Após classificação, Alberto Valentim elogia atuação do Botafogo: "Quase perfeita"
Foto: Vitor Silva/SS Press/Botafogo

Após uma derrota de 3 a 0 para o Fluminense, na final da Taça Rio, o Botafogo conseguiu virar a chave com rapidez e qualidade e, com uma grande atuação, derrotou o Flamengo e se garantiu na final do Campeonato Carioca. Após a partida desta quarta-feira (28), no Maracanã, o treinador Alberto Valentim deu sua visão sobre o duelo, indicando que o adversário havia começado melhor.

Presença marcante: Botafogo chega à sua décima final de Carioca nas últimas 13 edições

"Flamengo começou pouco melhor, jogando no nosso campo defensivo, depois a gente foi procurando equilibrar o jogo e saindo jogando com Jefferson. Fomos melhorando, quando conseguimos jogar mais no nosso campo ofensivo. Fizemos jogada pelo lado direito com Marcinho e saiu o gol”, afirmou.

O técnico ainda completou, falando que ‘sofrer’ era necessário na partida. No segundo tempo, o Flamengo controlou a posse da bola, mas pouco conseguiu criar, com exceção de uma bola na trave de Henrique Dourado. "Sabíamos que o Paulo (César Carpegiani) deixaria time mais ofensivo, teríamos que fazer fase ofensiva com muita qualidade, saber sofrer no jogo. Quando o adversário não dá chance de jogar no campo defensivo", disse.

Ídolo e histórico: Jefferson se torna quarto jogador com mais jogos pelo Botafogo

Ao ser perguntado sobre Joel Carli, que havia ficado de fora das últimas partidas, Valentim afirmou que não é sempre que é possível repetir a escalação do time: "Eu já tinha deixado lá atrás que todos são importantes. Não tem como repetir sempre equipe. Ou por lesão, caso do Kieza, ou por suspensão, ou por queda técnica. Não só o Carli, é o Renatinho, que entrou, é o próprio Brenner, que não vinha jogando. Jefferson, quando o Gatito saiu para defender a seleção paraguaia, estava pronto e foi muito importante”.

No segundo tempo, o Flamengo, buscando o empate, se manteve ativo durante grande parte no campo ofensivo, mas pouco conseguiu criar. Nesse contexto, Alberto elogiou o sistema defensivo do Botafogo, que, após algumas críticas, voltou a mostrar solidez. "Quando você baixa muito a linha e não consegue sair, é normal acabar fazendo um 4-5-1 ou 5-4-1, o Marcelo acabava entrando. Fica difícil o time do Fla entrar pelo meio, e eles tentaram a beirada. É normal. Conseguimos fazer muito bem essa linha defensiva”, bradou.

Questionado sobre o lado psicológico da equipe, que conseguiu se recuperar após uma atuação ruim diante do Fluminense, Valentim afirmou que o importante são os jogadores se formarem como um time. "Não tem frase feita para jogador entrar pilhado. Não fomos felizes contra o Flu nem contra o Vasco, depois recuperamos rápido. Importante é o Botafogo virar equipe de verdade, jogar de frente contra qualquer equipe. O resultado de 3 a 0 (do Fluminense), não sei a opinião de vocês, não foi muito verdadeiro. Por isso voltamos fortes para esse jogo também”, afirmou.

Notas: Moisés, Lindoso e Luiz Fernando brilham em classificação do Botafogo à final do Carioca

Muito aclamado pela torcida, o meio-campo Renatinho foi titular na partida, superando um tempo inativo por conta de lesões, e entrando no lugar de Marcos Vinícius: “Iniciamos com Renatinho no 4-3-3, ele não fazendo o 10. Ele ao lado do Lindoso, e o Marcelo pela direita. Vem recuperando a forma física, vinha treinando muito bem, e eu gostei da entrega dele em jogo", falou.

Falando sobre a atuação, Alberto Valentim enfatizou a qualidade ofensiva do Botafogo, que se mostrou letal quando atacou: "Foi quase perfeita. Perfeita está longe ainda. Nas poucas vezes que fomos ao ataque, fizemos o gol. Fase ofensiva foi perfeita. Amanhã, quando eu vir o jogo de novo não será esse sofrimento. Talvez Botafogo não tenha corrido tanto perigo. Flamengo jogou bola na trave, Jefferson fez boas defesas, e não é fácil jogar contra equipe de qualidade, e a nossa equipe não conseguir sair da nossa defesa", finalizou.

VAVEL Logo