Vasco aproveita erros para bater Náutico e se mantém isolado na liderança da Série B

Cruzmaltino explora falhas defensivas e derrota Timbu em São Januário, seguindo no topo da tabela; pernambucanos, mesmo com o revés, permanecem no G-4

Vasco aproveita erros para bater Náutico e se mantém isolado na liderança da Série B
Foto: Paulo Fernandes/Vasco
Vasco
3 2
Náutico
Vasco: Jordi; Madson, Luan, Rodrigo e Júlio César (Henrique, min. 74); Marcelo Mattos, William, Andrezinho (Éder Luís, min. 74) e Nenê; Jorge Henrique e Leandrão (Thalles, min. 41). Técnico: Jorginho
Náutico: Júlio César; Joazi, Rafael Pereira, Eduardo e Mateus Müller; Gastón Filgueira (Eurico, intervalo), Maylson; Jefferson Nem, Rony e Taiberson (Renan Oliveira, min. 64); Bérgson (Odilávio, min. 71). Técnico: Alexandre Gallo
Placar: 1-0, min. 12, Andrezinho; 1-1, min. 33, Rafael Pereira; 2-1, min. 46, Rodrigo; 3-1, min. 77, Éder Luís; 3-2, min. 92, Renan Oliveira
ÁRBITRO: Jean Pierre Lima (RS). Cartões amarelos: Gastón Filgueira (min. 38), Taiberson (min. 56), Eurico (min. 56), Eduardo (min. 68), Marcelo Mattos (min. 75), Jorge Henrique (min. 76) e Madson (min. 89)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 9ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, disputada em São Januário, no Rio de Janeiro

A noite desta terça-feira (14), no estádio de São Januário, pôs frente a frente dois times favoritos ao acesso à elite do futebol brasileiro. Sob o apoio de sua torcida, em confronto válido pela 9ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016, o Vasco aproveitou bem os erros da defesa do Náutico e levou a melhor ao vencer por 3 a 2, com gols do meia Andrezinho, do zagueiro Rodrigo e do meia-atacante Éder LuísRafael Pereira Renan Oliveira descontaram.

Com mais uma vitória em seus domínios, os cruzmaltinos seguem na liderança, chegando aos 22 pontos ganhos, dois a mais que o Atlético-GO, vice-líder. Já os alvirrubros, permanecem no G-4, mesmo com a derrota, pois ficam empatados em pontos com o Criciúma, levando a vantagem pelo saldo (11 a cinco).

Os times voltam a campo, pela 10ª rodada da Segundona, no próximo sábado (18). Os cariocas vão continuar dentro de casa, ao enfrentar o Paysandu, às 16h30, enquanto que os pernambucanos duelarão com o Bragantino, às 16h, no Arruda, pois não conseguiu fechar contrato com a Arena de Pernambuco, uma vez que o vínculo acabou rompido junto ao Governo.

Vasco sai à frente, mas cede empate ao Náutico

Em confronto do G-4, Vasco e Náutico começaram com muita vontade e pouca intensidade. Ainda assim, o Timbu foi quem tomou as rédeas e teve a primeira boa oportunidade do jogo. Explorando um descuido do zagueiro Rodrigo, Rony saiu cara a cara com Jordi, mas bateu mal e perdeu um gol feito.

Apesar de mais dispostos ofensivamente, os alvirrubros não tiveram eficiência e, assim, foram castigados. Madson bateu lateral dentro da pequena área, a defesa cochilou e Andrezinho surgiu com liberdade no meio da marcação. Livre de adversários, o meia vascaíno mandou para o fundo do barbante, abrindo o placar.

Mesmo em vantagem, os cruzmaltinos não conseguiram ser criativos e cederam muitos espaços no seu sistema defensivo. Explorando isso, os pernambucanos apareceram bem no ataque e passaram a assustar os cariocas. Em um desses lances, Bérgson cobrou escanteio fechado, o goleiro Jordi saiu e cortou mal, porém a zaga afastou de vez. Depois de uma sequência de escanteios, Rafael Pereira se antecipou e tocou para dentro da barra, deixando tudo igual.

Nos minutos finais, os visitantes demonstraram que estavam melhor e tiveram ótimas chances de ficar à frente do marcador, contudo em ambas não foram eficazes. Na primeira, o atacante Taiberson cobrou tiro esquinado aberto e Mateus Müller subiu bem para cabecear, no entanto mandou para fora. Em seguida, Maylson mandou ao mesmo Taiberson, que chutou bonito e o camisa 1 do alvinegro afastou. No rebote, Bérgson tentou de bicicleta, mandando longe da meta.

Vasco aproveita erros e sacramenta vitória

Na etapa final, Gallo optou pela precaução no sistema de marcação e fez uma alteração. O lateral-esquerdo Gastón Filgueira, improvisado de volante, estava pendurado com cartão amarelo. Por isso, o cabeça de área de origem Eurico entrou na sua função, visando dar também uma estabilidade ao setor.

Logo no primeiro minuto de bola rolando, entretanto, o Vasco voltou a ficar com vantagem. Nenê levantou falta dentro da pequena área, o goleiro Júlio César saiu muito mal da meta e o zagueiro Rodrigo, bem atento ao lance, subiu bem para cabecear e mandar para o fundo do gol.

Apesar da desvantagem, o Náutico não se acomodou em campo e foi para cima buscar um novo empate. Maylson fez lindo lançamento no meio, tirando de dois marcadores, e abriu para Rony pela esquerda. O atacante entrou na área, cortou para a direita e chutou, mas a bola teve a trajetória desviada e ficou com Taiberson. Livre de marcação, o atleta cabeceou mal e perdeu boa chance.

Mesmo administrando bem o resultado positivo, o alvinegro seguiu em cima e teve boa chance de ampliar. O lateral Júlio César avançou pelo meio, tabelou com Thalles e bateu com muita força, já dentro da área, contudo seu xará fez grande defesa e ainda segurou o rebote, evitando o terceiro.

Buscando respirar mais aliviados, os alvirrubros tiveram uma ótima chance de marcar, porém levaram azar. Apesar do pouco tempo em campo, Renan Oliveira levantou no meio da área, Eurico subiu para cabecear e Jordi não alcançou. Marcelo Mattos viu a bola quicando e, ainda assim, cortou em cima da linha. No lance seguinte, os cariocas ficaram perto de fechar o caixão. Éder Luís saiu frente a frente com o camisa 1 dos visitantes e, demonstrando categoria, deu uma meia-lua, marcando o terceiro tento.

Nos últimos instantes, o Náutico mostrou que era valente e precisou de duas jogadas para diminuir a desvantagem, no entanto não foi o suficiente para evitar a derrota. Na primeira, Renan bateu nova falta na pequena área mas, dessa vez, Maylson tocou para a barra e Jordi tirou a bola em cima da linha, com os visitantes contestando. Depois, o mesmo Renan cobrou o tiro livre da entrada da área, contou com o desvio de Henrique e viu a pelota morrer no fundo do barbante.