 a 2 na segunda rodada do Grupo G da Copa do Mundo. Eden Hazard e Lukaku, duas vezes, além de Batshuayi marcaram para os belgas, enquanto Bronn e Khazri anotaram para os tunisianos.

Com seis pontos, a Bélgica está praticamente garantida na segunda fase, e a Tunísia zerada, está virtualmente eliminada. A única possibilidade que ameaça de alguma forma a classificação belga e dá alguma chance aos tunisianos, é uma improvável vitória do Panamá sobre a Inglaterra, neste domingo (24), às 9h.

Os dois times fecham a participação na primeira fase na quinta-feira (28), às 15h. A Bélgica enfrenta a Inglaterra, em Kaliningrado, enquanto a Tunísia joga contra o Panamá, em Saransk.

Lukaku brilha e Bélgica abre vantagem

A Bélgica exerceu uma pressão na saída de bola tunisiana no início que logo de certo. Logo aos 3, Hazard avançou pela direita, foi derrubado por Syam Ben Youseff e o árbitro apontou pênalti. Joel Marruffo checou o vídeo para certificar-se que a falta foi dentro da área e confirmou a marcação. Na cobrança, Hazard colocou no lado direito, deslocando o goleiro e abrindo o placar em Moscou.

Precisando do resultado, a Tunísia, como havia antecipado o treinador Nabil Maâloul, tentou manter a posse de bola - teve 49% de posse na primeira etapa - para explorar as deficiências da Bélgica, mas a postura agressiva dos belgas no campo rival dificultaram o trabalho de bola dos africanos. Aos 12, em contra-ataque puxado por Meunier, Lukaku recebeu pela direita e cruzou para Hazard chegar batendo, mas o camisa 10 pegou fraco e Ben Mustapha segurou sem problemas.

Já aos 15, a imperfeição tunisiana foi fatal. Na saída errada de Maâloul, Mertens avançou no contra-ataque e assistiu Lukaku, que bateu rasteiro e cruzado da entrada da área e mandou no canto para fazer 2 a 0. A Tunísia, porém, não desistiu. Dois minutos após sofrer o segundo, em falta lateral cobrada por Khazri, Bronn subiu mais alto que a defesa e raspou de cabeça, mandando no canto e descontando em Moscou.

Logo no minuto seguinte, após cruzamento de Meunier, Carrasco apareceu dentro da área para finalizar, mas Ben Mustapha salvou e evitou o terceiro. Cinco minutos após marcar o gol, Bronn machucou o joelho sozinho, e foi substituído por Naguez. Ainda no primeiro tempo, a Tunísia teve que fazer mais uma alteração por lesão, com Syam Ben Youssef dando lugar a Benalouane.

Dylan Bronn marcou o gol tunisiano, mas, poucos minutos depois saiu lesionado (Foto: Catherine Ivill/Getty Images)
Dylan Bronn marcou o gol tunisiano, mas, poucos minutos depois saiu lesionado (Foto: Catherine Ivill/Getty Images)

Depois de um intenso início, o ritmo do jogo diminuiu um pouco e, apesar dos diversos erros na saída de bola, não aproveitados pelos belgas, a Tunísia conseguiu criar algumas oportunidades. Aos 30, em boa jogada pela direita, Naguez avançou em velocidade e cruzou, mas Witsel cortou e Sassi ficou com o rebote. O meia limpou a marcação e bater cruzado, com perigo à esquerda do gol. Dois minutos depois, Khazri recebeu de Skhiri na intermediária, arriscou chute venenoso e exigiu defesa em dois tempos de Courtois.

A Tunísia se mostrou disposta a explorar as falhas do rival, mas as suas foram mais uma vez exploradas pela Bélgica antes do intervalo. Aos 48, em nova saída errada de Maâloul, Meunier avançou para a entrada da área, tocou nas costas da defesa e Lukaku saiu de frente para o goleiro, encobrindo Ben Mustapha e fazendo 3 a 1, e igualando Cristiano Ronaldo na artilharia da Copa, com quatro gols.

Lukaku encobriu o goleiro Ben Mustapha para fazer 3 a 1 para a Bélgica (Foto: Kevin C. Cox/Getty Images)
Lukaku encobriu o goleiro Ben Mustapha para fazer 3 a 1 para a Bélgica (Foto: Kevin C. Cox/Getty Images)

Bélgica aproveita espaços e constrói goleada

Logo no início da segunda etapa, a Bélgica tratou de enterrar qualquer chance de recuperação da Tunísia. Aos 5, Alderweireld lançou do campo de defesa, Hazard saiu com espaço, passou pelo goleiro e, mesmo pressionado, tocou com gol aberto para fazer 4 a 1.

Segundo gol de Hazard matou o jogo em Moscou (Foto: Matthew Ashton - AMA/Getty Images)
Segundo gol de Hazard matou o jogo em Moscou (Foto: Matthew Ashton - AMA/Getty Images)

A partir daí, a Bélgica passou a administrar a sua vantagem, sem forçar muito e deixando a Tunísia com mais posse de bola. Sem muito poder ofensivo, os tunisianos ficaram com a posse, mas pouco assustaram e ainda deixaram espaços na defesa. Aos 15, Meunier atravessou bola na entrada da área, Hazard raspou de calcanhar e Carrasco finalizou de primeira na quina da área, mandando chute colocado muito perto do ângulo de Ben Mustapha.

A partida foi de muitas finalizações - 23 a 16 para a Bélgica -, e a Tunísia conseguiu algumas chegadas. Aos 21, Badri recebeu de Sliti na entrada da área, limpou a defesa e bateu cruzado, mas Courtois segurou firme.

O técnico Roberto Martínez, administrando o elenco, colocou três jogadores que não entraram na estreia - Fellaini, Batshuayi e Tielemans -, o que deu um maior ímpeto à Bélgica. O centro-avante, inclusive, viveu uma verdadeira saga atrás de um gol.

Aos 30, Batshuayi recebeu de Mertens nas costas da defesa e driblou o goleiro antes de finalizar, mas Meriah apareceu para evitar o quinto gol belga. Quatro minutos depois, Carrasco recebeu de Mertens na entrada da área, bateu colocado e o goleiro falhou. No rebote, Batshuayi ficou de frente e livre, mas chutou muito forte e a bola explodiu no travessão.

E não acabou por aí. No minuto seguinte, De Bruyne fez arrancada pela direita, cruzou para trás e Batshuayi apareceu para finalizar forte, porém dessa vez foi Ben Mustapha quem evitou o gol do atacante do Dortmund. Até que, aos 44, ele foi finalmente recompensado. Tielemans teve espaço na direita, atravessou para a área e Batshuayi finalizou de carrinho para finalmente marcar e fazer 5 a 1 - o centro-avante finalizou seis vezes em 28 minutos em campo.

Foi difícil, mas Batshuayi conseguiu marcar o seu na goleada da Bélgica sobre a Tunísia (Foto: Shaun Botterill/Getty Images)
Foi difícil, mas Batshuayi conseguiu marcar o seu na goleada da Bélgica sobre a Tunísia (Foto: Shaun Botterill/Getty Images)

No fim, já nos acréscimos, Naguez avançou pela direita, chegou à linha de fundo e cruzou para trás, onde Khazri apareceu para finalizar e descontar para a Tunísia e fechar o placar: Bélgica 5 a 2, em mais um triunfo seguro dos Red Devils.