Copa do Mundo VAVEL: a história do Mundial de 1982

Atacante italiano foi artilheiro da Copa e principal responsável pela eliminação de um Brasil que fez história

Copa do Mundo VAVEL: a história do Mundial de 1982
1982: A Copa de Paolo Rossi

Em 1982, a Espanha recebeu a 12ª edição da Copa do Mundo FIFA, a primeira com 24 seleções, inclusive com varias estreantes na disputa.

Foram 105 seleções nas disputas das eliminatórias para chegar até as 24 equipes que foram para solo espanhol em busca do título.

Um dos destaques daquela disputa foi a seleção brasileira comandada por Telê Santana, e que é considerada por muitos até hoje, a melhor seleção da história do Brasil, apesar de não ter conquistado o título. O elenco contava com Leandro, Júnior, Toninho Cerezo, Falcão, Zico, Sócrates, entre outros jogadores que apresentavam um futebol diferenciado e que chamava a atenção do mundo inteiro.

Outros times contavam com grandes astros do futebol mundial, como a França de Platini, Argentina de Maradona e Kempes e a Itália de Dino Zoff e Paolo Rossi.

Itália é tricampeã diante da Alemanha Ocidental

Depois de eliminar os atuais campeões e a seleção brasileira que era vista como a favorita ao título, a Itália chegou à final diante da Alemanha Ocidental com moral em busca do seu terceiro título mundial.  

Foi no Santiago Bernabéu, em Madri, que a Itália sobrou diante dos alemães e garantiu o seu terceiro título mundial. Depois de um primeiro tempo empatado em 0 a 0, a Azurra voltou melhor e abriu o placar com Paolo Rossi, que já havia brilhado diante do Brasil e se tornava o artilheiro isolado da Copa com 6 gols. Tardelli e Altobelli completaram o placar e Breitner descontou para os alemães que perderam o título para sua maior rival. 

A decepção brasileira

Apontada como uma das favoritas para a conquista do título, a Seleção Brasileira sobrou na primeira fase, venceu a URSS por 2 a 1, venceu a Escócia por 4 a 1 e a Nova Zelândia por 4 a 0.

Depois dessas vitórias, o time que jogava um futebol ofensivo foi caindo cada vez mais no gosto do público e da mídia mundial, sendo apontada como principal candidata ao tetracampeonato.

A melhor partida da seleção naquela Copa foi a estreia na segunda fase, diante da Argentina, com uma vitória 3 a 1, com gols de Zico, Serginho e Júnior.

Na sequência, o time brasileiro pegaria a Itália que vinha de três empates na primeira fase e uma vitória sofrida diante da Argentina por 2 a 1. Para os torcedores brasileiros era só mais um degrau na busca pelo título em solo espanhol.

Quis o destino que no dia 5 de julho de 1982, Paolo Rossi acabasse com as esperanças do Brasil em conquistar o Tetra. Com cinco minutos de jogo, o atacante italiano abriu o placar; aos 12 minutos, Sócrates empatou para o Brasil; aos 25 minutos Rossi apareceu novamente e colocou a Itália em vantagem. No segundo tempo, Falcão acertou um belo chute aos 23 minutos e deu esperança ao povo brasileiro – já que um empate bastaria para a seleção se classificar. Aos 30 minutos brilhou a estrela daquele que seria o artilheiro da Copa, e Rossi mais uma vez marcou e fez 3 a 2 para a Itália, acabando com o sonho do tetra brasileiro e mantendo o sonho do tri da Azurra.

Dona da casa, Espanha cai na segunda fase

Jogando em casa com o apoio da sua torcida, a Espanha começou a Copa decepcionando seus torcedores. Na partida de abertura, empatou em 1 a 1 com Honduras, que fazia sua estreia em Copa do Mundo.

No jogo seguinte, o time da casa venceu a Iugoslávia por 2 a 1 e na despedida da primeira fase foi derrotada pela Irlanda do Norte por 1 a 0. Ainda assim, garantiu o segundo lugar do grupo com 3 pontos ganhos, mesma pontuação da Iugoslávia, que perdia no confronto direto e nos gols feitos.

Na segunda fase, o time caiu no grupo com Inglaterra e Alemanha Ocidental, e depois de perder por 2 a 1 para os alemães, não saiu de um empate em 0 a 0 com a Inglaterra, decretando a eliminação das duas equipes.

Artilheiro da Copa

Depois de brilhar contra o Brasil e fazer três gols, Paolo Rossi despontava como um dos candidatos à artilheiro da competição e confirmou isso na final, diante da Alemanha Ocidental, quando marcou seu sexto gol (3 gols diante do Brasil na segunda fase, 2 gols na semifinal diante da Polônia e 1 gol na final diante da Alemanha Ocidental) na competição, se tornando o maior nome da Itália na conquista do tricampeonato.

Pelos lados brasileiros, Zico com quatro gols (1 gol diante da Argentina na segunda fase, 2 gols na Nova Zelândia na primeira fase e 1 gol na Escócia na primeira fase) ficou com a chuteira de bronze.

