Gabriel Barbosa (Gabigol)
Gabriel Barbosa (Gabigol)
Football Player
Soccer

Gabriel Barbosa (Gabigol)

1996 São Bernardo, São Paulo


Nascido em 30 de agosto de 1996, Gabriel Barbosa de Almeida, mais conhecido no futebol como Gabigol, é um jogador brasileiro de futebol que atua como atacante. Revelado pelo Santos Futebol Clube no ano de 2013, atualmente veste a camisa do Clube de Regatas do Flamengo, equipe onde atingiu o ápice de sua carreira, caindo nas graças da torcida carioca.

Com 1,78 m de altura, sua habilidade em campo se dá pelo faro de gol e bom posicionamento dentro da área, não à toa recebe a palavra "gol" em seu nome Gabriel, adaptando-o para "Gabigol". Esse apelido foi conquistado na época das categorias de base no Santos, por onde jogou de 2005 a 2013, sendo artilheiro juvenil em alguns campeonatos.

Logo que subiu ao time profissional do Santos Futebol Clube conseguiu ser o artilheiro do time na temporada 2014, ano que também se sagrou artilheiro da Copa do Brasil pelo Alvinegro Praiano. Em 2015, com oito gols, foi novamente artilheiro do clube na Copa do Brasil, mas perdendo o título na final, ficando com o vice-campeonato. Na temporada seguinte, em 2016, foi top scorer do Santos no Campeonato Paulista, torneio em que foi campeão.

Com o holofote do destaque, foi contratado pela Internazionale de Milão, clube da Itália ainda em 2016, por 27 milhões de euros. Em solo italiano não foi feliz, sem sequência, fazendo com que fosse emprestado ao Sport Lisboa e Benfica, por onde, em 2017, atuou em apenas cinco jogos, marcando um único gol.

Quando acabou o empréstimo ao clube português, Gabigol retornou ao Santos, ganhou status, mas ainda não suficiente para permanecer na Inter de Milão, que novamente o negociou, agora, em 2019, para o Flamengo. No entanto, a história tomou novos rumos para Gabriel Barbosa, que foi herói rubro-negro na Copa Libertadores, virando ídolo do time carioca por conquistar o campeonato continental, o Campeonato Brasileiro e o Campeonato Carioca em 2019, além da Recopa Sul-Americana e a Supercopa do Brasil já em 2020.

No auge da carreira, Gabigol é comprado pelo Flamengo por 76 milhões de reais

Após deixar a torcida rubro-negra em angústia, o atacante artilheiro do Brasileirão e da Libertadores em 2019 continuou no Flamengo. O empréstimo junto a Inter de Milão acabou no dia 31 de dezembro de 2019, mas, em seguida, o Rubro-Negro oficializou a compra em definitivo de Gabriel Barbosa, o "Gabigol". O vínculo com os italianos era até 30 de junho de 2022. Porém, a diretoria do time europeu queria vendê-lo o quanto antes e tentar recuperar parte do valor de €29,5 milhões investidos em agosto de 2016. Meta do Rossonero era aproveitar a fase áurea do valor de mercado do brasileiro.

A compra não foi concretizada por 18 milhões, nem por 20 milhões de euros. O Flamengo comprou 90% dos direitos de Gabigol por 16,5 milhões de euros (cerca de R$ 76 milhões). Depois de longa conversa, Marcos Braz e Bruno Spindel ofereceram mais 500 mil euros em relação à oferta inicial e ficaram com mais 10% do atacante.

Imagem publicada pelo CRF para oficializar o acerto com Gabigol (Imagem: Reprodução / CRF)
Imagem publicada pelo CRF para oficializar o acerto com Gabigol (Imagem: Reprodução / CRF)

Com a contratação fechada pelo Flamengo, Gabigol optou por jogar no clube em que conseguiu recuperar a boa forma. Por enquanto, abre mão de jogar na Europa.

Gabigol e seu ápice do valor de mercado

Gabriel Barbosa é jovem, tem 23 anos, e foi decisivo no ano mais vitorioso do Flamengo no atual século. Artilheiro da Libertadores e do Brasileirão, ele nunca esteve tão caro em sua trajetória futebolística. E tudo isso tem motivo: 2019 é o melhor ano do atacante.

Há seis anos como profissional, o prêmio individual de top scorer da Libertadores foi para sua sala de conquistas. Foram nove gols em 12 jogos, inclusive os dois decisivos da final contra o River Plate. Pelo Campeonato Brasileiro, Gabigol teve 25 gols em 29 partidas que jogou. Isso o fez artilheiro da competição nacional pelo segundo ano seguido, pois em 2018 marcou 18 gols em 35 partidas pelo seu ex-clube, o Santos.

De acordo com o Transfermarkt (site alemão especializado em valores de mercado), Gabriel atingiu a etiqueta de 23 milhões de euros no início de janeiro de 2020.

Quando surgiu no Santos, em 2013, o atacante já carregava o apelido com o "gol" no final de seu nome, graças ao desempenho nas categorias de base do clube praiano. Como profissional, Gabriel marcou 56 gols em 154 jogos. Seu potencial ativou interesse da Inter de Milão em 2016, quando ele valia €20 milhões, no entanto os italianos apostaram e em seu futuro  e pagaram €29,5 milhões ao Santos.

Na Itália, Gabigol perdeu seu apelido ao fazer apenas um gol em 183 minutos com a camisa rossonera, foi utilizado minimamente em 10 jogos. Seu valor caiu e chegou aos €15 milhões quando foi emprestado para o Benfica, que pagou €1,7 milhão para tê-lo por meio no. Não teve sucesso: um gol em apenas 164 minutos (partes de cinco partidas).

