Carnaval Rio 2018 ao vivo: acompanhe os desfiles de segunda do Grupo Especial

Carnaval Rio 2018 ao vivo: acompanhe os desfiles de segunda do Grupo Especial
Imagem: Hugo Alves/VAVEL Brasil

A atriz Cláudia Raia é outro destaque. Ela vem no chão, à frente do último carro da escola, denominado 'Ensinando a amar', ancorado na ideia de que o carnaval é uma possibilidade concreta de salvação.

A cantora Pablo Vittar é destaque de um dos carros da Beija-Flor. Com 56 minutos, a escola já está toda na avenida.

Os ritmistas da bateria vêm vestidos como malandros.

A Beija-Flor traz alas bem humoradas como a 'Circo Brasil', onde bonecos de palhaços em verde e amarelo carregam o peso de impostos como IPTU e INSS.

O tripé 'Roedores dos cofres públicos' traz os ratos representando os políticos brasileiros, que segundo os carnavalescos, 'roem os cofres públicos'.

As baianas da escola são as 'Santinhas do pau oco', e representam uma das primeiras ações de sonegações de impostos da história do país, que usavam imagens de santos para esconder o ouro.

O tripé da comissão de frente representa uma geleira, uma homenagem a autora da obra, responsável pela introdução do gênero terror gótico na literatura.

O consagrado casal de mestre-sala e porta-bandeira Claudinho e Selminha Sorriso, em roupa toda branca, representam 'cristais de gelo para derreter os corações'.

A comissão de frente da Beija-Flor de Nilópolis, assim como todo o primeiro setor, faz referência direta aos 200 anos da obra de ficção científica Frankstein, que carrega todo o resto do enredo. 

E para fechar os desfiles do Grupo Especial deste ano de 2018, Beija-Flor de Nilópolis na Sapucaí! Olha ela aí, gente! A escola de Nilópolis traz um recado contra a intolerância religiosa, a violência e a corrupção.

Com 74 minutos, a Imperatriz Leopoldinense encerra o seu desfile!

Com 62 minutos de desfile, a Imperatriz está toda na Sapucaí. Acabou de entrar o sexto carro, que homenageia a Quinta da Boa Vista, onde o Museu Nacional está localizado. A lateral do carro conta com a escultura de  um cisne, ave predominante nos lagos do parque, e que também é o formato dos famosos pedalinhos da Quinta.

O quinto carro, 'A antropologia e a etnologia tribal pré-colombiana', representa a multiplicidade cultural da América, desde os índios brasileiros até os povos andinos. A alegoria fecha o passeio pelas exposições do Museu Nacional.

'Tesouros arqueológicos das antigas civilizações' é o quarto carro da Imperatriz. Ele fecha o quarto setor, justamente sobre os antigos povos da humanidade, principalmente egípcios. O Museu Nacional detém a maior coleção egípcia da América Latina. Ela pertenceu a D. Pedro I e D. Pedro II.

Com quase 50 minutos de desfile, a comissão de frente da Imperatriz ainda permanece na pista, e falta alegoria para entrar na Sapucaí. 

O terceiro carro, 'O incrível mundo da zoologia', retrata outra exposição permanente do Museu Nacional, sobre diversas espécies animais, como as centenas de tipos de borboletas expostas no palácio e presentes também na alegoria.

A ala de baianas, vestida de verde, branco e ouro, representa a própria Imperatriz Leopoldina, membro da Família Real.

Com o Palácio do Museu Nacional representado na primeira alegoria, os próximos setores do enredo se aprofundam nas exposições permanentes da instituição. O segundo carro, 'Origem e evolução da vida', é sobre uma exposição de mesmo nome. Uma representação do esqueleto de um dinossauro, por exemplo, está presente no museu.

O casal Thiaguinho e Rafaela representam a preciosa coleção de minerais raros trazida pela Família Real Portuguesa. A fantasia é em tons intensos de verde, que terminam em um verde escuro.

