Andrés concede coletiva no Corinthians e reafirma prioridade em quitar dívida da Arena

Dirigente revelou dívida do estádio e que deve renegociar com a Caixa e Oderbrecht em breve

Andrés concede coletiva no Corinthians e reafirma prioridade em quitar dívida da Arena
O presidente ainda diz que não pensa em reforços no momento (Foto: Daniel Augusto Júnior/Corinthians)

O reeleito presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, concedeu coletiva nesta terça-feira (6), a primeira depois vencer a votação no sábado (3). A reeleição foi marcada por muita confusão por parte de "torcedores" que incitaram atos de violência no ginásio do Parque São Jorge onde ocorreu a apuração dos votos.

+ Andrés Sanchez é reeleito o novo presidente do Corinthians

O novo mandatário, que tem fama por não ter papas na língua, falou sobre diversos pontos, entre eles, o principal que é pauta no Corinthians desde a construção, a Arena Corinthians. Durante a entrevista, foi a primeira questão que o presidente teve que responder.

"É o desafio de todo o corinthiano, todos tinham conhecimento de tudo. É prioridade no meu mandato resolver o mais rápido possível a engenharia financeira e jurídica perante a Caixa e a Oderbrecht. Estou meio por fora. Mas acho que está girando em torno de 1,17 ou 2 bilhões. Vamos renegociar. É a mesma coisa quando você é mandado embora e fica sem dinheiro”, revelou.

Já com relação ao elenco, Andrés foi questionado sobre um novo camisa 9 que ainda falta na equipe de Fábio Carille após a saída de Jô. Contudo, o período político e as dificuldades financeiras postergaram um anúncio na gestão passada, e o dirigente foi sincero quanto a procura de um novo dono para o ataque alvinegro.

"Vocês já me conhecem. Não estou negociando, especulando com nenhum jogador. Depois eu vou sentar com o Carille para conversarmos sobre isso. Estamos em um ano de organizar o clube internamente para pensarmos no mercado novamente", respondeu.

Insistindo na questão de um novo reforço, Andrés respondeu sobre as características de um camisa 9 para ocupar a posição no elenco.

"Eu não vou citar nomes de jogadores, mas todas as contratações fizemos em consenso com a diretoria, como o atleta reage a banco de reservas, substituições também é importante" , ressaltou.

Andrés logo foi questionado sobre o patrocínio master, no qual o Corinthians não tem mais, o último foi a Caixa, mas o presidente adianta.

"Primeiro vamos olhar pra dentro do clube. É óbvio que a partir de ontem a equipe de marketing começou a ser montada e estudamos nomes que podem ser abordados. Contudo, ainda não temos nada definido, quando fecharmos com um patrocinador, vamos anunciar", finalizou.

Motivo de ter votado contra o árbitro de vídeo

Ontem os clubes se reuniram no Rio de Janeiro para decidir a aprovação do assistente de vídeo no Campeonato Brasileiro. Entretanto, o Corinthians foi um dos 12 clubes no qual voltou contra a implantação do recurso, e Andrés não deixou de falar sobre os motivos do clube de não permitir a modernização do campeonato.

"O Corinthians não votou contra por causa dos valores, porque nem a IFAB e nem a FIFA tem padrão definido. Então, o Corinthians preferiu esperar pra ver uma melhor adequação no futuro, nem na Europa eles têm um padrão, aqui não seria diferente.Todo mundo vai reclamar de erro no Brasil, tem jogo que tinha vídeo e teve reclamação. Tem lance que metade fala que foi e metade que não foi. Vai ser igual. O erro grotesco seria evitado. Mas vamos preparar esse ano, esperar a coisa se afirmar e quando tiver as regras claras, no ano que vem, colocar em prática" revelou.