Tudo igual! Grêmio e Flamengo empatam no Sul, e vaga continua aberta na Libertadores
Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

A partida de ida das semifinais da Libertadores entre Grêmio e Flamengo terminou empatada, no placar de 1 a 1. Disputado em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, o jogo começou com um domínio do time rubro-negro, que desde os primeiros minutos trocava passes e criava jogadas perigosas, sempre com boa participação do trio ofensivo Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol.

A pressão carioca surtiu efeito e os comandados do treinador português Jorge Jesus incomodaram a zaga gremista pouca entrosada, já que David Braz substituiu o titular Pedro Geromel lesionado. Com movimentação constante no setor de ataque, o Flamengo chegou a dois gols (marcados por Éverton Ribeiro e Gabigol), anulados pelo árbitro de vídeo. O segundo, inclusive, decidido com a tecnologia avançada das imagens, em lance milimétrico.

O time de Renato Gaúcho, ao contrário, pouco fez nos 45 minutos iniciais. Éverton "Cebolinha" quase não apareceu e o Imortal levou perigo à meta de Diego Alves apenas uma vez, em chute de média distância de Alisson, também apagado. À beira do campo, o técnico tricolor demonstrava clara insatisfação com a postura de seus jogadores e reclamava com frequência do posicionamento de Luan e dos pontas, que não estavam ajudando na marcação.

Após o intervalo, a partida tomou outro rumo. O Rubro-Negro voltou com o mesmo ímpeto e vontade da etapa inicial e continuou criando boas chances no campo de ataque. Mas o Grêmio, que teve a pior posse de bola em um jogo oficial desde 2013, retornou melhor e mais focado na partida. Os principais jogadores do Imortal entraram no jogo e colocaram o Flamengo "nas cordas", como havia imaginado Jorge Jesus em entrevista coletiva na véspera do confronto.

Diego Alves fez duas grandes defesas e os cariocas sentiram a pressão e evolução do adversário. Mesmo com o cenário indicando mudança no panorama, a equipe do Rio fez o que tem feito de melhor na era pós-Abel: jogadas bem trabalhadas até chegar ao gol (dessa vez, validado). Com quase todos os jogadores participando do lance, a bola chegou em Gerson, que abriu o passe para Arrascaeta na ponta direita. O uruguaio fez belo cruzamento para Bruno Henrique que, marcado pelo contestado Rafael Galhardo, testou para o gol e contou com o desvio na trave para marcar o tão importante gol fora de casa. Comemoração para cerca 4 mil torcedores que vieram até Porto Alegre.

O treinador do tricolor decidiu fazer trocas no ataque e tirou Diego Tardelli e Alisson, que deram lugar ao atacante André e ao jovem promissor Pepê. No fim da partida, a estrela do garoto (e também de Renato Gaúcho) brilhou. Em bom contra-ataque puxado pelos donos da casa, a bola chegou até Cebolinha na faixa direita do campo. Com Filipe Luís machucado e caído, o artilheiro da última Copa América se aproveitou e cruzou na área, até encontrar o próprio Pepê, que sozinho, só empurrou pras redes. Mesmo assim, a reação não foi para frente e o juiz apitou o fim da partida.

O Flamengo, além de sofrer o empate nos momentos finais, ainda tem razões para se preocupar. Arrascaeta e Filipe Luís estão com suspeita de entorse no joelho, e Gerson saiu substituído com dores na coxa. Já o Grêmio, nas próximas semanas, espera contar com os retornos do zagueiro Pedro Geromel e do meia Jean Pyerre para a partida de volta, no Rio de Janeiro.

Ainda tem a volta

As duas equipes voltam a se enfrentar pela semifinal da Libertadores no dia 23/10, no Maracanã, às 21h:30. Agora, os cariocas concentram o foco na Chapecoense, adversário de domingo de manhã, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro e defende a liderança da competição. O Tricolor encara o Corinthians no Sul, assim como hoje, e busca se aproximar do G-4.

VAVEL Logo