Bélgica marca no fim, vira contra Japão de forma dramática e pega Brasil nas quartas
Divulgação/FIFA

Bélgica marca no fim, vira contra Japão de forma dramática e pega Brasil nas quartas

Bélgica supera o Japão na última bola do jogo e garantiu a classificação

ygor-moreira
Ygor Henriques Moreira
BélgicaCOURTOIS; VERTONGHEN, KOMPANY, ALDERWEIRELD; MEUNIER, DE BRUYNE, WITSEL, CARRASCO (CHADLI); MERTENS (FELLAINI), EDEN HAZARD; LUKAKU
JapãoKAWASHIMA; SAKAI, SHOJI, YOSHIDA, NAGATOMO; SHIBASAKI (YAMAGUCHI), HASEBE; INUI, KAGAWA, HARAGUCHI (HONDA); OSAKO
Placar0-1, MIN. 47, HARAGUCHI. 0-2, MIN. 51, INUI. 1-2, MIN. 68, VERTONGHEN. 2-2, MIN. 73, FELLAINI. 3-2, MIN. 90, CHADLI
ÁRBITROMalang Diedhiou (SEN) / Assistentes: Djibril Camara (SEN) e El Hadji Samba (SEN)
INCIDENCIASPARTIDA VÁLIDA PELAS OITAVAS DE FINAL DA COPA DO MUNDO 2018

Em duelo válido pelas oitavas de final da Copa do Mundo 2018, Bélgica e Japão fizeram um embate histórico em Rostov. Após levar dois gols no início do segundo tempo, a Bélgica virou a partida após as substituições do técnico Roberto Martinez surtirem efeito em campo.

O favoritismo da Bélgica não foi visto no início da partida. A tendência era o Japão entrar retrancado e jogar no contra-ataque, mas não foi isso que aconteceu. O time Japonês começou o jogo controlando as ações, pegando a equipe Belga de surpresa. Sem chances claras de gol, o Japão começou dar a bola para a Bélgica na metade do primeiro tempo e a mesma tranquilizou a partida.

Lukaku foi acionado duas vezes e não conseguiu converter em gols as oportunidades. A primeira defesa do jogo ocorreu apenas aos 26 minutos do primeiro tempo, com uma finalização forte de Hazard, espalmada pelo goleiro Kawashima

No final da primeira etapa, Nagatomo chutou cruzado, Osako desviou e Courtois deixou a bola passar por baixo das pernas, quase falhando em Rostov. Com o jogo equilibrado, o primeiro tempo acabou com o Japão melhor postado em campo.

Se o primeiro tempo foi morno, o segundo tempo foi totalmente diferente. Logo no segundo minuto, Shibasaki encontrou um ótimo passe para Haraguchi, que não conseguiu ser interceptado por Vertonghen, o meia dominou, pensou e conseguiu finalizar sem chances para Courtois, abrindo o placar para o Japão. No minuto seguinte, na saída de bola, Hazard recebe na entrada da área e finaliza na trave. 

Aos sete minutos, Kagawa deu um bom passe para Inui, que arriscou forte de longe distância e marcou o segundo para o Japão. A "zebra" acontecia em Rostov.

Após o segundo gol Japonês, o técnico Roberto Martinez colocou Fellaini e Chadli em campo, apostando na jogada aérea, já que a Bélgica encontrava dificuldade em solo e a mudança surtiu efeito em campo.

Aos dezesseis, Lukaku quase marcou de cabeça e a Bélgica começou encontrar espaço pelos lados. Aos vinte e quatro minutos, começou a reação. Após Kawashima sair de forma errada do gol e Inui afastar a bola para o alto, Vertonghen cabeceou de forma estranha, mas o suficiente para encobrir o goleiro japonês e diminuir o placar.

A equipe do Japão sentiu o gol e ficou ainda mais pressionada, não demorando muito para sofrer o empate. Cinco minutos depois, Hazard cruzou e Fellaini empatou em um belo cabeceio. O Japão fez mudanças no meio campo, para neutralizar os passes da equipe da Bélgica, mas a seleção estava visivelmente nervosa após sofrer dois gols em menos de cinco minutos.

Aos 38 minutos, Honda desperdiçou uma bela oportunidade, parando em Courtois. Dois minutos depois, Chadli cabeceou, Kawashima fez uma defesa espetacular e no rebote, Lukaku finalizou para novamente em Kawashima, com o goleiro sendo aplaudido pelos torcedores no estádio.

O árbitro acrescentou quatro minutos de acréscimo e no terceiro minuto, Honda bateu uma falta de longe de forma perigosa e Courtois fez uma linda defesa. Na cobrança de escanteio, os japoneses foram para a área decidir o jogo, mas na bola batida por Honda, Courtois defendeu e iniciou um contra-ataque, De Bruyne passou para Meunier, que encontrou Lukaku, que preferiu deixar a bola sobrar para Chadli que sem goleiro marcou o gol da virada. A Bélgica virou em vinte e cinco minutos e eliminou o Japão da Copa do Mundo.

A comemoração foi tamanha, ainda mais pelo jogo desenrolar de uma forma que poucos imaginara antes da partida. Hazard foi eleito o homem do jogo pelos torcedores.

O gol de Chadli foi o segundo mais tardio da história das copas, ficando por quarenta segundos atrás do gol de Totti, para a Itália contra a Austrália em 2006. Pela primeira vez na história dos mundiais, dois jogadores que entraram no decorrer da partida pela mesma equipe, acabaram marcando gols, caso de Fellaini e Chadli.

Com a vitória, a Bélgica enfrentará o Brasil na próxima sexta-feira (6), em Kazan, jogo válido pelas quartas de final da Copa do Mundo 2018.

 

 

 

 

VAVEL Logo

Futebol Internacional Notícias

há um dia
há um dia
há um dia
há um dia
há um dia
há 2 dias
há 2 dias
há 2 dias
há 2 dias
há 2 dias
há 2 dias