A tão tradicional coroa da Imperatriz Leopoldinense não subiu no abre alas.

O primeiro carro alegórico, 'O Palácio Real da Quinta da Boa Vista - o Versalhes Tropical', representa o palácio propriamente dito, onde hoje se localiza o Museu Nacional e já foi residência da família real brasileira.

A comissão de frente da Imperatriz, assinada pela coreógrafa Cláudia Mota, representa a primeira instituição dedicada ao colecionamento, a "Casa dos Pássaros" - coleção de aves empalhadas, inaugurada em 1784. É o início dos museus brasileiros.

Na outra ponta da Marquês de Sapucaí, a Imperatriz Leopoldinense já esquenta os tamborins com o antológico samba 'Liberdade, Liberdade, Abre as asas sobre nós!'. É a penúltima a desfilar nesse carnaval!

E o Salgueiro finaliza o seu desfile aos 73 minutos! Foi uma apresentação impecável em evolução e harmonia, além de luxuosa esteticamente. Cruzou a Sapucaí para brigar pelo campeonato.

O sexto e último carro impressiona pela sensibilidade. O carnavalesco traz uma Pietà negra segurando o filho no braços. É uma homenagem àquelas que perderam seus filhos para a violência urbana da cidade.

A bateria já saiu do recuo e segue na reta final da avenida. São 1h10min de desfile.

O quinto carro, 'Geledés', representa a máscara utilizada nos festivais que reverenciam o poder criador feminino. A alegoria traz duas grandes serpentes na frente.

O enredo se aproxima da realidade brasileira a partir do quarto setor, 'A laboriosa'. O quarto carro, predominantemente branco, representa um Brasil colonial com quituteiras e vendedoras de frutas. Parte da velha guarda da escola está presente no carro.

O terceiro carro alegórico da escola tijucana é a 'Eterna Luta'. Este carro representa as mulheres negras que se destacaram na luta contra o imperialismo português, britânico e até contra a privação da liberdade no Brasil. Até aqui, Salgueiro a Sapucaí com sua riqueza de detalhes. São 57 minutos na avenida.

A segunda alegoria do Salgueiro representa a riqueza e opulência do Egito antigo, e traz referências às deusas Ísis, Hórus, Merit Pitah e Hathor. O carro impressiona pela altura.

Antes de entrar no segundo recuo, os ritmistas abriram três colunas para que a ala de passistas passassem por dentro. O visual produzido pelo movimento impressiona.

A bateria do Mestre Marcão vem com a fantasia de 'faraós negros'. Os 285 ritmistas vestem um tecido de pele negra, e os rostos pintados com a mesma cor. A fantasia amarela é rica em detalhes.

As baianas, vestidas com bela roupa laranja e vermelha, representam as 'Yas Vermelhas', que fecundaram a savana africana há milhares de anos gerando toda a raça humana. As próximas alas enumeram uma série de mulheres que marcaram a história.

O abre alas, 'Éden Africano', representa o continente africano, ventre do mundo. 


O casal de mestre-sala e porta-bandeira Marcella Alves e Sidclei Santos vestem uma roupa em tons de laranja e vermelho, cor predominante em toda a frente da escola.

A comissão de frente apresenta cinco yabás, entidades que representam a fertilidade nas religiões de matriz africana.

E o Salgueiro já entrou na Marquês de Sapucaí! A escola do carnavalesco Alex de Souza apresenta no enredo uma homenagem às mulheres e matriarcas negras da história.

A rainha de bateria do Salgueiro, Viviane Araújo, virá representando Hatshepsut, a segunda mulher faraó da história 

Viviane Araújo fantasiada de Hatshepsut (Foto: Luis Alves / VAVEL Brasil)
Viviane Araújo fantasiada de Hatshepsut (Foto: Luis Alves / VAVEL Brasil)
Viviane Araújo fantasiada de Hatshepsut (Foto: Luis Alves / VAVEL Brasil)
Viviane Araújo fantasiada de Hatshepsut (Foto: Luis Alves / VAVEL Brasil)

União da Ilha finaliza seu desfile sem maiores problemas aos 73 minutos!

