Roger Guedes com a 123: relembre outros jogadores que utilizaram numeração 'exótica' no Brasil
Foto: Reprodução/Instagram

Em evento de comemoração aos 111 anos do clube, o Corinthians divulgou a numeração de seus dois mais novos reforços. Como já era esperado, Willian retornou para vestir a camisa 10, a mesma que utilizava quando deixou o clube em 2007. A surpresa da noite se deu pela numeração escolhida por Roger Guedes; o atacante surpreendeu ao escolher a camisa de número 123. É um fato raro, mas não será a primeira vez que um jogador usará uma numeração de três dígitos no futebol brasileiro.

O regulamento do Brasileirão Série A não prevê nenhum bloqueio de numeração, assim como o geral da CBF. A única ressalva, é que a entidade seja informada com antecedência da intenção do clube.

Cabe lembrar que a ideia não partiu da diretoria corinthiana para algo comemorativo ou ação de marketing, foi um pedido pessoal do jogador que costuma usar a camisa 23 (dia em que nasceu seu filho) pelos clubes que passa. Como no Corinthians o número é utilizado por Fagner, ele optou por adicionar mais um digito e usar a 123.

Relembre outros casos de três dígitos no futebol brasileiro

  • Rogério Ceni - 618

Em 2005, Rogério chegava ao 618º jogo com a camisa do São Paulo tornando-se o recordista do clube e para comemorar, o goleiro utilizou a camisa 618 no confronto contra o Atlético-MG no Mineirão. O duelo acabou em 0 a 0 com grandes defesas do arqueiro são paulino.

O meia que será reincidente nesta lista (spoiler) utilizou pela primeira vez uma camisa com três dígitos no Brasileirão 2011, em comemoração ao seu tri centésimo jogo pelo Vasco. No dia da comemoração, clube venceu o São Paulo por 2 a 0 fora de casa.

  • Juninho Pernambucano - 114

Novamente o Vasco da Gama, que teve por muitos anos o costume de escolher um jogador para utilizar a "camisa do aniversário" com a numeração de quantos anos o clube completava. A última vez foi em 2012, quando Juninho Pernambucano usou a camisa 114 em comemoração ao centésimo quarto aniversário do clube, em um confronto contra o Fluminense, pelo Campeonato Brasileiro. Porém, o Vasco acabou derrotado por 2 a 1.

  • Neymar - 200

Mais um caso que aconteceu em 2012. Em comemoração ao seu ducentésimo jogo pelo Santos, Neymar foi o camisa 200 em um confronto contra o Atlético-MG, na Vila Belmiro pela 31ª rodada do Brasileirão. Com uma atuação de gala inclusive, o atacante marcou um gol de placa no empate por 2 a 2.

  • Victor - 2019

Em 2015, o goleiro Victor do Atlético-MG utilizou a camisa 2019 em referência ao ano que iria seu novo vinculo com o clube. Foi a maior numeração registrado no futebol brasileiro. Dentro de campo, o Galo venceu o São Paulo por 3 a 1, em jogo no Mineirão pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Não, Roger Guedes não será o primeiro, mas ainda existe um diferencial: o atacante chega para ser o camisa 123 em definitivo, diferente dos outros casos em que eram situações comemorativas.

A primeira expectativa e de que Roger assumiria a camisa 10. Com a chegada Willian, era possibilidade foi muito diminuída e logo passou a ser muito comentada a possibilidade de que a camisa 9, que está vaga no elenco corinthiano, fosse preenchida. Mas para surpresa de todos, o mesmo optou pelo fator inesperado e agora será o primeiro camisa 123 da centenária história alvinegra. 

Sempre apoiado pelo torcedor desde que as primeiras especulações apontavam a sua chegada ao Corinthians, Roger está regularizado e a disposição de Sylvinho para poder fazer a sua estreia com a camisa 123 e corinthiana, já na próxima terça-feira (7), em confronto contra o Juventude, na Neo Quimica Arena pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro.

VAVEL Logo