Por Bonucci, Juventus cede Caldara e Higuaín ao Milan

Experiente zagueiro abriu mão de parte do salário para se transferir ao antigo clube, e é trocado por jovem promissor; atacante argentino se transfere por empréstimo com direito à compra

Por Bonucci, Juventus cede Caldara e Higuaín ao Milan
Por Bonucci, Juventus cede Caldara e Higuaín ao Milan. Foto: Reprodução/Juventus

A novela em torno da negociação entre Milan e Juventus pelas trocas de Bonucci, Caldara e Higuaín se encerrou, e com final feliz. As equipes anunciaram o acerto dos jogadores, que já estavam nas sedes dos clubes para fazer exames médicos.

A negociação entre os zagueiros se dá por uma simples troca, enquanto o atacante argentino chega por empréstimo no valor de 18 milhões de euros a Milão, com direito de compra estimada em € 57 milhões ao final do contrato de uma temporada. Não há clausula de recompra da Velha Senhora pelo jovem defensor.

Ambos zagueiros possuem seus passes estimados em € 40 milhões. Insatisfeito no Milan, Bonucci demonstrou vontade de retornar à sua antiga equipe desde antes da negociação ocorrer, e abriu mão de 2 milhões de euros em seu salário para a transação ocorrer. Por outro lado, Caldara vem de boa temporada no Atalanta, onde estava emprestado pela Juventus, que comprou seu passe no início do ano passado e cedeu novamente ao clube de Bérgamo para passar por período de experiência. Ele seria um dos concorrentes à titularidade nesta temporada, em Turim.

Mattia Caldara faz exames médicos na sede do Milan. Foto: Reprodução/Milan
Mattia Caldara faz exames médicos na sede do Milan. Foto: Reprodução/Milan

Estatísticas dos jogadores na última temporada

Pelo Milan, Bonucci participou de 51 partidas nesta temporada e marcou dois gols - um deles contra a Juventus, no estádio da equipe adversária -, além de uma assistência. Ao todo, tomou seis cartões amarelos e um vermelho. 

No Atalanta, Caldara esteve presente em 34 oportunidades, marcando três gols e dando quatro assistências. No geral, foi advertido com oito cartões amarelos.

Pela Juventus, Higuaín marcou 23 gols em 50 partidas, chegando à media de 0,46 gols por jogo, quase um tento a quase dois jogos. O atacante também sofreu cinco cartões amarelos.

Influência de Leonardo

Leonardo foi um dos pilares da negociação. Foto: Reprodução/Milan
Leonardo foi um dos pilares da negociação. Foto: Reprodução/Milan

Durante as conversas, um brasileiro teve total influência no acerto final: Leonardo. O novo diretor técnico dos rossoneri chegou ao clube cercado de críticas, por conta de sua participação como treinador da Inter, maior rival da equipe, em 2011. Quando ele pôs os pés em Milão, a negociação já estava em andamento, pela antiga gestão do clube, liderada pelo chinês Yonghong Li, organizada pelos respectivos CEO, Marco Fassone, e o antigo diretor técnico, Massimiliano Mirabelli.

No entanto, a posse de Li se deu por fim e foi retornada ao Grupo Elliott temporariamente, que escolheu Leonardo como o diretor. O novo dirigente, então, tratou de pôr a limpo todas as partes. Primeiro, conversou com Bonucci, e recebeu como resposta a vontade do zagueiro de retornar à Turim. Ciente da inevitável saída, juntou o útil ao agradável quando notou as dificuldades na busca por um camisa 9 em seu elenco, que se encontrava na Juventus, já que, com a chegada de Cristiano Ronaldo, Gonzalo Higuaín estava sem espaços e de saída do clube. 

Sendo assim, fez totais esforços para a concretização da negociação entre as partes, com a inclusão do atacante argentino na transação. A influência foi comprovada assim que Higuaín desembarcou no aeroporto de Milão rumo ao rossonero. Em entrevista, o atacante argentino revelou conversa com o dirigente, além do técnico do clube, Gennaro Gattuso, e soltou: "Leonardo me convenceu", disse Higuaín.

Higuaín, na Casa Milan, para fazer exames médicos. Foto: Reprodução/Milan
Higuaín, na Casa Milan, para fazer exames médicos. Foto: Reprodução/Milan

Reforços de Juventus e Milan para 2018-19

Além das contratações citadas, as equipes já se movimentaram no mercado para a atual temporada. Para o setor de Higuaín, a Juventus se forçou com, nada mais, nada menos, que Cristiano Ronaldo, eleito melhor jogador do mundo na última temporada e favorito para receber o prêmio novamente. Além dele, a equipe de Turim também se fortaleceu com outros cinco nomes, são eles: Mattia Perín (goleiro), João Cancelo (lateral), Magnani (defensor), Emre Can (meia) e Andrea Favilli (atacante). A diretoria bianconera, ao todo, movimentou cerca de 182 milhões de euros (R$ 792 milhões aproximadamente).

Sem tanto dinheiro em caixa disponível, mas com esperanças em Leonardo para novas contratações, o Milan fez apenas contratações pontuais nesta janela. Em três negociações sem custos, reforçou sua meta com Pepe Reina, em fim de contrato com a Napoli, além de Strinic e Halilovic, nas mesmas situações, com Sampdoria e Hamburgo, respectivamente.