último carro encerra o desfile com um boteco e vários chefs de cozinha, inclusive Eric Jacquin

Carro
Carro "Ilha prepara a mesa do bar, faz a festa" (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)

quinto setor traz algumas das mais famosas comidas brasileiras, como guaraná, açaí e pão de queijo

A alegoria "Doce cacau" exalou o cheiro de chocolate pela avenida! 

Quarta alegoria da União da Ilha (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)
Quarta alegoria da União da Ilha (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)

quarto setor se inicia falando de grãos, como a soja, o arroz e o trigo

terceiro carro"Fogo aceso no terreiro das Yabás", encerra o setor com a herança da negritude para a culinária brasileira 

Carro
Carro "Fogo aceso no terreiro das Yabás" (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)

Que show da bateria de Mestre Ciça! 

terceiro setor retrata a influência dos negros na culinária brasileira, com destaque para a ala "Manga macia e cheirosa" , que exala o cheiro da fruta

O segundo setor, muito colorido, é encerrado pelo carro "Sabores da terra", com os exóticos alimentos nativos do Brasil 

Segunda alegoria da União da Ilha (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)
Segunda alegoria da União da Ilha (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)

ala das baianas"Pacova da terra", incorpora as bananeiras nas fantasias 

Ala das baianas da União da Ilha (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)
Ala das baianas da União da Ilha (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)

segundo setor traz diversas frutas nativas do Brasil e alimentos incorporados aos hábitos brasileiros pela influência portuguesa 

O abre-alas representa a vinda de portugueses para o Brasil e sua contribuição. Intitulada "Caravelas a bailar", a alegoria exala cheiro de café pela avenida 

O primeiro carro da União da Ilha (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)
O primeiro carro da União da Ilha (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)

comissão de frente, coreografada por Márcio Moura, vem representando um banquete

Tem início o desfile da União da Ilha de Severo Luzardo, terceira escola a desfilar nessa noite de segunda-feira! 

A próxima escola a desfilar é a União da Ilha! A agremiação insulana traz o enredo "Brasil bom de boca", sobre a culinária brasileira

A Portela encerra um desfile muito correto aos 74 minutos

O último carro encerra o desfile com Nova York, trazendo elementos famosos da cidade, como a Estátua da Liberdade e a Broadway, e também botes lotados com refugiados

sexto setor representa "O sonho da irmandade entre os povos", contando com imigrantes de diversas nacionalidades e levantando a bandeira contra a xenofobia

"Nova Amsterdã" é o quinto carro da escola, com elementos que remetem tanto aos nativos norte-americanos quanto à cultura holandesa

O quinto carro da Portela (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)
O quinto carro da Portela (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)

quinto setor representa "Um novo amanhã em Nova Amsterdã" , sendo encerrado com o momento em que os ingleses assumem o controle da região 

quarta alegoria representa os piratas que abordaram os judeus no caminho entre o Brasil e Nova Amsterdã, que viria a se tornar Nova Iorque 

"Navio Pirata", quarto carro da Portela (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)

quarto setor narra a disputa entre portugueses e holandeses, que culminou na reconquista portuguesa e na expulsão - mais uma vez - dos judeus

A alegoria "Formosa Recife" apresenta a influência dos holandeses na paisagem de Recife e também a presença da comunidade judaica

Terceiro carro da Portela (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)
Terceiro carro da Portela (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)

terceiro setor representa a vinda dos judeus para o Nordeste em busca de maior tolerância religiosa

segundo setor se encerra com uma alegoria de tatu, animal característico de Pernambuco que era visto como exótico pelos olhos europeus

