Recordar é viver: Fernando Prass brilha, Palmeiras elimina Corinthians nos pênaltis em 2015
A comemoração do goleiro em "território inimigo" (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras)

Com a classificação para a final do Campeonato Paulista consolidada na última terça-feira (27), depois de uma disputa eletrizante por pênaltis contra o Santos, o Palmeiras se viu entre a cruz e a espada na noite seguinte. Seria melhor esperar o Corinthians ou o São Paulo como adversário? Ou era melhor não esperar nada, já existe a máxima que “clássico é clássico"?

Fato é que as questões acima não mudariam nada, já que o time não tinha o controle de escolher quem venceria o jogo. Sendo assim, de maneira semelhante à classificação alviverde, os torcedores do Verdão viram, após as penalidades com duas defesas de Cássio, o Corinthians comemorar a classificação na sua arena. Foi nesse momento que tudo mudou: Palmeiras e Corinthians se enfrentariam em uma final depois de 19 anos de espera.

Há 19 anos o Verdão de Paulo Nunes, recém campeão da Libertadores da América, enfrentou o Timão de Edílson no fatídico jogo das embaixadinhas. Com uma mão na taça após a vitória por 3 a 0 no primeiro jogo, o time alvinegro estava conseguindo um empate por 2 a 2 no jogo de volta quando Edílson, ao receber uma bola na lateral, começou com suas embaixadinhas como forma de provocação. O jogador não saiu ileso, já que Júnior e Paulo Nunes logo partiram para cima dele. Não demorou muito para o árbitro encerrar o jogo no Morumbi, e o Timão sagrou-se campeão estadual daquele ano.

A felicidade corintiana de quarta-feira (28), entretanto, não foi o sentimento que dominou a Arena Corinthians no dia 19 de abril de 2015, no último encontro em mata-mata dos dois times, que inclusive aconteceu no campeonato estadual. Foi nessa partida que Fernando Prass, dois anos após chegar no clube alviverde, fez duas defesas durante a disputa por pênaltis e, como herói, classificou sua equipe à final do Paulista.

Na partida de três anos atrás, o Palmeiras precisava ganhar para ir a final, ou, se empatasse, o confronto seria decidido por pênaltis, já que o jogo era único. O Verdão abriu o placar com o zagueiro Victor Ramos, mas logo tomou o empate com Danilo e a virada com Mendoza. O time alviverde trabalhava a bola, mas não conseguia finalizar corretamente. Foi somente aos 30 do segundo tempo que, após cruzamento de Dudu, Rafael Marques cabeceou para o gol e deixou tudo empatado na Arena do rival. Com o apito final da arbitragem no tempo normal, o nervosismo pré pênaltis tomou conta do cenário.

Logo na primeira cobrança, Robinho desperdiçou sua chance, deixando um peso enorme sobre as costas dos outros palmeirenses, que ficaram mais pressionados ainda para converter. A cobrança do meia foi seguida por as de Fábio Santos, Renato Augusto, Fagner e Ralf para o Timão e Rafael Marques, Victor Ramos, Cleiton Xavier e Dudu para o Palmeiras. Todos acertaram o alvo, até a defesa de Prass na vez de Elias, levando a disputa para as cobranças alternadas.

Divulgação/SE Palmeiras
Divulgação/SE Palmeiras

Kelvin, Gil e Jackson conseguiram converter seus chutes a gol. Com a necessidade de acertar o alvo também, Petros viu seu pênalti ser defendido pelo goleiro palmeirense, e a frase dita por Fernando Prass antes disso acontecer ecoa na cabeça de torcedores quando lembrados sobre a semifinal de 2015: “Acabou, Petros”.

Com 5 a 6 no final da disputa, o Palmeiras passava para a final após sete anos, quando venceu a Ponte Preta e garantiu seu último título no Paulista. Como se não fosse suficiente, o time conseguiu deixar a invencibilidade do rival, que no momento era de 31 jogos na Arena Corinthians com um gosto um pouco mais amargo. O Timão, por sua vez, invicto na primeira fase do campeonato, teve sua primeira eliminação em casa naquela partida.

Divulgação/SE Palmeiras
Divulgação/SE Palmeiras

O dérbi de sábado (31) já é motivo de ansiedade para as duas torcidas. Os corintianos têm esperança de conseguir a quinta vitória em cima do maior rival e, quem sabe, ser campeão na volta. Os palmeirenses, por sua vez, esperam um time aguerrido, que acabará com a sequência de derrotas atuais para o Corinthians e, dessa maneira, terá um "gás" maior no outro jogo para soltar o grito que está guardado há 10 anos. Após 19 anos, os dérbis que decidem o campeonato Paulista vão, com certeza, mexer com o coração de muitos.

VAVEL Logo