Depois de não ir bem também em Portugal, o camisa 9 voltou para o Santos, que pagou os mesmos €1,7 milhão do Benfica para repatriá-lo. E como diz o ditado "às vezes temos que dar um passo para trás para darmos dois à frente". Gabigol começou a reencontrar o caminho do bom desempenho.

Seu valor de mercado na volta ao Santos estava em €9 milhões, exatamente €20 milhões a menos que a quantia paga pela Inter no ato da compra. Gabriel cresceu e foi o maior goleador do Brasileirão com 18 gols em 35 jogos. Ao todo, foram 27 tentos em 52 partidas. Isso o valorizou economicamente, além da questão de status. Ao fim do ano, o Flamengo pagou €700 mil por uma temporada de empréstimo, apostando nele para ser o homem-gol dos planos flamenguistas. E deu tudo certo!

Em janeiro de 2019, Gabigol valia €13 milhões depois do bom 2018.

Já no Campeonato Carioca daquele ano, Gabriel marcou sete gol em 12 jogos, conquistando seu primeiro título com a camisa rubro-negra. Depois veio o Campeonato Brasileiro Série A. Sucesso absoluto. A frase "hoje tem gol do Gabigol" quase substituiu o "ordem e progresso" da bandeira do Brasil. Pelos quatro cantos do País, a criançada repetia a frase.

A artilharia do Brasileirão já estava em seus pés. Assim, em agosto, seu valor de mercado chegou aos €18 milhões.

Junto à campanha excepcional da equipe e também individual, o atacante se valorizou ainda mais. Depois de ser o homem-gol na final da Libertadores, esse valor bateu o recorde individual de €23 milhões. Assim, com nove gols em 12 jogos, Gabigol se tornou o artilheiro da maior competição sul-americana.

Tudo bem que no Mundial de Clubes ele passou despercebido, inclusive na decisão contra o Liverpool. Mas isso não atrapalhou o ano do artilheiro do ano no Brasil.

Gabigol, o surgimento de um ídolo sul-americano

Gabriel Barbosa viveu algo novo para sua carreira no dia 4 de março de 2020, uma quarta-feira. Ídolo da história do Flamengo e xodó da criançada brasileira, o camisa 9 rubro-negro teve noção de um novo patamar de sua figura. Contra o Junior Barranquila, na estreia do time carioca na Copa Libertadores 2020, Gabigol foi aplaudido pela torcida do time colombiano e idolatrado por crianças — uma delas ainda invadiu o gramado no apito final para pedir a camisa do brasileiro e dar-lhe um abraço.

Talvez, desde aquele Neymar Jr. do Santos o futebol brasileiro não via um ídolo caricato cativando torcedores do próprio clube e ate dos adversários. Porém, parece que esse "jejum" chegou ao fim. Depois de protagonizar diversas cenas de respeito e carinho por crianças torcedoras de outras equipes, Gabigol, aos poucos, se firma como esse personagem que os jovens querem ser no mundo futebolístico.

O episódio do dia de 4 março de 2020 encheu de lágrimas os olhos dos verdadeiros amantes do futebol que tem o esporte como algo além do próprio esporte. Deixando a rivalidade, a competição, de lado, Gabigol começou a cativar a torcida do Jr. Barranquilla quando, ainda no aquecimento pré-jogo, deu uma mera camisa de treino para uma criança que, ao lado de várias outras, gritava loucamente "Gabigol, Gabigol, Gabigol" no ferro de proteção das arquibancadas. Prontamente, o camisa 9 flamenguista foi até esse grupo de crianças e com muita calma e simpatia deu sua camisa ao garotinho, que a pegou e rapidamente chorou de emoção.

Durante a partida, Gabriel Barbosa não fez gol, mas ouvia-se um burburinho maior no estádio quando ele tinha a bola sob domínio. E ao fim do duelo, assim que o árbitro apitou o término dos 90 minutos, outra criança, já pré-adolescente, pulou as grades de proteção das arquibancadas e saltou ao gramado. Da forma mais pura e sincera, o garoto correu em direção a Gabigol para abraçá-lo pela primeira vez na vida. Comovido com a cena e tendo noção da proporção de sua figura, o jogador não deixou que os seguranças os puxassem para fora e retribuiu o abraço.

Gabigol ainda deu sua camisa de jogo para o jovem e caminhou com ele até a beira do campo. Antes de cruzar a linha lateral, abaixou, desamarrou suas chuteiras e as deu para o menino.

Com a camisa azul de treino, a criança se emocionou ao recebê-la de Gabigol. Outros meninos imitavam a tradicional comemoração do atacante (Imagem: montagem)
Com a camisa azul de treino, a criança se emocionou ao recebê-la de Gabigol. Outros meninos imitavam a tradicional comemoração do atacante (Imagem: montagem)

Como já havia acontecido com um grupo de crianças gremistas no túnel de acesso ao campo em Porto Alegre e outro grupo infantil de torcedores do Boavista, o atacante do Flamengo vai se consolida a cada ação dessa como um ídolo além de seu clube no Brasil. O que aconteceu em Barranquilla, na Colômbia, também escancarou que seu patamar está elevado a nível continental, que chegou a esse ponto pelo seu estilo garoto de ser: cabelo colorido, dancinhas na comemoração, sorriso no rosto, carisma e nome GabiGOL.

//