Segunda alegoria,
Segunda alegoria, "Um príncipe holandês nas terras tropicais" (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)

A ala das baianas traz o encanto de Maurício de Nassau pela fauna brasileira, representando dois pássaros característicos da região: o carcará e os avuantes

segundo setor se baseia no olhar de Maurício de Nassau sobre o Nordeste

O belo abre-alas traz a águia, maior símbolo da escola, e a arquitetura judaica, remetendo ao período em que judeus portugueses fugiram em direção ao Nordeste

"Nas asas da liberdade", abre-alas da Portela (Foto: Luis Araujo / VAVEL Brasil)

Acidente na Portela: Segundo o site “Carnavalesco”, uma pessoa teria caído da segunda alegoria, um tatu gigantesco. A queda teria sido amortecida pela ala à sua frente

A fantasia do primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira está toda em azul e branco, nas cores da escola, e representa o encontro cultural entre judeus e nordestinos

comissão de frente representa as diásporas e aqueles que buscam um novo lar

O elemento cenográfico da comissão de frente

bateria vem fantasiada como os soldados holandeses que defenderam seus domínios no nordeste brasileiro 

Bateria da Portela (Foto: Luis Araujo/VAVEL Brasil)

E o desfile da Portela se inicia com gritos de "bicampeã!" na arquibancada!

A tradicional azul e branca traz, na estreia de Rosa Magalhães, um enredo sobre a imigração

Vem aí a Portela, atual campeã do carnaval carioca!

Tijuca finaliza seu desfile aos 73 minutos

Ainda que tenha apresentado alguns problemas com buracos, a Tijuca evolui tranquilamente, sem correria pela avenida

Para propor esse embarque, Miguel Falabella em pessoa desfila no último carro da escola do Borel, intitulado "Embarque na fantasia"

A última parte do desfile se insere no ambiente carnavalesco, trazendo cordões, blocos e escolas de samba, propondo o embarque na fantasia 

quinto carro é uma mescla entre dois clássicos da Broadway que contaram com a participação de Miguel: "O Beijo da Mulher Aranha" e "O Homem de La Mancha"

quarto setor traz musicais de sucesso que foram criados ou adaptados por Miguel, como "Império" e "Hairspray"

A "Máquina de fazer doido" do quarto carro representa os bastidores das gravações, trazendo também três programas de sucesso de Falabella: "Sai de baixo", "Toma lá da cá" e "Video show"

A bateria vem fantasiada de Caco Antibes, seu personagem de maior sucesso. Marisa Orth vem como madrinha de bateria representando a esposa de Caco, Magda

terceiro setor traz diversas obras de sucesso, como "TV Pirata", "Negócio da China" e "As Noivas de Copacabana", na ala das baianas

Esse carro possui um belo efeito pelas páginas envelhecidas, que representam os roteiros e personagens criados por Miguel, enquanto as ampulhetas fazem alusão ao passar do tempo

Infelizmente, o terceiro carro está passando sem iluminação pela avenida

segundo setor traz alas sobre figuras familiares importantes na trajetória de Falabella, como sua mãe e seu avô 

segundo carro recria personagens e cenários de peças de Maria Clara Machado, mestra de Miguel Falabella

A primeira ala e o abre-alas são uma releitura de "Reino das águas claras" , ainda abordando a infância e o poder imaginativo do ator, que sonhava com a Ilha do Governador, onde morava, como sendo seu próprio reino

primeiro setor retrata a infância do ator Miguel Falabella, tendo uma atmosfera mais lúdica e baseada no livro "Pequeno Príncipe", o que mais marcou esse período de sua vida

Infelizmente, temos um pequeno problema com o abre-alas: a porta lateral do carro abriu bem em frente ao segundo módulo de jurados

O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira tem sua fantasia intitulada de "Mergulho nas águas claras", toda em tons de azul, trazendo também o pavão, símbolo da escola

comissão de frente da Unidos da Tijuca, "O teatro é a minha religião", louva ao teatro e faz suas preces ao Arcanjo Miguel

COMEÇOU! A Tijuca inicia o segundo dia de desfiles na Marquês de Sapucaí!

