Djokovic enaltece atuação de gala contra Pouille: "Uma das minhas melhores nessa quadra"
Foto: Divulgação / Australian Open 

Djokovic enaltece atuação de gala contra Pouille: "Uma das minhas melhores nessa quadra"

Sérvio não tomou conhecimento do francês, cedeu apenas quatro games, e segue sem nunca ter perdido na fase semifinal do Australian Open 

caiocarvalho97
Caio Carvalho

Tudo deu certo para Novak Djokovic na segunda semifinal do Australian Open. Enfrentando o francês #31 Lucas Pouille, que vinha de ótimos resultados no torneio, o sérvio não tomou conhecimento e massacrou o adversário, garantindo seu lugar na finalíssima. Vitória por 3 sets a 0, perdendo apenas quatro games nesta sexta-feira (25. Muito mais fácil do que qualquer um esperava, inclusive ele, como o próprio disse.

Em entrevista coletiva após o triunfo que o colocou em sua sétima decisão em Melbourne, o número um do mundo comentou sobre sua grande performance, e fez questão de elogiar Pouille. 

"Definitivamente uma das melhores partidas que eu já joguei nessa quadra. Tudo funcionou do jeito que eu imaginei, até melhor", admitiu. "Difícil para o Lucas (Pouille), mas ele teve um grande torneio. Ele tem qualidade para ser um tenista top 10. Foi sua primeira semifinal, a ocasião é diferente, a partida tem mais peso. Ele terá mais partidas desse tipo nas fases finais de Grand Slams". 

O sérvio também falou sobre o fato de ter superado a lesão no cotovelo, que o tirou das quadras por um tempo e colocou seu nível de tênis em cheque logo após seu retorno. Na edição de 2018 do Australian Open, Djokovic caiu nas quartas de final para o sul-coreano Hyeon Chung.

"Era difícil imaginar doze meses atrás que eu estaria aonde eu estou um ano depois. Já disse antes que eu sempre acreditei em mim mesmo, e isso sempre prevalece. Sempre tinha uma parte de mim, e ainda tem, que acreditou que eu poderia jogar dese jeito. Essa é a chave". 

Com o a vitória de hoje, Djokovic segue sem nunca ter perdido um jogo na fase semifinal ou final do Major australiano. No confronto que vale o tão cobiçado troféu do Aberto da Austrália, seu adversário será o espanhol Rafael Nadal. Os tenistas irão reeditar a decisão de 2012, chamada de "jogo da década".

Perguntado sobre a expectativa para o duelo, o sérvio brincou ao analisar a duração da partida de sete anos atrás, mas disse torcer para que o resultado seja o mesmo.

"Primeiro de tudo, eu definitivamente compraria ingressos para esse jogo (risos). Mas nós temos regras diferentes esse ano em relação ao super tiebreak, então não acho que irá durar mais que seis horas. Foi uma experiência única na vida, e espero que o resultado seja o mesmo para mim", disse.

VAVEL Logo