Playoffs NFL: Com um quarterback inseguro, o Buffalo Bills volta à pós-temporada depois de 17 anos

Tyrod Taylor chegou a ser substituído durante a temporada regular e a equipe precisa, mais do que nunca, de LeSean McCoy

Playoffs NFL: Com um quarterback inseguro, o Buffalo Bills volta à pós-temporada depois de 17 anos
Bills conseguiram classificação histórica aos playoffs (Foto: Tom Szczerbowski/Getty Images)

A temporada do Buffalo Bills foi a mais longa dos doze times classificados para os playoffs da NFL. Explica-se: de todos os que avançaram à pós-temporada, os Bills foram os últimos a ter a vaga garantida. E pior: dependeram do resultado de uma partida que não era a sua, mas sim a de um rival, o Cincinatti Bengals, para conseguir uma vaga no Wild Card. E um touchdown na reta final do último dia do ano garantiu a volta do time à fase de mata-mata da liga.

Em ano repleto de altos e baixos, os Bills chegaram à Semana 17 com chances remotas de avançar aos playoffs: precisavam vencer os Dolphins, fora de casa e torcer por uma derrota dos Ravens ante os já eliminados Bengals. Detalhe: Baltimore jogava em casa, com a força de sua torcida. No entanto, numa 4ª para 12 com menos de um minuto no relógio e três pontos atrás no placar, Andy Dalton achou o WR Tyler Boyd, que quebrou tackles e foi até a endzone, virando o jogo. Foi o fim do sonho dos Ravens e a comemoração da torcida em Buffalo, que se garantiu nos playoffs após 17 anos.

Atuações inconsistentes dos QBs e dependência do jogo terrestre marcam Bills

O sucesso da equipe do estado de New York depende, e muito, da atuação do running back Lesean McCoy, grande destaque. Em 287 carregadas, o camisa 25 ganhou 1138 jardas, com média de 4.0/tentativa, suficiente para suprir a deficiência no jogo aéreo de Buffalo. Para se ter noção, os Bills tiveram o 6° melhor ataque terrestre e o 2º pior ataque pelo ar de toda a liga.

Foto: Maddie Meyer/Getty Images
Foto: Maddie Meyer/Getty Images

O quarterback Tyrod Taylor seguiu com atuações inseguras e, durante a temporada, chegou a ser substituído pelo seu reserva imediato, Nathan Peterman. No entanto, a atuação do calouro foi desastrosa. Em 14 tentativas de passe, o backup completou apenas seis e lançou cinco interceptações apenas no primeiro tempo da derrota por 54 a 24 para o Los Angeles Chargers.

Taylor segue tendo atuações questionáveis (Foto: Icon Sportswire via Getty Images)
Taylor não é um QB de elite (Foto: Icon Sportswire via Getty Images)

Outro ponto importante para uma possível vitória dos Bills passa por sua secundária. Mesmo sem Ronald Darby e Stephen Gilmore, trocados em 2017 para Eagles e Patriots, os defensive backs de Buffalo, contando com ótimo ano do calouro Tre'Davious White, podem se impor ante um Blake Bortles que teve um mês de dezembro acima da média, mas é claramente o elo mais fraco da equipe da Florida. 

Com status clínico duvidoso, é imperativo que McCoy esteja saudável caso os Bills queiram sonhar com uma campanha mais longa na pós-temporada. De outra forma, o jogo aéreo e a defesa não devem conseguir segurar o ataque dos Jaguars e, principalmente, Taylor deve ter grandes problemas para superar "Sacksonville" e companhia.