Cuca reconhece má atuação do Santos, mas critica arbitragem em derrota para o Inter
Foto: Ivan Storti/Santos FC

Em partida disputada nesta quinta-feira (13), no Beira-Rio, o Peixe voltou a jogar mal e sofreu sua primeira derrota no Campeonato Brasileiro. Após o empate na primeira rodada por 1 a 1 contra o RB Bragantino, o Santos enfrentou o Internacional em Porto Alegre e viu o adversário dominar a partida e vencer por 2 a 0. 

A derrota para o Colorado evidencia o atual momento do time.  A equipe paulista trocou recentemente de treinador e ainda não venceu sob o comando do técnico Cuca, que analisou a derrota para o Internacional: 

"Primeiro tempo não foi bom, mas no segundo melhoramos, equilibramos. Inter teve mais chances por cedermos o primeiro gol e terem contra-ataque. Tentamos, tivemos gol anulado também no impedimento. São coisas que temos que trabalhar."

O treinador também aproveitou para disparar contra a arbitragem, segundo ele, o Santos foi prejudicado com a não marcação de um pênalti no lance do gol anulado do Kaio Jorge, quando a partida ainda estava 1 a 0. 

"Depois do 1 a 0, cedemos dois ou três contra-ataques, não fizeram o gol e veio lance fatídico, o gol anulado do Kaio Jorge. No meu modo de ver, um erro absurdo. A bola bate na mão antes de entrar, é nítido, mas por quê? Se jogou, foi derrubado. Lomba o derruba. Bateu na mão, mas é lance interpretativo. Antes de bater na mão ele foi derrubado. Não é mão, é pênalti. Foi muito claro o pênalti. É um erro que nesse momento que vivemos é crucial fazer o gol, equipe retoma a confiança e parte até quem sabe virar", disparou Cuca. 

"Não é choro, é segundo jogo e segundo erro gravíssimo. Não vou atribuir a isso, depois o Internacional fez o segundo gol, mas é consequência de se jogar no ataque. Sabia da necessidade de muito trabalho, temos que retomar a confiança", completou o treinador. 

Erros à parte, uma má atuação santista

Por fim, o treinador reconheceu a má atuação, chamou a responsabilidade para si e pontuou que é preciso tempo para acertar a equipe: 

"Não se há tempo, é sexto dia com dois jogos e terceiro jogo no oitavo dia. Temos viagem, não há repouso. Temos que equilibrar, usar as peças. Mais da metade eram da base hoje e essa é a saída. Não podemos contratar, temos dificuldades financeiras e vamos administrar. Pego a maior parcela de responsabilidade, para isso eu vim, mas depois ganhamos e aumentamos a confiança. Não temos que achar culpados, agora é tentar vencer no domingo", concluiu o técnico. 

O Peixe volta a campo no domingo (16), às 19h45, contra o Athletico-PR na Vila Belmiro, em jogo válido pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. 

VAVEL Logo