O Estádio de Mestalla será palco de um confronto crucial neste sábado (16), quando o Valencia recebe o Barcelona pela 17ª rodada da LaLiga. A partida, marcada para às 17h (de Brasília), promete emoções fortes, pois o Barcelona busca se reerguer após uma sequência de resultados desfavoráveis.

O Barça, atualmente na quarta colocação com 34 pontos, vem de uma derrota para o líder Girona, por 4 a 2, e outro tropeço na Champions League para o modesto Royal Antwerp, por 3 a 2, que conseguiu sua primeira vitória em cima dos blaugranas.

Xavi Hernández destacou a importância do jogo e a necessidade de recuperação na LaLiga. O comandante encara o confronto como uma grande final.

"Para nós é uma final porque precisamos de pontos. O problema de tudo é que na Liga não estamos onde deveríamos estar. A derrota contra o Real Madrid e o Girona pesou e temos que recuperar pontos. Temos um adversário muito difícil, com jovens e um grande trabalho do Baraja. Em Mestalla há sempre uma multidão. Vai ser muito complicado, é uma final".

O técnico está em busca da estabilidade do time e relembrou que tudo isso foi passado na última temporada, mas todos vibraram com dois títulos na campanha 2023-23.

"Aconteceu conosco no ano passado, o mesmo padrão se repete. Na temporada passada, em outubro, eles queriam jogar tudo fora e no final foi uma temporada marcante. A última coisa que aconteceu no clube foi que começamos mal e terminamos bem. Há cinco meses estávamos na rua comemorando dois títulos. E na primeira curva acontece de novo, é isso que me surpreende, que os torcedores do Barcelona se unam".

Apesar de todas as adversidades, Xavi confessou que nunca pensou em largar o comando técnico e que não pretende falhar, sem contar que ainda tem tempo para a recuperação. 

"Você sofre mais como treinador mas eu tento liderar, gosto de liderança, gosto que me critiquem diante dos jogadores para que fiquem tranquilos . Fiz isso a vida toda e não vou parar, ninguém vai me impedir. Me pergunto se já pensei em ir embora, muito pelo contrário. Estou mais envolvido, com mais interesse, não quero falhar e menos ainda quero falhar com o clube da minha vida. A torcida está com o time, o problema não é esse, é o 10. Na rua eles me dão sinal de positivo. Estamos numa pequena fase de resultados, um deles que não afeta em nada. O que pesa é o de Girona e Madrid e temos que recuperá-lo, e há tempo para recuperá-lo".

No entanto, o treinador culé salienta que é preciso ter estabilidade, mas que as coisas não são como parecem. 

"Acho que uma irrealidade está sendo contada. Já disse na Bélgica que estava a ser criada uma tensão desnecessária e que isso não diz qual é a realidade. Estamos na corrida para conquistar quatro títulos. Essa é a realidade. O clube precisa de estabilidade. Todos os projetos de outras equipes, quando houve curvas, estabilidade. Precisamos de estabilidade. Somos um projeto vencedor, está demonstrado, somos os atuais campeões da Liga e da Supertaça”. 

Xavi ainda expressou que é complicado ter uma estabilidade na era pós-Messi, contudo, ressalta que o Barcelona precisa seguir em frente e não se abalar com a turbulência. 

“Sabemos que o futebol não tem memória. Quando eu digo que o projeto está em construção é isso, que vai haver percalços para voltar. Mas se no primeiro solavanco entrarmos numa depressão profunda, isto não vai começar. Se empatarem ou perderem em Valência, continuam com o projeto e é necessária estabilidade, estabilidade numa era pós-Messi muito complicada".