No esquenta, a Unidos da Tijuca canta "É Segredo!", samba do campeonato de 2010

Tudo pronto para o início do desfile da Unidos da Tijuca! Esquenta rolando! 

Saiba mais sobre o que vai rolar na noite de hoje na Marquês de Sapucaí 

Após a Unidos da Tijuca apresentar seu enredo, entram na Avenida: Portela, União da Ilha do Governador, Salgueiro, Imperatriz Leopoldinense, e, fechando o Carnaval, a Beija-Flor de Nilópolis 

Além disso, Miguel Falabella tem uma forte ligação com o bairro nobre da Zona Norte do Rio de Janeiro. O homenageado foi carnavalesco do Império da Tijuca de 1993 até 1996. Sua melhor colocação pela escola foi um vice campeonato da Série A, com o enredo "No Sassarico da Colombo"

Curiosidade: Mart'nalia é uma das compositoras do samba enredo da Unidos da Tijuca. Filha de Martinho da Vila, a cantora fazia parte do elenco de uns dos trabalhos mais recentes de Falabella: Pé na Cova 

A escola buscará esquecer o trágico incidente que ocorreu no Carnaval do último ano com um enredo humorado homenageando diversas obras de Falabella, como Sai de Baixo e Pé na Cova 

A primeira escola a desfilar é a Unidos da Tijuca. A Azul e Amarelo do Morro do Borel presta uma homenagem ao ator, diretor, escritor e carnavalesco Miguel Falabella. Com o enredo "Um coração urbano: Miguel, o arcanjo das artes, saúda o povo e pede passagem", contará a história do homenageado. #CarnaVAVEL

Boa noite!! Em instantes, irá começar o último dia de desfiles do Grupo Especial do Rio de Janeiro 

Na noite de hoje, os desfiles mais aguardados ficam por conta do Salgueiro, com um enredo sobre a força das mulheres negras, e a Beija-Flor de Nilópolis, que encerra o carnaval com uma mensagem contra a intolerância religiosa. Impossível não falar também da Portela, atual campeã do carnaval, que estreia a experiente carnavalesca Rosa Magalhães numa história curiosa sobre imigrantes que ajudaram a fundar a cidade de Nova York, nos Estados Unidos. 

Nos desfiles de ontem, a Paraíso do Tuiuti e a Estação Primeira de Mangueira foram as escolas que mais empolgaram o público na Sapucaí. A primeira emocionou com uma comissão de frente que representava escravos e pretos velhos, e a segunda trouxe de forma bem humorada a polêmica relação do prefeito Marcelo Crivella com a cultura popular. O destaque negativo ficou por conta da Acadêmicos do Grande Rio, que não conseguiu entrar com o sexto carro na avenida e teve problemas sérios de evolução. Império Serrano, São Clemente, Vila Isabel e Mocidade Independente de Padre Miguel também desfilaram.

Será que a campeã sai hoje? Seis agremiações desfilam nesta segunda-feira, uma a menos que o domingo, com sete. No dia de encerramento, quem abre é a Unidos da Tijuca, seguida por Portela, União da Ilha do Governador, Acadêmicos do Salgueiro, Imperatriz Leopoldinense e Beija-Flor de Nilópolis, que encerra a festa no Grupo Especial. Escola a escola, ala a ala, tudo por aqui no CarnaVAVEL

Boa noite, seguidor! Em mais um dia de folia, a VAVEL BRASIL acompanha minuto a minuto as escolas que irão atravessar a Marquês de Sapucaí nesta segunda-feira (12), encerrando os desfiles do Grupo Especial do Rio de Janeiro. Fique conosco e descubra cada detalhe dessa noite aguardada!

Érick Jacquin