Após novo empate na Série B, Lisca avalia início do América-MG como 'regular'
(Foto: João Zebral / América)

No duelo contra o Juventude, o América-MG conseguiu arrancar um ponto jogando fora de casa nesta segunda-feira (17). O Coelho até criou chances no empate em 0 a 0 no Alfredo Jaconi, mas não conseguiu superar o goleiro Luis Carlos, um dos destaques da partida. Em jogo válido pela quarta rodada da Série B, o empate tem sabor de derrota.

Com o resultado, o América-MG chega ao segundo empate consecutivo, e o terceiro jogo sem vencer. O Coelho tem cinco pontos conquistados em 12 disputados. Resultado ruim também para o Juventude que, em caso de vitória dos concorrentes, Operário-PR e Vitória, pode cair até duas posições.

O técnico do América, Lisca, optou por uma formação tática diferente na equipe americana e por uma estratégia diante da equipe de Caxias. Na visão do treinador, o time se portou bem frente ao adversário.

"Pelo segundo jogo consecutivo, a postura do time é boa, a gente domina o adversário. Até pelo desgaste dessa série de jogos que a gente tem e algumas limitações que temos hoje no plantel, principalmente por causa das lesões... no sistema ofensivo nós perdemos o Ademir, perdemos Felipe Azevedo, perdemos o [Felipe] Augusto, perdemos o Neto Berola. Então, a estratégia foi mais de sustentação na primeira parte, e na segunda parte sabíamos também dessa sequência do Juventude, que eles sentiriam algumas situações, sentiram até no primeiro tempo tiveram que fazer duas trocas por lesão muscular, isso a gente tem que ter muito cuidado", ressalta o comandante americano.

O América-MG criou oportunidades, poderia ter saído com a vitória, mas não conseguiu converter as chances em gols, ponto destacado pelo técnico Lisca.

"Criamos seis chances bem claras no segundo tempo mas, infelizmente não conseguimos converter em gol. Bem parecido com o jogo contra o Operário-PR, a gente foi superior, mas hoje não fica aquele gostinho de derrota, né. Fica uma pequena frustração pelo desempenho, pelas chances criadas mas, a equipe fez um bom futebol e a gente sabe onde precisamos melhorar, eu, os jogadores, a diretoria, a torcida, a imprensa... então, nós temos que trabalhar para resolver esse problema, que é aumentar o nosso número de gols, fazer com que nossos meias compareçam, até agora a gente fez um gol com o [volante] Juninho, um gol com o [lateral-esquerdo] João paulo de pênalti na Série B, é muito pouco pra gente, e precisamos melhorar muito nisso", ressaltou Lisca Doido.

Com uma vitória, dois empates e uma derrota, o América-MG mira a parte de cima da tabela de classificação. O técnico Lisca avaliou o início do Coelho na Série B como regular considerando a dificuldade e o nível da competição.

"É a Série B, uma competição muito difícil. Viemos de dois jogos contra o Atlético-MG muito pesados, e sentimos um pouco também a perda desses atacantes, dessas opções que a gente tinha. Mas, avalio como média, não é nem bom, nem ruim. Estamos no meio da tabela, devemos permanecer no meio, melhor que o ano passado, até porque essa pontuação nós tínhamos em nove rodadas, agora nós temos em quatro, ainda temos mais cinco. Mas, obviamente precisamos melhorar nosso poderio de fogo, nosso poderio ofensivo", finalizou o treinador do Coelho.

O América-MG volta a campo na sexta-feira (21), quando vai encarar o Oeste, às 19h15, no Estádio Independência. O Juventude vai enfrentar o Náutico no próximo sábado (22), às 16h30, no Estádio dos Aflitos.

VAVEL Logo