As surpresas africanas

Na Copa de 1982, dois times africanos chamaram atenção do mundo. Camarões estava no grupo da Itália e também empatou os três jogos da primeira fase, sendo eliminado pela própria azurra por ter feito um gol a menos que a seleção europeia.

Já a Argélia venceu o Chile (3 a 2) e a Alemanha Ocidental (2 a 1) e só ficou fora por conta de um jogo suspeito entre Alemanha Ocidental e Áustria que acabou 1 a 0 para os alemães e garantiu a classificação das duas equipes para a segunda fase.

As semifinais

Não foi apenas a Itália que fez um jogo épico antes de chegar à grande final da Copa. A Alemanha Ocidental precisou derrubar a França de Michel Platini para garantir a vaga na final da Copa.

Depois de um empate em 1 a 1 no tempo normal, a França chegou a abrir 3 a 1 na prorrogação e viu a Alemanha buscar o empate em 7 minutos e levar a decisão para os pênaltis. Nas cobranças, Six e Bossis perderam para a França, enquanto Stielike desperdiçou para a Alemanha, garantindo o placar de 5 a 4 e levando os alemães para a final.

Já pelo lado italiano, a Azzura mais uma vez contou com um dia inspirado de Paolo Rossi, que fez os dois gols diante da Polônia e garantiu a vaga na final.

Segunda fase

Com um regulamento diferente, a Copa de 1982 contou com 24 seleções dividas em 6 grupos de 4, os dois primeiros de cada grupo passavam para a segunda fase que eram divididos em 4 grupos de 3, onde somente os melhores de cada chave iam para a semifinal.

No Grupo 1, a Polônia que tinha como destaques Lato e Boniek caiu num grupo com Bélgica e União Soviética, e mais uma vez foi bem, venceu os belgas por 3 a 0 e ficou no empate com a União Soviética, garantindo o primeiro lugar do grupo no saldo de gols (3 a 1) na própria União Soviética.

Enquanto que no Grupo 2, a Alemanha Ocidental acabou com o sonho da Espanha e da Inglaterra – empate em 0 a 0 com os ingleses e vitória por 2 a 1 diante dos donos da casa.

No Grupo 3, considerado o mais forte, estavam Itália, Brasil e Argentina (atuais campeões mundiais). No primeiro jogo, a Itália venceu a Argentina por 2 a 1, depois foi a vez do Brasil bater os “Hermanos” e ir para a ultima rodada precisando apenas de um empate para ir à semifinal, mas acabou derrotado por 3 a 2 e viu a Itália garantir o primeiro lugar do grupo.

A França caiu num Grupo 4 com Áustria e Irlanda do Norte e não tomou conhecimento, venceu as duas partidas (1 a 0 na Áustria e 4 a 1 na Irlanda do Norte) garantindo o primeiro lugar e a vaga na semifinal.

Fase de Grupos

A fase de grupos já começou com um resultado surpreendente, a atual campeã, Argentina estreou com derrota diante da Bélgica, por 1 a 0. Os Hermanos se classificaram em segundo lugar para a segunda fase depois de vencer a Hungria e El Salvador.  A liderança do grupo ficou com a Bélgica que empatou com a Hungria e venceu El Salvador. Outro destaque foi a vitória de 10 a 1 da Hungria diante de El Salvador.

No grupo que tinha a Alemanha Ocidental, Argélia, Áustria e Chile também começou com surpresa. A Argélia que era estreante em Copa, venceu a Alemanha Ocidental por 2 a 1 e o Chile por 3 a 2. Apesar dos bons resultados, os classificados foram Alemanha Ocidental e Áustria depois de uma partida vencida pelos alemães que fora chamada de “jogo da vergonha” por ficar evidente a combinação de resultado para que as duas equipes avançassem de fase.

No grupo da França, a seleção de Platini e cia sofreu, perdeu do time inglês na estreia e depois empatou com Tchecoslováquia e garantiu a vaga na última rodada depois de vencer o Kuwait por 4 a 1. Um fato inusitado nesse jogo foi que um sheik invadiu o campo para reclamar de um gol francês que acabou anulado pelo árbitro, mas não impediu a goleada francesa.

A Espanha também sofreu para passar de fase, depois de empatar na estreia diante de Honduras, perdeu para a Irlanda do Norte (que foi primeira do grupo) e venceu a Iugoslávia por 2 a 1.

Já a seleção brasileira venceu os três primeiros jogos contra União Soviética, Escócia e Nova Zelândia, com goleadas e mostrando um futebol ofensivo. O segundo lugar ficou com a União Soviética que venceu a Nova Zelândia (3 a 0) e empatou com a Escócia (2 a 2).

No grupo de Itália e Polônia, as duas equipes passaram de fase, enquanto a Polônia empatou dois jogos (Camarões e Itália) e goleou o Peru por 5 a 0, a Itália empatou as três partidas e só ficou à frente de Camarões por ter feito um gol a mais que os africanos e passou como “azarão” para a próxima fase.